Ferrari tem muito trabalho a fazer para alcançar a Mercedes, admite Leclerc

Ferrari tem muito trabalho a fazer para alcançar a Mercedes, admite Leclerc

Esperava-se que a Ferrari oferecesse mais dificuldades aos atuais campeões mundiais Mercedes este ano, mas os testes antes da temporada sugeriram que eles haviam recuado, deixando Charles Leclerc admitir que eles têm muito o que fazer quando a temporada 2020 começar

Com base na corrida em Barcelona, ​​em fevereiro, parecia que a Ferrari era muito mais forte nas curvas, mas que a velocidade em linha reta e a vantagem geral de potência foram reduzidas e, juntas, combinadas para criar um pacote que estava fora do ritmo estabelecido pela atual campeã mundial Mercedes.

E Leclerc admite que a Ferrari tem uma campanha desafiadora pela frente se quiser diminuir a diferença para as Flechas de Prata.

“Ainda acredito que estamos lutando um pouco durante os testes, por isso precisamos nos atualizar”, disse ele, durante uma entrevista em vídeo em seu apartamento em Mônaco.

“Se conseguiremos ou não, eu não sei, mas no ano passado tivemos uma boa progressão ao longo do ano. Acho que precisamos continuar trabalhando como fizemos no ano passado e tenho certeza de que os resultados virão”.

No entanto, dadas as circunstâncias incomuns causadas pela pandemia de coronavírus, que deixa as equipes paralisadas por enquanto antes de ter que acelerar e correr sem testes adicionais, Leclerc calcula que todas as equipes enfrentarão desafios ao acertar no chão.

“Será uma temporada difícil para todos, porque assim que começar, não vai parar e não teremos mais folgas para desenvolver o carro mais do que os outros”, disse ele.

“Então, acho que o trabalho na pista será extremamente importante e mais do que em outros anos, porque passaremos muito tempo na pista sempre que a temporada reiniciar”.

“Será muito importante estarmos focados e prontos a partir da primeira corrida e os pilotos precisam poder dar o feedback certo para a equipe e tentar ajudar a equipe na direção certa imediatamente”.

Fonte: Fórmula 1
Print Friendly, PDF & Email