Antigo Palestra Itália venceu o Alvinegro por 3 a 0, com três gols do ponta direita Caetano Izzo no Parque Antárctica

O dia 6 de maio é especial para dois dos principais vencedores paulistas, já que há exatos 103 anos, Palmeiras e Corinthians se enfrentavam pela primeira vez na história. Na oportunidade, o então Palestra Itália, percussor do Palmeiras, venceu o Corinthians por 3 a 0, com três gols de Caetano Izzo no antigo Parque Antárctica, local onde hoje foi construído o Allianz Parque, estádio palmeirense.

Dono de uma das maiores rivalidades do futebol mundial, Palmeiras e Corinthians se enfrentaram pela primeira vez em 1917. Logo de cara, Caetano Izzo, antigo ponta-direita alviverde escreveu o seu nome na história do clássico sendo o primeiro a balançar a rede adversária. E logo de cara, o ex-jogador anotou os três tentos na vitória por 3 a 0.

Dérbi
Conhecido como “Dérbi”, o confronto entre Palmeiras e Corinthians ganhou tal apelido na primeira metade do século XX. A nomenclatura fazia alusão ao Derby de Epsom, a corrida de cavalo mais importante do mundo. Thomaz Mazzoni, importante jornalista das décadas de 1930 e 1940, que ganhou destaque no jornal A Gazeta Esportiva, foi o autor do batismo.

No retrospecto geral, o equilíbrio é a marca do Dérbi. As duas equipes já se enfrentaram 362 vezes, com 127 vitórias para cada lado, além de 108 empates. O time alviverde já balançou as redes 517 vezes e sofreu 481 gols.

Camisa 10

Considerado um dos maiores camisa 10 do Palmeiras, Ademir da Guia é o recordista de jogos pelo clube, com 902 aparições. Curiosamente, a sua estreia e despedida aconteceram em um Dérbi. O Divino estreou em uma vitória por 3 a 0, em 1962 e se despediu do clube com um revés por 2 a 0, em 1977. O jogador anotou quatro gols diante do Corinthians e sempre que foi às redes, nunca foi superado pelo Alvinegro -duas vitórias e dois empates.

Do outro lado, Rivellino, um dos maiores camisa 10 da história do Corinthians também se despediu do clube em Dérbi. O jogador vestiu as cores corintianas na decisão do Campeonato Paulista de 1974, quando o Palmeiras venceu por 1 a 0. O “Reizinho do Parque”, apelido que ganhou por ter sido revelado nas categorias de base alvinegra, marcou seis gols contra o maior rival, colecionando duas vitórias, dois empates e duas derrotas sempre que marcou.

Lá e cá…
Ao longo da história, 24 jogadores do Corinthians se transferiram diretamente para defender o Palmeiras, enquanto 23 atletas saíram do Alviverde para o rival. Indiretamente, a conta se torna ainda mais de profissionais que defenderam as duas instituições como no caso de Cláudio, o “Gerente”.

Maior artilheiro da história do Corinthians, com 305 gols, Cláudio, que também defendeu Santos e São Paulo, viveu a transição de Palestra Itália para Palmeiras, sendo o responsável pelo primeiro gol da equipe com a nomenclatura Palmeiras, no dia 20 de setembro de 1942.

Outro personagem que fez sucesso nos dois clubes foi o técnico Oswaldo Brandão. O ex-treinador é o recordista de jogos pelo Palmeiras, com 585 aparições, e também quem mais esteve à frente do banco de reservas do Corinthians, com 439 jogos.

Pelo Palmeiras, Brandão conquistou os campeonatos Paulista em 1947, 1959, 1972 e 1974; além de três vezes o Campeonato Brasileiro, nos anos de 1960, 1972 e 1973. Pelo Corinthians venceu o Torneio Rio-São Paulo em 1954 e 1966, além dos estaduais de 1954 e 1977, ano em que ajudou o clube a encerrar um jejum de 23 anos sem títulos.

Ficha técnica:
Palestra Itália 3 x 0 Corinthians
Competição:
 Campeonato Paulista, primeiro turno
Local: Parque Antarctica, em São Paulo (SP);
Data: 6 de maio de 1917 – domingo (tarde);
Árbitro: Octavio Bicudo;
Gols: Caetano Izzo, 18’/2ºT (1-0), Caetano Izzo, 25’/2ºT (2-0) e Caetano Izzo, 39’/2ºT (3-0).

Palestra Itália: Flosi, Grimaldi, Bianco, Bertolini, Picagli, Fabbi, Ministro, Caetano Izzo, Heitor, Orlando e Martinelli. Técnico: Bianco Spartaco Gambini.

Corinthians: Russo, Adelino, Casemiro González, Ciasca, Plínio, César Nunes, Américo, Marconi, Amílcar, Apparício e Neco. Técnico: Amílcar Barbuy.

Fotos: Acervo histórico/Palmeiras e Cesar Greco

Fonte: FPF
Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments