Opinião

Por que a ÍTALIA está ligada a Wuhan?

“O motivo porque a Itália foi fortemente atingida e particularmente ao Norte, você não ouvirá na mídia convencional, tomada por um obscuro e absurdo surto de amnésia. Todo mundo sabe que no mundo da moda, a etiqueta Made in Italy tem um valor distinto associado ao luxo e status, e que por isso custa mais caro.

Há três décadas esse valor começou a ser cobiçado pelos chineses e empresas chinesas passaram a se instalar na Itália, comprando lojas de grife, indústrias de couro e artigos têxteis italianos, tudo para manter o cobiçado rótulo Made in Italy em sua produção; assim, ao invés de mudarem as fábricas para a China, empresários mudaram os trabalhadores chineses para a Lombardia e Toscana (centrada em Milão e Florença). E onde fica baseada na China, a indústria da moda Made in Italy? “WUHAN” – lar das empresas que compram e dos trabalhadores baratos enviados para trabalhar em fábricas na Itália.

Em 24 de janeiro (o Ano Novo Chinês), dezenas de milhares viajaram da Itália para as comemorações, muitos para Wuhan, exatamente quando o vírus estava aumentando em sua cidade natal. E retornaram com o vírus encubado logo depois, daí os primeiros casos aparecerem em fevereiro.

Em 2010, só num pequeno subúrbio industrial italiano, já haviam 60 mil trabalhadores chineses. Atualmente, (conforme dados oficiais), existem mais de 200 mil regularizados na Itália. Na região da LOMBARDIA (a mais afetada) e em algumas províncias, a comunidade chinesa chega a representar mais de 50% da população. Detalhe é que o número é muito maior, considerando trabalhadores irregulares.

Só isso explica porque a Itália tornou-se a principal importadora do vírus de WUHAN e maior exportador europeu da infecção. Mas o que explica os relatórios de saúde italianos, não informarem os pacientes chineses? Eles não existem?

Por outro lado, agora vem uma boa notícia que desmascara o pânico midiático a serviço da Ditadura Comunista: Um estudo publicado pela Universidade de Oxford, na quarta-feira (25), mostra que as mortes diretamente ocasionadas pelo Covid-19, na Itália, representam menos de 12%. No Brasil somente 2%. E sim, 80% apresentam apenas sintomas leves e a maioria curada. E sim, hoje tem mais gente morrendo de depressão, do que do comunavírus.

O número pode ser terrivelmente maior, com desempregos e falências, sob o risco do causador da pandemia, ainda posar de bom moço salvador da pátria.

Moral da história

O medo e o pânico como resultado da imprensa mentirosa e histérica, matam mais que qualquer doença. Só a “grande mídia” mundial ganhou com esse surto de terror, porque o povo preso em casa, passou a lhe dar a audiência que havia perdido. O antídoto? Não ser manipulado.

DESLIGAR A TV E FAZER ISOLAMENTO DOS VEÍCULOS CONVENCIONAIS!

Fontes: várias pesquisas, Tuttitalia.it (demográfica), Universidade de Oxford, e Revista The American Spectator, no ar desde 1924.
Autor Desconhecido
Print Friendly, PDF & Email

Luiz Gustavo Chrispino

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo