Campeões da década: São Paulo chega ao título inédito da Sul-Americana

Campeões da década: São Paulo chega ao título inédito da Sul-Americana

Com cinco vitórias e cinco empates na Sul-Americana de 2012, o Tricolor conquistou a competição pela primeira vez em sua história

O futebol brasileiro e outros importantes campeonatos do mundo estão paralisados por conta da pandemia do Covid-19. E para ajudar a diminuir a saudade do torcedor, destacamos os títulos internacionais dos clubes brasileiros na última década. Hoje, a lembrança vai mexer direto com as emoções da torcida são-paulina. 

Com a experiência de Rogério Ceni e o brilhantismo de Lucas Moura, o São Paulo conquistou a Sul-Americana de 2012 de maneira invicta. Foram cinco vitórias e cinco empates ao longo do torneio, 15 gols marcados e apenas dois sofridos. Chegou a hora de relembrar a trajetória do Tricolor rumo ao título inédito. 

Duelo tricolor na estreia e a odisseia rumo ao Equador

A caminhada paulista no torneio começou em Salvador. Diante do Bahia, o primeiro gol são-paulino na busca pelo título só podia sair dos pés de um jogador: Rogério Ceni. Depois de 11 meses sem marcar, o goleiro cobrou falta com a categoria que lhe era peculiar e abriu o marcador. Edemílson fez o segundo e decretou a vitória. No Morumbi, o placar se repetiu: 2 a 0, com gols de Willian José e Maicon. 

A batalha nas oitavas começou antes mesmo do apito inicial. Foram mais de 20 horas de viagem para enfrentar a LDU de Loja, do Equador. Em campo, o que se viu foi um duelo equilibrado que se refletiu também no placar: 1 a 1. Com o resultado fora de casa, o São Paulo poderia empatar o jogo de volta sem gols, que ficaria com a vaga. E foi exatamente o que aconteceu. 0 a 0 e classificação carimbada.

Chilenos pelo caminho, show nas quartas e tensão na briga pela final

Na partida de ida das quartas de final, Willian José marcou os dois gols da vitória sobre a Universidad de Chile e colocou o São Paulo perto das semis. A vantagem era boa, mas o Tricolor queria mais. No segundo jogo, a equipe deu show no Pacaembu. Sem dó, aplicou uma goleada por 5 a 0. Além do placar elástico, o torcedor foi presenteado com golaços de Jadson, Luis Fabiano e Rafael Tolói e com uma atuação inspirada de Lucas Moura, que deixou o dele e participou de outros dois gols. 

A um passo da decisão, o adversário da vez era a Universidad Católica, também do Chile. Fora de casa: 1 a 1, Rafael Tolói marcou o gol que faria a diferença. Pelo duelo de volta, adversário na retranca, placar zerado e tensão até os últimos segundos. E na base da raça, o Tricolor ficou com a vaga. Ao apito final, uma explosão de alívio e felicidade tomou conta de um Morumbi lotado. 

Duelo de 135 minutos e título inédito para o Tricolor

Na grande final, o São Paulo encarou o Tigre. Era decisão de torneio internacional, diante de um time argentino e em plena La Bombonera. Mas o primeiro encontro contra os hermanos terminou zerado. E a disputa pela taça ficou para o Morumbi. O confronto derradeiro terminou pela metade – depois de uma confusão no intervalo, os adversário não voltaram para a etapa complementar.

Nada que estragasse a merecida festa tricolor. Com a bola rolando, Lucas brilhou no primeiro tempo, balançou as redes e deu assistência para o gol de Osvaldo: 2 a 0 e título garantido para alegria dos mais 67 mil torcedores. 

Relembre a trajetória da conquista tricolor jogo a jogo:

Segunda fase:
Bahia 0 x 2 São Paulo
São Paulo 2 x 0 Bahia

Oitavas de final:
LDU de Loja-EQU 1 x 1 São Paulo
São Paulo 0 x 0 LDU de Loja-EQU

Quartas de final:
Universidad de Chile-CHI 0 x 2 São Paulo
São Paulo 5 x 0 Universidad de Chile-CHI

Semifinal:
Universidad Católica-CHI 1 x 1 São Paulo
São Paulo 0 x 0 Universidad Católica-CHI

Final:
Tigre-ARG 0 x 0 São Paulo
São Paulo 2 x 0 Tigre-ARG

Foto: Rubens Chiri/São Paulo
Fonte: CBF
Print Friendly, PDF & Email