Raphael Veiga começou a temporada 2020 em alta com Vanderlei Luxemburgo. Elogiado pelo técnico, o meio-campista impressiona pela qualidade técnica e foi classificado por Luxa como “imprescindível”. Após atuar aberto pelo lado esquerdo nas primeiras partidas do ano, o jogador tem sido utilizado mais centralizado.

“O professor perguntou perguntou se me sentia confortável jogando pelo lado e eu disse que não me sentia tanto assim. Falei como preferia jogar, ele entendeu e foi ajustando no treino. Ele viu que as coisas foram caminhando e me colocou para jogar. Consegui ir bem e fazer gol. Participei dos últimos jogos, me sinto importante e bastante valorizado. Espero ter sequência para que as coisas continuem a evoluir bem”, contou o camisa 23 palmeirense.

O Palmeiras vem de três vitórias no Campeonato Paulista. Veiga entrou em campo nos últimos dois triunfos – contra o Mirassol, inclusive, balançou as redes na virada por 3 a 1. O próximo desafio do Maior Campeão do Brasil no estadual é contra o Santos, no sábado (29), às 16h, no estádio do Pacaembu. Diante do rival do litoral, o meio-campista espera que o Verdão possa manter a boa fase.

“Sabemos que todo clássico é diferente, é um jogo à parte. Todo time se concentra e quer dar a vida contra o Palmeiras. Sabemos dos jogadores de qualidade que o Santos tem. Será um jogo difícil, queremos fazer uma boa partida”, analisou.

O meia conhece bem Rony, contratado pelo Verdão a última sexta-feira (21). Os dois jogaram juntos no Athletico-PR e foram campeões da Copa Sul-Americana pela equipe paranaense em 2018. “Nos demos muito bem lá, é um amigo. Fico feliz que ele veio e que essa situação tenha se desenrolado. Acredito que ele queria vir. Ele está bastante feliz e motivado. Contei algumas coisas daqui, falei como funciona”, revelou Veiga.

No Athletico-PR, o jogador também se habituou com outra novidade do Palmeiras para esta temporada: o gramado sintético. “Sempre gostei da grama sintética, por ser regular. Mas não é algo que vai justificar os resultados. É um pouco diferente e precisa de tempo para se adaptar, mas nada que chegue a ser determinante. A grama é tão boa quanto a do Athletico. A experiência ajuda, mas não determina nada. Temos de fazer nosso papel”, disse sobre o gramado do Allianz Parque.

Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Fonte: Sociedade Esportiva Palmeiras
Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.