News

Qualquer pessoa que chegar em Israel vai ficar quarentena, anunciou o primeiro-ministro

Compartilhar

“Esta decisão será efetiva por duas semanas”, disse o primeiro-ministro; 58 casos israelenses identificados; 25 nos territórios palestinos

Qualquer pessoa que chegar a Israel terá que observar uma quarentena de duas semanas para impedir a propagação do novo coronavírus no país, anunciou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu na segunda-feira.

“Após um dia de discussões difíceis, tomamos uma decisão: todos os que vierem para Israel do exterior serão mantidos em isolamento por 14 dias”, disse Netanyahu em um vídeo postado em sua conta no Twitter.

“Esta decisão será efetiva por duas semanas”, disse o primeiro-ministro. “Serão tomadas decisões para apoiar a economia israelense”, acrescentou.

O ministro do Interior, Aryeh Deri, disse que todos os israelenses que chegarem ao país a partir de agora devem entrar em quarentena de 14 dias.

A decisão de devolver todos os cidadãos estrangeiros que não puderem colocar em quarentena no país entrará em vigor em 72 horas.

Os Estados Unidos representaram o maior número de turistas em 2019, com cerca de 889.700 visitantes, seguidos pela França (367.500 turistas), segundo dados oficiais do Ministério de Turismo de Israel.

O Ministério das Finanças estimou que a medida custará a Israel cerca de 4,9 bilhões de shekels (US $ 1,4 bilhão), informou a Twelfth News Network.

As autoridades de El Al disseram ao décimo segundo canal que recomendam que os israelenses retornem rapidamente ao exterior, pois muitos vôos podem ser interrompidos em breve.

A companhia aérea Arkia está enviando cerca de 180 funcionários em férias não remuneradas e cancelará a maioria das rotas internacionais até novo aviso. Avi Nakash, principal acionista da empresa, disse ao décimo segundo canal de notícias: “É um golpe fatal. Não há mais nenhuma aviação israelense. Nem Arkia, nem El Al, nem Israir. “

A Israir também cancelará a maioria, se não todas, as rotas internacionais dentro de uma semana.

Já haviam sido impostas restrições aos viajantes que chegavam da Itália – o foco mais importante da epidemia depois da China – e também aos que chegavam de outros países asiáticos e europeus, como a França.

Até agora, as autoridades israelenses identificaram 58 casos de novos coronavírus em seu território.

As autoridades palestinas confirmaram 25 casos da doença Covid-19 nos territórios palestinos e declararam estado de emergência de saúde em 5 de março por 30 dias.

Essas medidas restritivas ocorrem um mês antes da Páscoa, que cai este ano em 8 de abril. Normalmente, dezenas de milhares de judeus de todo o mundo viajam para Israel para comemorar este feriado religioso.

Desde o surgimento do novo coronavírus em dezembro passado, 113.255 casos de infecção foram registrados em 101 países e territórios, causando a morte de 3.964 pessoas, de acordo com um relatório estabelecido pela AFP de fontes oficiais na segunda-feira às 17:00. GMT.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo