Crônicas

Conspiração ou Inspiração?, ou o ideal Globalista

Compartilhar

Já perceberam que quem usa a expressão “teoria da conspiração” de maneira pejorativa, parece não perceber que ela expressa exatamente a situação exposta por tal teoria?

Vamos entender melhor. Toda teoria, seja ela da natureza que for, baseia-se em indícios da realidade. A veracidade da teoria cresce na medida que os indícios se tornam fatos e tais podem ser verificados.

Quando se fala de conspiração, a investigação dos indícios tem o mesmo peso que em qualquer outra teoria. Mas a dificuldade está em que o próprio ato de conspirar denota para uma atuação secreta, e deixar oculto um plano qualquer é exatamente o que faz dele uma conspiração.

Logo, surge o dilema dos pesquisadores de conspirações: como buscar indícios e fatos de algo cuja natureza é se manter oculto?

Vamos deixar a resposta dessa pergunta para outra ocasião, pois o plano que quero analisar aqui já não tem nada de secreto.

Com o surgimento da crise sanitária causada pelo COVID19, a mídia internacional tem propagado de maneira ainda mais aberta a idéia do Globalismo, sugerindo que crises globais demandariam soluções globais. Este intento por parte de uma elite mundial de ideólogos, burocratas e magnatas, já não é mais novidade para aqueles que pesquisam esse tema, acompanhando de perto o movimento de instituições como a ONU e a UE. Há, inclusive, entre esses pesquisadores, quem diga não estarmos mais num estágio de implantação do governo mundial, mas de ampliação, dados os indícios de que tal implantação já tenha ocorrido.

O curioso é que, mesmo diante da propaganda escancarada feita atualmente pela mídia internacional, muitos ainda insistem em classificar pejorativamente o estudo do Globalismo como “teoria da conspiração”. Ora, se não há mais como esconder as investidas globalistas, por que a maioria ainda insiste em negá-las?

Entendi então que não se trata de negar o plano em si, mas de negar o seu caráter ocultista. Quem reprova o ideal globalista é tratado como conspiracionista justamente por aqueles que se inspiram nesse ideal e não reconhecem nada de oculto na existência de um projeto global de domínio social e manipulação das massas.

Há ainda aqueles que se inspiram nos ideais globalistas mesmo conhecendo sua natureza oculta, mas não encaram esses ideais como algo que deva ser combatido, tornando, assim, conspiracionista quem recusa o ideal, e não quem o promove.

Pergunto-te: o ideal Globalista é para você conspiração ou inspiração?

Desde os versos de John Lennon que multidões de pessoas imaginam “all the people” como uma grande comunidade global, unida numa ciranda de igualdade, liberdade e fraternidade. Estão completamente cegos diante do mal que é viver enganado nessa ciranda materialista “no heaven, no hell”.

Se este é o seu caso, quero aqui deixar um recado:

“And no religion too” não vai rolar! “Heaven and hell” se manterão apesar de você, pois não são parte da criação humana, mas da criação divina. O ideal globalista, que não passa de um governo anticristão contra Deus e a Sua Igreja, deve ser apontado não somente como teoria da conspiração, mas como um plano conspiratório contra a vontade de Deus, pois, enquanto não vierem novos céus e nova terra pelas mãos do Criador, sempre haverá um povo dizendo:

“Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o Teu Nome, venha a nós o Teu Reino, seja feita a Tua vontade aqui na terra como é feita no Céu…”

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhar

Vinícius Martins

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo
Translate »