News

COVID-19: O vírus pode estar presente nas partículas da poluição do ar

Cientistas italianos detectaram traços do coronavírus em partículas de poluição do ar como parte de um estudo preliminar.

Em um estudo preliminar, os pesquisadores detectam genes virais distintos nas partículas do ar, sugerindo que a doença pode se espalhar ainda mais.

“É impossível dizer neste momento se o vírus é viável ou se é capaz de causar infecções quando é transportado pela poluição”, de acordo com o The Guardian, que primeiro publicou as conclusões deste estudo na Sexta-feira (23/04).

Este último ainda não foi revisado por esses pesquisadores, mas relatórios e especialistas anteriores sugerem que esses resultados podem ser válidos e sujeitos a um exame mais aprofundado.

Se for verdade, o vírus pode se mover mais pelo ar do que os cientistas pensavam anteriormente. Isso também pode explicar a alta taxa de infecções no norte da Itália, uma região conhecida por ser muito poluída. A Itália foi duramente atingida pela pandemia e, em particular, no norte do país. O COVID-19 afetou 192.000 pessoas e deixou quase 26.000 mortos.

A pesquisa foi supervisionada pelo professor Leonardo Setti, da Universidade de Bolonha. A equipe detectou um gene COVID-19 distinto em partículas de poluição do ar retiradas de um local urbano e industrial, na província de Bergamo, perto de Milão. As conclusões foram apoiadas por um procedimento de triagem em um laboratório independente.

Outra pesquisa mostrou que a poluição do ar pode transportar micróbios e que as partículas da poluição do ar carregam com eles, provavelmente outros vírus – incluindo aqueles que podem causar gripe aviária, sarampo e febre aftosa, observou o Guardian .

O coronavírus circula através de gotículas liberadas no ar durante uma tosse ou espirro e entra no corpo pela boca, olhos ou nariz. Ele pode permanecer ativo nas superfícies por horas ou até dias, e pode entrar nos pulmões diretamente quando inalado.

As maiores gotículas que transportam o vírus podem ser jogadas até dois metros do portador do vírus, mas as menores ficam no ar por mais tempo e se movem mais rapidamente. É impossível dizer neste momento se as menores gotículas podem causar infecções.

Fonte: The Time Of Israel
Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo