Esportes

Há 27 anos, Dener encantava com golaço em virada histórica da Portuguesa

 

Um jogão, seis gols, uma virada épica e um golaço histórico para fechar o placar. Todos estes ingredientes fazem com que a partida entre Portuguesa e Santos, no estádio do Canindé em 1º de maio de 1993, que pouco valia dentro do segundo turno do Campeonato Paulista, se tornasse inesquecível. Faz 27 anos que o meia-atacante Dener marcou um dos gols mais emblemáticos de sua curta carreira.

O clássico era válido pela antepenúltima rodada do segundo turno da primeira fase do grupo principal da competição, que classificava seis equipes para os quadrangulares semifinais. Com 36 pontos, o Santos tinha a classificação bem encaminhada, enquanto a Portuguesa somava 23 e estava bem distante de obter uma vaga na fase seguinte.

Classificado à fase final do torneio, mais tarde o Santos foi superado pelo Corinthians, líder da chave e que garantiu vaga na final, onde seria derrotado pelo Palmeiras, encerrando um jejum alviverde de 16 anos sem título. Com a Portuguesa eliminada, o craque Dener foi para o Grêmio, onde conquistou o título gaúcho da temporada.

O jogo

Em boa fase -não perdia há seis jogos- o Santos começou melhor. Cuca lançou Almir que foi no fundo e cruzou na medida para Neizinho, de cabeça, abrir o placar, aos 24 minutos do primeiro tempo. Já no segundo tempo o time da Vila Belmiro ampliou. Cuca sofreu falta batida com perfeição por Raniélli, aos 11 minutos: 2 a 0 para o Santos.

A reação lusa se iniciou logo na sequência, aos 17 minutos. Baiano tabelou com Dener e cruzou para Bentinho diminuir, de cabeça; dois minutos mais tarde foi a vez de Dener servir Bentinho, após linda tabela com Tico. De dentro da pequena área, o centroavante lusitano apenas empurrou a bola para o fundo do gol para empatar o confronto.

Entrando no segundo tempo na vaga do lateral direito Zé Maria, Tico foi fundamental para a virada do time da casa. Aos 29 minutos ele recebeu lindo lançamento de Bentinho, por cima da defesa, dominou de frente para o goleiro Gomes e com toque sutil, na saída do arqueiro, marcou o terceiro gol da Portuguesa.

O Santos foi atrás do empate e num contra-ataque, Dener fez com que o jogo entrasse para a história. Após bola alçada na área lusa, Baiano ficou com ela na lateral direita, tocou para Tico que conduziu pela lateral até a intermediária ofensiva, onde encontrou Dener. O toque para o camisa 10 lusitano foi precedido do avanço pela ponta, na espera por nova tabela entre os dois. Dener fez diferente, porém.

De costas para a marcação de Índio, dominou o passe já girando o corpo em direção ao meio do campo. No segundo seguinte colocara a bola por entre as pernas do lateral direito santista e na correria superou ainda o outro lateral, Silva. Entre Dener e o gol fantástico estava o goleiro Gomes, que saiu para o abafa como quem espera a finalização. Dener, com mais um toque genial fintou o goleiro, mas adiantou um pouco a bola. Um carrinho e o toque com o peito do pé evitaram que a bola se perdesse pela linha de fundo e encontrasse as redes. Golaço que finalizou o resultado de um grande jogo: 4 a 2 para a Portuguesa.

Ficha técnica
Portuguesa 4×2 Santos
Data:
 1º de maio de 1993;
Competição: Campeonato Paulista;
Local: Estádio Oswaldo Teixeira Duarte, no Canindé;
Público: 19.979 pessoas;
Renda: Cr$ 1.645.150.000;
Árbitro: Joaquim Carlos Caetano;
Gols: Neizinho 24’ do 1ºT; Raniélli 11’, Bentinho 17’, Bentinho 19’, Tico 29’ e Dener 36’ do 2ºT;

Portuguesa: Carlos; Zé Maria (Tico), Wladimir, Augusto e Paulinho Goiano; Capitão, Baiano e Dener (Miltinho); Paulinho, Bentinho e Dinei.
Técnico: Pepe.

Santos: Gomes; Índio, Maurício Copertino, Gallo e Silva; Darci, Cuca e Raniélli; Almir, Neizinho e Cilinho.
Técnico: Evaristo de Macedo.

Fonte: FPF
Print Friendly, PDF & Email
Botão Voltar ao topo