Brasília (DF) – Em 2 de março de 2020, dia em que milhares de jovens são incorporados ao Exército, ocorre, também, o engajamento: após criteriosa seleção, os melhores soldados deixam de ser considerados do Efetivo Variável e passam a integrar o Efetivo Profissional.

Nesta data, o soldado Max, chatbot do Exército Brasileiro baseado em moderna tecnologia de Inteligência Artificial (IA) e que completou um ano de “serviço militar”, passou por uma avaliação técnica. A análise, que levou em consideração o tempo de resposta, o percentual de assertividade, a amplitude dos assuntos e a quantidade de interações, teve por objetivo avaliar o sucesso do projeto e expedir um parecer técnico sobre a viabilidade de “engajar” o soldado Max por mais um ano.

Um dos objetivos do emprego da IA para a conversação é atender às mudanças de comportamento dos usuários nas mídias sociais, que demandam respostas imediatas, 24 horas/dia, principalmente em conversas mediadas por aplicativos de troca de mensagens, como o Messenger ou Telegram. Os usuários, diferentemente de quando mandavam cartas ou e-mails, requerem uma resposta instantânea. Essa instantaneidade também é estimulada por algumas plataformas de mídias sociais, que emitem um selo de qualidade para aqueles que atendem às demandas dos usuários em tempo considerado hábil. Nesse quesito, o soldado Max foi aprovado com bastante êxito, respondendo à maioria das perguntas em um tempo inferior a 10 segundos, o que garantiu o selo “Responde Muito Rápido” na página do Exército no Facebook/Messenger.

Avaliando a quantidade de interações e a amplitude de assuntos, o soldado Max apresentou números bem consistentes, indicando que “ele” merece fazer parte de nossa tropa por mais um ano. Desde março de 2019 até março de 2020, ocorreu um aumento de mais de 100% no total de interações por mês, significando a aceitação do Max como o primeiro mediador do diálogo com a sociedade nas plataformas em que atua. Quanto à amplitude dos temas abordados, a missão inicial do Max era responder apenas às questões relativas ao ingresso no Exército Brasileiro, compostas de 81 tipos diferentes de interações. Atualmente, graças ao emprego da tecnologia de Processamento de Linguagem Natural (PLN), o Max suporta 230 intenções diferentes de diálogo, que ampliaram o seu escopo para responder a questionamentos que vão do sistema de saúde do Exército a respostas para momentos de crise.

O último aspecto refere-se à “mira e precisão” do Max em relação às respostas. A assertividade, que é a habilidade de responder corretamente a uma pergunta, é um dos fatores mais importantes de um chatbot e, também, a principal razão de interrupção desse tipo de projeto. O índice de acerto atual do Max é de 70%, índice 10% superior ao início do projeto. Isso indica que o escopo do Max está muito amplo para o design de conversação inicialmente projetado.

Com esse diagnóstico, o Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx) considerou o soldado Max apto para o “engajamento” e receberá um novo “avatar”, que consiste em um uniforme camuflado com divisa de soldado e brevê de distinção no bolso direito. Além disso, o CCOMSEx redesenhará toda a estrutura de conversação do Max, que deve demorar de 30 a 60 dias. O novo diálogo permitirá uma conversação mais fluida e natural, requisito fundamental para a prestação de um melhor serviço aos usuários e essencial para a promoção do Max à graduação de cabo.

Fonte: Portal de Imprensa do Exército Brasileiro

Centro de Comunicação Social do Exército

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.