Flu inicia cedo preparação de atletas que seguem para Xerém

Flu inicia cedo preparação de atletas que seguem para Xerém

Responsável pela transição do Futsal para o campo, técnico do Sub-11, explica o processo de formação

O processo de desenvolvimento da base do Fluminense começa aos 6 anos de idade no futsal e tem sua transição para o futebol de campo, em Xerém, com a migração dos meninos para o Sub-11. Desde 2017, o técnico Diego Leonardo é o responsável por esta transição para uma categoria que é fundamental na formação dos jogadores.

O treinador afirma que a primeira visão, em Xerém, a de entender que os meninos devem ser tratados com respeito, como pessoas que são. “Por isso, ao longo da temporada, utilizamos o futebol como ferramenta para a qualificação na vida pessoal do atleta, transformando-os em pessoas melhores, para que tenham uma relevância social positiva no âmbito em que vivem”.

Diego Leonardo explica que os meninos recebem instrução para entender que devem sempre jogar para participar, sempre que possível, de todas as finais das competições que disputam, buscando um desempenho esportivo de acordo com a grandeza do Fluminense. “Jogar finais está na identidade tricolor desde a fundação do clube. Além disso, é importante mostrar ao torcedor um jogo ofensivo e de fino trato com a bola, pois foi assim que nossos seguidores foram acostumados ao longo da história do Tricolor”, “, define o responsável por ensinar aos jovens atletas os princípios da filosofia de jogo própria de Xerém.

Entre os principais objetivos da base do Fluminense, está o de desenvolver os jogadores para a equipe profissional, mas conquistando títulos, uma filosofia que está no DNA do clube. “Como treinador tenho como obrigação perpetuar a história do clube através nas minhas ações com os atletas em Xerém. Eles precisam saber o que foi a Máquina Tricolor, o Time de Guerreiros, quem foi Preguinho, Castilho, Gerson e tantos outros que marcaram não só do clube, mas o futebol mundial. Por meio dos valores que desenvolvemos na base (Comprometimento, Espirito de Equipe, Criatividade, Respeito e Meritocracia) estamos procurando pavimentar o caminho das futuras gerações de Guerreiros, que vão representar as Três Cores Que Traduzem Tradição dentro e fora dos campos de futebol”, conclui o técnico do Sub-11.

Fonte: Fluminense
Print Friendly, PDF & Email