Antes mesmo do lançamento oficial da Operação Verde Brasil 2, na segunda-feira (11), militares das Forças Armadas já atuavam sigilosamente em diversas ações dentro da área da Amazônia Legal. Em apoio a órgãos de controle ambiental e de segurança pública os militares previnem e reprimem delitos ambientais, como desmatamento ilegal e focos de incêndio.

Desde então, medidas para coibir atividades ilegais são realizadas por militares, agentes da Polícia Federal, da Policia Rodoviária Federal, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), da Força Nacional de Segurança Pública, da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

O Comando Conjunto Príncipe da Beira, que atua a partir da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, em Porto Velho (RO), desde domingo (10), cumpre mandados judiciais, fiscaliza e interdita madeireiras, realiza patrulhamento motorizado e reconhecimento aéreo na Floresta Nacional de Jacundá, além de estabelecer pontos de bloqueio e controle de estradas. Até o momento, foram apreendidos 6 mil metros cúbicos de madeira obtida ilegalmente.

No Pará, o Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea opera organizado em quatro bases. Só nos dois primeiros dias da operação, a 23ª Brigada de Infantaria de Selva, sediada em Marabá (PA), apreendeu 23 máquinas escavadeiras, dois veículos e munição calibre 12 em um assentamento em Vila União (PA).

Na capital mato-grossense, a 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, que sedia o Comando Conjunto Barão de Melgaço, estabeleceu base no município de Sorriso, no mesmo Estado, em apoio às ações do IBAMA, do Instituto de Desenvolvimento da Amazônia (IDEA) e da Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente (DEMA) no município de Nova Ubiratã (MT). A ação resultou na apreensão de 3 mil metros cúbicos de madeira.

O Comando de Operações Aeroespeciais (COMAE), sediado em Brasília, também atua na Operação Verde Brasil 2 coordenando atividade aérea dos voos de mobilização.

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, na segunda-feira (11), visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020, e tem validade para o período de 11 de maio a 10 de junho deste ano.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA). Como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF). Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Por Tenente Felipe Bueno

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments