Opinião

Brasil trava duas guerras

Passamos por dois momentos cruciais em nossa nação: Uma luta contra a doença do momento – Corona Vírus (Covid 19) e uma batalha política para a derrubada do governo, neste artigo vamos analisar os fatos e gerar nossas conclusões.

Primeira luta.

O que observamos hoje no país é uma luta insana, em duas frentes, pelo governo federal. De um lado através das ações necessárias para conter e combater o avanço do Covid 19, oriundo da China, que se alastrou pelo mundo a fora e que chegou a nossa terra vinda em pessoas que desembarcaram da Europa, principalmente da Itália, local onde o vírus tem se mostrado deveras letal e com alta propagação, e não descartamos também a possibilidade do mesmo ter vindo na bagagem dos turistas que vieram para o carnaval no Brasil. E infelizmente a outra frente, que tem se mostrado algo talvez mais letal que o vírus, para o mal do Brasil, as ações nefastas e destrutivas oriundas da grande mídia e de toda a gama de oposição ao atual governo do país.

Com relação ao Covid 19, as ações tomadas pelo governo federal tem se mostrado corretas no sentido de conter a pandemia e mantê-la dentro de uma curva que não seja tão devastadora quanto a que ocorre na nossa querida Itália, pois, é inegável que o Brasil sofrerá com o surto do Covid 19.

Fomos expostos e agora é lutar para que tal exposição seja contida em números razoáveis e possíveis de serem cuidados pelo nosso sistema de saúde, sistema este que foi negligenciado pelos governos anteriores tendo como foco principal – Copa do mundo e Olimpíada, dois eventos que nada trouxeram de vantagem para o país, a não ser os fortes indícios de superfaturamento de obras, principalmente dos elefantes brancos dos estádios de futebol, hoje fechados por não terem utilidades diante de tal surto viral. Sem esquecer que em um desses elefantes brancos fica a eterna imagem da vergonhosa derrota de sete a um da seleção brasileira dada pela seleção alemã, e ainda vestida como se o Flamengo fosse.

Além desse foco tivemos também todo o aparato olímpico que foi construído no Rio de Janeiro e que agora está devidamente sucateado por não utilizarem a totalidade das arenas e instalações que foram construídas, levando novamente ao descaso do superfaturamento e esquecimento das necessidades básicas do país e município.

Deixamos aqui a pergunta de um milhão de dólares – quantos hospitais poderiam ter sido construídos com a vultuosa soma dos gastos pró copa do mundo e olimpíada? Lembramos hoje a famosa citação do jogador Ronaldo Fenômeno – “Não se faz copa do mundo com hospitais” e perguntamos ao mesmo – Cuida-se de pacientes de Covid 19 em Estádios de Futebol?Lembramos ainda que estes estádios de futebol são arenas da velha estratégia do Pão e Circo, prática mais que utilizada por governantes interessados apenas em distrair o povo e com isso manter seu poder sem questionamento, levando em consideração que o Futebol é uma paixão nacional.

A Olimpíada foi o auge da vaidade dos governantes de esquerda da época, inclusive com indícios comentados de que subornos foram usados para que o Brasil pudesse vencer a votação para ter a cidade do Rio como sede do evento. Hoje vemos o descaso com as gigantescas construções que foram efetuadas e poucas ainda são utilizadas, e algumas inclusive largadas de mão por serem caras de mais para serem mantidas. E mais uma vez a saúde foi negligenciada. Aqui onde moramos ainda tivemos a sorte de termos a construção de um hospital municipal, mas, e em outras localidades?

Porém, se esse fosse o pior dos focos de luta que temos de enfrentar, sabemos que poderíamos conter tal avanço, mesmo com o descaso já descrito, mas, a segunda luta, esta sim, tem sido a mais devastadora que o Covid 19.

Segunda luta.

A segunda luta, está visível a olhos vistos e nus e vale aqui a redundância, temos, tanto a grande mídia que a todo momento busca, usando a expressão do momento – Lacrar sobre o governo, para desacreditá-lo diante da população, bem como a oposição ao governo Bolsonaro formado pelas forças políticas que vivenciaram o poder formador do caos gerado pela primeira batalha comentada anteriormente.

Tal Lacração tem sido tão vil e baixa que a própria população – aqui destaco aquela parcela que ainda não se contaminou com o Esquerdopatus Víris (aqui conhecido como Petismus 13, Psolistis 50 PCdobras 51 ou na forma mais genérica Centranus), vírus mais devastador que o Covid 19 e que tem como ação principal minimizar a inteligência e causar graves danos na moral, ética, justiça, bons costumes entre outros sintomas, devastadores, sobre o ser humano, além de poder levar a ignorância total dos fatos e se tornarem zumbis, o que é muito visto em manifestações principalmente na maior delas quando ficavam em bando gritando LULA LIVRE ou MARIELLE VIVE.

A todo momento observamos a grande mídia, antes alimentada pelo dinheiro público, visando claramente esconder as mazelas geradas por estes mandatários do poder com viés esquerdopata, tentando desacreditar o governo do Presidente Jair Bolsonaro, com mentiras, com termos de duplo sentido, ataques pessoais e imorais muitas vezes, buscando alguma brecha que possa levar ao impeachment do presidente.

Um dos fatos mais marcantes, foi o ocorrido em 15/03/2020 quando o presidente se aproximou do povo que estava na porta do Palácio do Planalto e este se solidarizou com eles. Amplamente questionado pela mídia, que dizia que ele havia incentivado o movimento do dia 15/03, o que é uma mentira, visto que o mesmo pediu a todos que reconsiderassem tal movimento, porém, o povo que não está contaminado pelo vírus Esquerdopatus Virus em suas diversas formas, foi as ruas mostrar que estavam em guerra e essa guerra era conta as forças que querem derrubar um governo legitimamente eleito e com a maioria dos votos válidos. Salientamos tal fato, visto que esta estratégia de só contar os votos válidos, foi criada pelos mesmos que hoje querem contestar a legitimidade da eleição do presidente Bolsonaro, por não aceitarem terem perdido a eleição e com isso, o mando do poder e do dinheiro público, porque no fim das contas, o que eles querem é somente isso: Poder e o Dinheiro Público, alvos constantes da Esquerda em qualquer lugar do mundo.

Tal fato se fortalece pelas ações na China de não terem avisado a comunidade internacional sobre vírus que hoje devasta seres humanos e a economia mundial, enquanto a economia chinesa se recupera e até se levanta mais do que antes do referido vírus. Vemos desta forma que tais lutas enfrentadas pelo governo brasileiro e pelo povo do país é pesada, e ai falamos, tanto do povo de bem quanto o povo esquerdopata, pois, ambos podem ser infectados pelo Covid 19, e quem vai cuidar deles? O governo atual e eleito. Desta forma é uma total ignorância lutar contra o governo. Pois, todos podem perder.

Conclusão analítica dos fatos.
Nesta parte de nossa matéria não vamos analisar ou atacar a ninguém ou algo. Já o fizemos nas duas partes anteriores. Vamos colocar nossas considerações finais sobre o que achamos que o deveria se tomar de ações, sejam de que viés político possam ser.

Esqueçamos nossos pensamentos políticos, esqueçamos nossos vieses ideológicos ou fisiológicos, esqueçamos de que lado da cerca nós estamos, lembremos apenas uma coisa: Somos todos Brasileiros, vivenciando um caos e um problema de saúde que atenta contra todos, bastando para isso sermos seres humanos e com isso, somos suscetíveis ao Covid 19 e neste momento precisamos antes de tudo de união, de paz, de compreensão, de confraternização.

Nesta hora não podemos ser Lulistas, Ciristas, Marinistas, Bolsonaristas, Petistas, Psolistas, PCdeBistas, MDBistas, Tucanos, Centristas, Esquedistas, Direitistas, ou que diabo de nome queiram dar para as tendências fisiológicas que temos em nosso país quando se trata de política. Temos de ser apenas SERES HUMANOS BRASILEIROS.

Lembro aqui do fato ocorrido num Natal durante a Primeira Guerra Mundial onde Ingleses e Alemães se congraçaram em meio ao campo de batalha, por que era NATAL. Está na hora das forças políticas do país migrarem suas baterias de ataque contra o Covic 19.

Legislativo, Judiciário, Executivo em todos os níveis, devem pensar no bem maior – O País, o seu povo, a união de valores e ações contra um inimigo comum – Covid 19. Lembremos que ele não poupa ninguém, temos por exemplo, o Gen. Heleno com positivo do vírus, assim como o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Podemos ser empresários ou pobres de favela e ainda assim sermos infectados pelo vírus, mas, nosso sistema de saúde está debilitado e já comentamos sobre isto na primeira parte da matéria. Cabe aos governos verem com bons olhos as ações que devem ser tomadas:

– Não precisamos de prefeitos loucos querendo gastar milhões com Cultura de Janela, mas, sim, de milhões sendo investidos em testes de detecção do Covid 19.

– Não precisamos de eleições municipais neste ano, pois, não haverá tempo suficiente para formalizar todo o aparato necessário para tal pleito. Que se prorrogue os mandatos dos prefeitos e vereadores até 2022 e com isso unificamos as eleições no Brasil e não teremos mais gastos eleitorais de dois em dois anos, mas apenas de quatro em quatro anos. Tal gasto economizado, pode ser utilizado em Escolas, Segurança e HOSPITAIS, pois, dor de barriga não dá uma vez só.

– Não podemos ter desgastes de lutas políticas e acusações quando na verdade precisamos de um bloco único formado pelos Governos Federal, estaduais e municipais, mídia, seja ela grande, pequena, média, escrita, falada, televisada ou virtual, sem esquecer o grande empresariado, em suma precisamos hoje de um só bloco de ação.

Conclamo neste meu artigo o seguinte: Lula, Ciro Gomes, Maia, Alcolumbre, Toffolli, forças da Esquerda, do Centrão e da Direita, dos trinta e cinco partidos políticos etc. etc e etc., agora não é hora de pensar em PODER, é hora de pensar em salvar quem lhes dá podero Povo. Agora está na hora de fazermos uma corrente forte em prol da salvação de nossa nação, de nosso povo, de nossos valores brasileiros, como de povo acolhedor, amistoso, ordeiro, alegre.

Vemos pela internet Memes que, bem a cara do brasileiro, fazem graça com a crise que passamos, pois, esta geração que está aí nunca passou uma crise como esta, nunca enfrentou algo que pode matar milhares de pessoas em dias. Está na hora de um Gabinete de Crise Multipartidário, pois, a responsabilidade não é apenas do Governo Bolsonaro, é da Câmara Federal, Senado, Assembleias legislativas e Câmaras Municipais, Governos Estaduais e Municipais, Judiciário como um todo, ou seja: Os Três Poderes, independentes, mas, em prol dos verdadeiros donos do país – o povo, Harmonizados.

Nunca venceremos esta guerra se ficarmos internamente remando contra a maré, lutando contra tudo e contra todos. A mídia tem seu papel primoroso, informar, alertar, esclarecer, mostrar caminhos, não ficar de picuinhas porque perdeu o doce tirado da sua boca pelo atual governo e que foi dado pelos anteriores.

A guerra que o Covid 19 declarou ao povo brasileiro, o povo sozinho não tem como vencer, precisamos estar unidos em todos os cantos e pontos, para que possamos vencer essa batalha gigante contra um inimigo microscópico, mas, que acaba tendo aliados poderosos quando a oposição ao governo nada faz, a não ser atrapalhar e acusar injustamente.

Fechamos nosso artigo conclamando a todos que se unam contra um inimigo comum, vençamos o Covid 19 para salvaguardar nossas vidas, e se quiserem, depois de vencido o inimigo viral, voltarem às suas picuinhas políticas? Que voltem, até achamos necessário, senão, como vamos escrever matérias?

Agora é hora de união, e lembro uma coisa – o povo está vendo, o povo não está dormindo, aqueles que não ajudarem a vencer essa guerra, estarão perdendo as batalhas futuras no campo das eleições, pois, mesmo R$ 30,00 e um sanduiche de mortadela não paga a morte de um ente querido pelo inimigo mortal e comum – Covid 19.

Lembrem-se disto.

Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo