Há um homem das estrelas, esperando no céu. Ele Gostaria de vir e encontrar-nos. Mas ele pensa que iria confundir nossas cabeças” StarMan – David Bowie. Tradução livre.

Um dos maiores mistérios da humanidade está relacionado ao nosso lugar no universo. Seria o planeta Terra a única casa habitada em meio a uma vizinhança de planetas inabitados no universo?

Independente da crença religiosa que se professe, ou da visão filosófica de criação do mundo que se tenha como base, é demasiada arrogância ou conformismo crer que em meio a toda a infinidade de planetas no universo, somente a Terra seja habitada por formas de vida inteligente. Isso porque já é mais que comprovado a existência de organismos vivos em Marte, conforme ratificou o ex engenheiro da NASA Gilbert Levin, que relatou em 2019 para a revista Scientific American, onde afirma que desde os anos 70 já haviam sido encontradas e estudadas formas de vida microrgânicas semelhante as encontradas em nossos oceanos, que foram extraídas do planeta vermelho.

Porém, não é recente essa curiosidade pelo que existe para além da Terra, fazendo com que por muitos séculos o homem olhe para o céu, e nesse processo de observar o céu que no século XVIII, Willian Herschel, observou as alterações na superfície de Marte e deduziu a existência de formas de vida no planeta vermelho, que é o nosso vizinho mais próximo. Embora existam milhares de relatos de objetos não identificados que são apontados como de origem extraterrena, até hoje não foram conclusivas as respostas. E se a resposta já estiver entre nós? E ao invés de olhar para o céu, olhássemos para o passado?

Segundo a hipótese denominada de Teoria do Astronauta Antigo, que tem como principais defensores Erich Von Däniken e Zecharia Sitchin, também conhecida como Paleocontato, no passado a humanidade foi visitada, e até mesmo influenciada por seres extra terrestres, e os seres humanos daquela época não compreendendo a tecnologia extra terrestre, acreditaram que seus visitantes do espaço eram deuses, algo semelhante ao que aconteceu quando os nativo americanos, principalmente os astecas, viram os europeus desembarcando de suas caravelas, montados em cavalos, trajando suas armaduras, e ficaram ainda mais deslumbrados com o poderio bélico dos seus visitantes “celestiais”.

Neste sentido, uma nave espacial poderia muito bem ser descrita pelos homens de séculos atrás como a carruagem de fogo do deus hindu Vishnu, ou uma arma a laser poderia muito bem ser confundida com os raios de Zeus, dentre outras tecnologias desconhecidas para o homem antigo e que seriam facilmente compreendidas como mágicas.

Desta forma, os defensores da teoria afirmam que os seres de outros planetas visitaram a Terra no passado, interagido com os seres humanos, ou até mesmo sido eles os criadores da humanidade, por meio de engenharia genética, como defende Zecharia Sitchin, em sua hipótese dos Anunnaki, onde o estudiosos realiza uma reinterpretação dos deuses e mitos sumérios, de forma a entender que os deuses na verdade eram seres advindos de outro planeta, chamado Nibirú, e que estes forma responsáveis pelas modificações genéticas nos primatas terrestres que levou a criação do homem, além de terem copulado com os seres terrestres criando seres híbridos, como os Nefelim pré-diluvianos, ou as bestas mitológicas.

Além de moldarem a humanidade, segundo a corrente do teórico Von Däniken, nossos visitantes do espaço também influenciaram na cultura e principalmente na arquitetura antiga, onde em distintas partes do mundo, civilizações que jamais se comunicaram, realizaram feitos arquitetônicos que com a tecnologia atual são impossíveis de se reproduzir, bem como as similaridades entre si, onde observa-se pirâmides sendo construídas pelos egípcios, e do outro lado do mundo os astecas também erguiam pirâmides.

Do mesmo modo são atribuídas a influência extraterrena outras edificações do passado no qual não se sabe hoje a funcionalidade, como as Linhas de Nazca, que os geoglifos só podem ser vistos de elevada altitude ou como foram esculpidas e entalhadas com precisão milimétrica as ruínas de Puma Punku, onde nenhuma ferramenta atual produziria uma réplica similar.

Nesta senda, a Teoria do Astronauta Antigo ganhou maior notoriedade em meados de 2010, com o programa de televisão do History Chanel intitulado Alienígenas do Passado, onde vários adeptos da teoria como o icônico Giorgio A. Tsoukalos, David Wilcock e o próprio Von Däniken, que dissecam de forma pormenorizada todas as nuances no qual se adequaria a teoria.

Entretanto, por se tratar de uma pseudociência, existe pouca credibilidade na teoria, levando-se em conta a série de armações, no qual comprovou-se ação humana, como o caso das Caveiras de Cristal, bem como, a falta de embasamento científico, sendo todas as lacunas históricas facilmente preenchidas pela resposta extraterrestre. Além do fato de que analisando-se friamente a pressuposição de uma civilização de outro planeta, com infinita superioridade em tecnologia e poderio bélico, hipoteticamente viesse a pisar em solo terrestre, por se tratar de uma civilização super avançada, não teria ela a preocupação ética de ocultar sua verdadeira existência?

Bem como ocorreria o mesmo que ocorre, sempre que uma civilização com poderio e tecnologia mais avançados se depara com uma civilização mais atrasada. Uma relação de submissão, exploração e imposição tirânica, como ocorreu quando os astecas foram visitados pelos espanhóis. Por este motivo, a teoria mais plausível, é a de que nunca fomos visitados por seres extraterrestres, ou se fomos, eles perderam o interesse pela Terra. Motivo pelo qual o cientista Stephen Hawking, em 2010 ao ser entrevistado pelo canal Discovey Chanel, desaconselhou toda tentativa de contato com seres de outro planeta, ou até mesmo o envio de mensagens para o espaço, por acreditar nas consequências desastrosas desse contato, comparando-o com a vinda de Cristóvão Colombo para as Américas, onde o cientista em analogia colocou os aliens no lugar dos espanhóis, e a humanidade no lugar dos índios, e afirmou que a relação de submissão seria desastrosamente similar.

Em suma, a Teoria do Astronauta Antigo, é fascinante e verossímil em vários aspectos, entretanto carece de materialidade cientifica, sendo portanto meramente especulativa e de dúbias fundamentações comprobatórias, sendo desacreditada pelos mais renomados cientistas contemporâneos.

Referência Bibliográfica:
– BOTTERO, Jean. No Começo Eram Os Deuses. Civilização Brasileira. 2011.
– CUNNINGHAM, Clifford J. The Scientific Legacy of William Herschel. Springer. 2017.
– DÄNIKEN, Erich Von. Eram os Deuses Astronautas?. Melhoramentos. 2005.
– HARDY, Chris H. As Guerras dos Anunnaki: Autodestruição Nuclear na Antiga Suméria. Madras. 2019.
– MARINO, Vito. Os Deuses Não Eram Astronautas. Editora Santarém. 2013.
– SAGAN, Carl. Os Dragões do Eden. Gradiva. 2002.
– SITCHIN, Zecharia. Havia gigantes na terra: Deuses, semideuses e antepassados humanos: a evidência do DNA alienígena. Madras. 2018.
– SITCHIN, Zecharia. O Livro Perdido de Enki: Memórias e Profecias de um Deus Extraterrestre. Madras. 2017.
Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments