Esportes

Ituano conquistava o bicampeonato paulista há exatos seis anos

Meio-campista Cristian foi um dos principais personagens daquela conquista; clube já havia vencido em 2002

Qual o peso da conquista do Campeonato Paulista na história de um clube? A resposta para muitos certamente será: gigantesco. E na cidade onde tudo é ‘exagerado’, no bom sentido da palavra, o Ituano fez história e alcançou o bicampeonato estadual ao superar o Santos, em 2014.

Trajetória

A competição era composta por quatro grupos, onde os dois primeiros de cada chave avançavam às quartas de final, que seriam decididas em jogo único, assim como a semifinal. Após ficar na vice-liderança do Grupo B, o Ituano superou o Botafogo, nos pênaltis, e o Palmeiras, com vitória por 1 a 0, confirmando a vaga na decisão para enfrentar o Santos, que chegava pela sexta vez consecutiva na final do Paulistão.

“A gente sabia que o Santos era favorito. É um time grande e acostumado a jogar final, pensávamos apenas em ver como a gente ia se comportar. Chegar na final é difícil, jogar uma final é mais complicado ainda e ser campeão é outro campeonato, pesa muita coisa. Cada decisão, cada fala, tudo pesa. Era uma final, mas reagimos melhor que esperávamos, principalmente no primeiro jogo, quando poderíamos ter saído com maior vantagem”, relembrou o meia Cristian, camisa 10 do Ituano em 2014.

Após vencer o primeiro confronto, justamente com gol solitário de Cristian, o Ituano tinha a vantagem de jogar pelo empate no confronto da volta, realizado no Pacaembu, assim como o anterior. “No primeiro tempo do segundo jogo eles mandaram, a gente se sobressaiu nos outros três tempos. A decisão foi lá e cá. A gente era bem treinado e quando não conseguíamos definir rápido, tínhamos a capacidade de tocar a bola, como aconteceu no meu gol no primeiro jogo. Realmente merecemos”, disse.

Sentimento

Camisa 10 na época, Cristian apontou os motivos positivos daquela campanha. “Tem muitos fatores, mas acho que o mais importante é saber levar até quem não está jogando. Todo mundo era igual, a comissão técnica sabia levar, o Doriva (técnico) sabia gerir. Os treinamentos eram muito bons, o nosso jogo era consciente. Não é da boca para fora, nós agíamos com os pés no chão. O Marcinho (ex-jogador) era assim, dávamos o exemplo, a humildade de ser e jogar simples, era bonito”, destacou.

“É indescritível ser campeão paulista. Mas uma coisa que vejo em muitos clubes é que antes do campeonato falam muito sobre não cair. Todos os times têm de entrar com a intenção de ser o campeão. O jogador tem de estar preparado para aquilo. Existe uma sequência de trabalho e você tem que entender o motivo que o fez ganhar. Nós trabalhamos bem e merecemos a conquista”, completou.

Bicampeão paulista, o Ituano coleciona os títulos de 2002, quando superou o União São João e o de 2014, diante do Santos, no estádio do Pacaembu.

Foto: Leonardo Britos/FPF
Fonte: FPF
Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo