Um encontro com Jesus (Yeshua) através de Ben Hur

Um encontro com Jesus (Yeshua) através de Ben Hur

Uma jornada de fé através das maravilhosas terras do mundo antigo

Continuamos em nossa peregrinação literária semanal rumo ao entendimento maior do que significa a salvação, o perdão e a nobre misericórdia de Cristo. A cada livro lido nesta jornada somos imbuídos de um desejo de adentrar mais e mais nas páginas de autores que souberam utilizar a literatura para propagar a mensagem da cruz. Nesta e na próxima segunda trabalharemos com o genial autor Lewis “Lew” Wallace e sua obra-prima Ben-Hur: Uma história dos tempos de Cristo.

Quantas vidas cabem em uma única e material existência? Se observarmos a magnitude que foi o autor em questão, ousamos dizer que quatro, todas vividas e regidas baixo princípios de honradez e bravura, pois, falamos de um homem que foi soldado americano, advogado, diplomata e autor, imortalizado graças ao livro que abordaremos, o qual é considerado um dos grandes clássicos da literatura mundial.

Filho de David Wallace, governador de Indiana e congressista norte-americano, o jovem era possuidor de uma mente obstinada; Podemos perceber por sua corajosa atuação militar tal obstinação e perseverança; foi promovido a major-general aos 34 anos, na época, um dos mais jovens a ocupar tal posição, e se destacou por defender a capital, Washington DC, do confederado Jubal A. Early, durante a Guerra Civil Americana, mesmo sendo as tropas deste, superiores às de Wallace. Não as derrotou, contudo, conseguiu fazer por um dia, frente a Early, impedindo que os confederados capturassem a capital federal.

Lewis Wallace deixou a escola aos 16 anos e grande parte da sua flúida e cativante escrita é fruto de leituras vastas a qual se submeteu no decorrer dos anos e, também, à sua mente tanto sensível como disciplinada e dedicada. Sua mente não via obstáculos formais para a literatura nem para advocacia, tendo se voltado a esta profissão em 1865 após renunciar ao exercito.

Interessante que mesmo sem uma formação tradicional ele tenha se disposto à tal carreira, sendo um dos muitos ilustres americanos a fazê-lo, como bem lembra João Ozorio de Melo, correspondente da revista Consultor Jurídico: “Abraham Lincoln, 16º presidente dos Estados Unidos durante a Guerra Civil, que aboliu a escravatura; Thomaz Jefferson, 3º presidente dos EUA e um dos “pais fundadores” da nação; John Adams, 2º presidente do país; John Marshall, que foi presidente da Suprema Corte; Daniel Webster, senador que moldou casos-chave da Suprema Corte; Clarence Darrow, advogado famoso e líder da União Americana das Liberdades Civis. Todos foram advogados que “pularam” a Faculdade de Direito.”

Ocupou por indicação presidencial dois cargos diplomáticos e conseguiu seguir os passos políticos do pai, tornando-se governador do território do Novo México (1878-1881) e, em seguida, ministro dos EUA na Turquia (1881-1885).

Embora seja famosa, a obra Bem Hur (1880), não foi seu primeiro romance histórico, e sim, The Fair God (1873), seguido por O Príncipe da Índia (1893). Como nos revela a acadêmica Alice B. Gordon: “Um estudo de Ben-Hur revela que se [Walter] Scott foi muito mais interessado em preservar o lado oculto do Folclore antigo, Wallace parece estar tentando preservar, juntos as lendas e mitos, a fé ancestral e seus efeito sobre a humanidade.”

Continuaremos na próxima semana com a análise da obra.

Imagem destacada divulgação

Print Friendly, PDF & Email