Brasilia, capital de todos os brasileiros chega aos 60 anos!

Brasilia, capital de todos os brasileiros chega aos 60 anos!

“Deste Planalto Central, desta solidão que em breve se transformará em cérebro das mais altas decisões nacionais, lanço os olhos mais uma vez sobre o amanhã do meu país e antevejo esta alvorada”. A célebre frase de Juscelino Kubitschek, proferida ainda em 1956, ajuda a sintetizar Brasília, um verdadeiro museu a céu aberto com formato de avião, idealizada e inaugurada em 1960 pelo então presidente da República, e que completa 60 anos nesta terça-feira (21.04)

Projetada pelo urbanista Lucio Costa, que juntamente com o arquiteto Oscar Niemeyer, o paisagista Burle Marx e o artista Athos Bulcão deram forma à capital do país, Brasília ostenta o título de ícone mundial. Suas belas construções, erguidas por pioneiros, fizeram da cidade o primeiro bem moderno inscrito pela Unesco na Lista do Patrimônio Cultural da Humanidade (1987), além de levá-la a compor, desde 2017, a Rede de Cidades Criativas da entidade, no campo do design.

Não faltam símbolos que evidenciem a imponência do centro do Poder Público nacional. A capital, nascida do cruzamento de duas estradas de terra em meio à vastidão do Cerrado, exibe inúmeros atrativos ao longo do Eixo Monumental, o “corpo do avião”. Caso da Catedral, da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes, que abriga o Palácio do Planalto (Executivo), o Congresso Nacional (Legislativo) e o Supremo Tribunal Federal (Judiciário).

O espaço também é ornado pela famosa Torre de TV, com fontes luminosas, feira de artesanato e comidas regionais e de onde se tem uma vista panorâmica, além do Memorial JK, dedicado à história do ilustre criador da cidade. Já os espaços residenciais do Plano Piloto, as chamadas ‘asas Sul e Norte do avião’, reúnem abundantes locais arborizados e floridos, com um formato peculiar de ruas e quadras, que deixam claras as assinaturas de Lúcio Costa e Burle Marx.

As áreas verdes de Brasília também saltam aos olhos, com destaque para o Jardim Botânico e sua riqueza vegetal; o Parque da Cidade, encruado no meio da capital; o Parque Nacional de Brasília, conhecido como ‘Água Mineral’, e o Lago Paranoá, que adorna a cidade. Além disso, a cidade é ponto de partida para diversos destinos turísticos de Goiás próximos, a exemplo de Caldas Novas, Pirenópolis e a Chapada dos Veadeiros.

Esta última, juntamente com Brasília, Alto Paraíso e Cavalcante, em Goiás, integra um roteiro apoiado pelo Investe Turismo, programa do Ministério do Turismo em parceria com o Sebrae e Embratur que promove regiões estratégicas. A capital também oferece variadas opções culturais e gastronômicas, aprovadas inclusive por estrangeiros. Segundo o MTur, mais de 93% dos visitantes internacionais que estiveram na cidade em 2018 manifestaram intenção de retornar ao Brasil.

Para celebrar o aniversário de 60 anos – e inspirar planos de viagem futuros -, a Secretaria de Turismo do Distrito Federal vai proporcionar um tour virtual por pontos turísticos imperdíveis de Brasília, a partir da plataforma Google Earth. A ferramenta, que será disponibilizada nesta terça-feira, contemplará sete rotas: Cívica, Arquitetônica, Cultural, Náutica, do Cerrado, da Paz e Fora dos Eixos.

Além disso, desde segunda-feira (20.4), o Banco Regional de Brasília organiza o festival online BRB Play. Entre outras atrações, o público pode acompanhar shows de Nando Reis, Zélia Duncan, Oswaldo Montenegro, Dinho Ouro Preto, Scalene e Digão. A Setur-DF também lançou o movimento online “Juntos por Brasília, Juntos pelo Turismo”, que reúne esforços do trade turístico para superar dificuldades em meio à pandemia do novo coronavírus.

A Secretaria de Turismo do DF desenvolve ainda uma mobilização nas suas redes sociais para estimular a procura do DF como destino turístico no futuro. A iniciativa se soma a esforços do Ministério do Turismo, que, por meio da campanha “Não cancele, remarque!”, busca orientar viajantes quanto à importância de adiar planos e pacotes turísticos neste momento.

Desde o século 18, havia a ideia de se erguer na região central do Brasil uma cidade com todos os atributos da capital do então Império. No final do século 19, logo após a promulgação da República, em 1889, foi instituída uma missão chefiada pelo astrônomo Luiz Cruls, cujos trabalhos indicaram a posição da área demarcada para receber o futuro Distrito Federal, com o nome de “Quadrilátero Cruls”.

26036063637_5f01656a17_k (1).jpg

Juscelino Kubitschek tinha como bandeira o desenvolvimento econômico do Brasil a partir de ações como a transferência da capital do país do Rio de Janeiro para Goiás. Em 19 de setembro de 1956, JK sancionou a lei que fixou os limites do futuro DF, e no dia 2 de outubro do mesmo ano o então presidente conheceu o local. A construção de Brasília, que tinha um prazo inicial de três anos e dez meses, foi finalizada após cerca de mil dias de obras.

Print Friendly, PDF & Email