Campeões da década: ‘loco por tri’, Grêmio conquista a Libertadores

Em 2017, sob o comando do ídolo Renato Portaluppi, Imortal Tricolor voltou a conquistar o título mais importante do continente

O futebol brasileiro e os principais campeonatos no mundo estão parados por conta da pandemia do Covid-19 (coronavírus). Para ajudar a passar o tempo e vencermos o duelo contra o vírus, destacamos os títulos internacionais dos clubes brasileiros na última década. Hoje é a vez de recordar o tricampeonato do Grêmio na Libertadores, em 2017. Comandado pelo técnico e ídolo Renato Portaluppi, o Imortal contou com Luan, Marcelo Grohe e companhia para voltar ao topo da América.

Com a Libertadores garantida, o Grêmio ainda teve pela frente o Independiente-ARG, na decisão da Recopa Sul-Americana. Nos pênaltis, mais um troféu para a galeria gremista.

Antes de relembrar os títulos do Tricolor, não se esqueça de conferir todos os passos para continuar na luta contra o coronavírus.

Goleadas, vitórias e classificação tranquila: Grêmio avança em primeiro no grupo

Dividindo o Grupo 8 com Guaraní-PAR, Deportes Iquique-CHI e Zamora-VEN, o Grêmio conseguiu avançar para o mata-mata sem muitos sustos. Foram quatro vitórias, um empate e apenas uma derrota. Na última rodada, o Imortal deu um show na Arena e aplicou um 4 a 0 sobre os venezuelanos, garantindo a liderança da chave.

Contra o Botafogo, um duelo que ‘pegou fogo’

Nas oitavas de final, o Grêmio passou com duas vitórias sobre o Godoy Cruz-ARG. Chegou, então, a um dos duelos mais difíceis do campeonato. Confrontos pegados e decididos no detalhe diante do Botafogo. A classificação veio após um empate sem gols no Rio de Janeiro, e uma vitória suada, com gol do artilheiro Lucas Barrios, em Porto Alegre. O Imortal continuava cheio de vida da Copa Libertadores.

‘MilaGrohe’ e a vitória em Guayaquil: Tricolor volta a decidir a Libertadores

Em um duelo cercado de expectativa, o Grêmio foi até o Equador para enfrentar o Barcelona de Guayaquil. Apesar de atuar fora de casa, o Tricolor deu um show e conseguiu mais uma contundente vitória: 3 a 0. Apesar dos gols, o grande destaque ficou por conta do camisa 1 gremista: Marcelo Grohe. Já atrás no placar, o Barcelona partiu para cima dos brasileiros tentando diminuir o prejuízo. E teve a chance nos pés do atacante Ariel, dentro da pequena área. No entanto, o goleiro do Grêmio voou para fazer uma das defesas mais impressionantes da competição. No jogo da volta, mesmo sendo derrotado por 1 a 0, o Grêmio garantiu a ida para a decisão da Libertadores.

Com ídolo Renato Portaluppi, Grêmio reconquista a América na Argentina

Na grande decisão, mais um duelo diante de uma equipe argentina. Dessa vez, o Lanús, que havia passado pelo River Plate na semifinal. Na ida, muito equilibro e pouca rede balançando. O meio-campista Cícero fez o gol único do jogo e garantiu uma vantagem mínima para a partida de volta.

Na volta, o Tricolor apostou nos contra-ataques e garantiu a terceira conquista da Copa Libertadores. Luan, que foi eleito o craque do torneio, e Fernandinho fizeram os gols da vitória por 2 a 1 no Estádio Ciudad de Lanús. Festa da torcida gremista, que foi em peso para a Argentina, e, em especial, do técnico Renato Portaluppi. O comandante conquistara seu segundo título de Libertadores com a camisa do Grêmio – o primeiro tinha sido como jogador, em 1983 –, o que lhe rendeu até uma estátua na Arena.

Confira a campanha completa do Grêmio na Libertadores:

Fase de grupos:

Zamora-VEN 0 x 2 Grêmio

Grêmio 3 x 2 Deportes Iquique-CHI

Guaraní-PAR 1 x 1 Grêmio

Grêmio 4 x 1 Guaraní-PAR

Deportes Iquique-CHI 2 x 1 Grêmio

Grêmio 4 x 0 Zamora-VEN

Oitavas de final:

Godoy Cruz-ARG 0 x 1 Grêmio

Grêmio 2 x 1 Godoy Cruz-ARG

Quartas de final:

Botafogo 0 x 0 Grêmio

Grêmio 1 x 0 Botafogo

Semifinal:

Barcelona-EQU 0 x 3 Grêmio

Grêmio 0 x 1 Barcelona-QUE

Final:

Grêmio 1 x 0 Lanús-ARG

Lanús-ARG 1 x 2 Grêmio

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Fonte: CBF
Sair da versão mobile