Paradigma Newtoniano-Cartesiano

Paradigma Newtoniano-Cartesiano
Por Gabriela Garcia.

Paradigma Fragmentador e dualista

Venho trazer hoje uma reflexão sobre o paradigma newtoniano-cartesiano que vivemos no Ocidente, com o intuito de despertar a consciência, de que nossa sociedade, vive um paradigma que é um dos fatores responsáveis por grande parte dos desequilíbrios que vemos mundo a fora e pelos nossos próprios.

Vamos começar com a pergunta: o que é um paradigma?

Etimologicamente, este termo tem origem no grego paradeigma que significa modelo ou padrão, correspondente a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido em determinada situação.

O Paradigma Cartesiano ou Newtoniano, caracteriza-se por uma visão mecanicista e materialista do conhecimento e da vida. Diz que para conhecer o todo é necessário dividi-lo em várias partes e estudar cada uma dessas partes individualmente. Esse paradigma criado por René Descartes e Isaac Newton, foi muito importante para época e para as máquinas, tendo uma concepção linear e mecanicista do universo com uma ideia lógica e racionalista que nega o sagrado e a subjetividade.

Já para os seres humanos e para o todo, esse paradigma trouxe consequências nefastas que acarretam boa parte dos problemas que vemos hoje. Porque é uma visão racionalista, fragmentadora e separadora, onde se revela como uma verdade parcial e reducionista.

As consequências que vemos é uma visão de mundo em defesa da postura materialista moderna, o consumo desenfreado, poluição e destruição dos recursos naturais, ganância de conquista material, egoísmo, guerras etc. Tudo isso existe, por causa dessa desconexão com todas as partes que muitos acham serem externas.

Há uma revolução no mundo acadêmico científico que traz outro paradigma que é o paradigma integrativo com uma visão sistêmica da vida e do mundo. Nada está separado, existe uma interdependência essencial entre todos os fenômenos – físico, biológico, psicológico, sociais, culturais e espirituais.

Então hoje eu vim falar sobre esse paradigma, porque é de fundamental importância para o despertar da consciência individual e coletiva. Quebrando o conceito de unidade, pois somos todos um, e precisamos Ser ao invés de Ter. Não deixar de perder a capacidade de sermos seres humanos ao invés de máquinas voltadas a executar sem questionar.

Não esquecermos de que somos seres integrados a tudo, ao outro, a natureza, animais, universo, planeta. Nosso corpo também é conectado. Nosso corpo físico com nossas emoções, nossa mente, pensamentos, consciência, espiritualidade, ou seja, tudo está interligado e correlacionado.

Não existe o eu e o outro, não existe dentro e fora, tudo é aqui, tudo é você e tudo somos nós.

Print Friendly, PDF & Email