“Estamos tranquilos, até o momento, com a situação das companhias aéreas”, afirmou, nesta terça-feira (26), o ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, ao se referir ao pedido de recuperação judicial apresentado pelo grupo Latam Airlines aos Estados Unidos. Segundo o ministro, trata-se de um movimento estratégico da empresa porque existe suficiência de caixa.

“Quando ela faz isso, congela dívidas de financiamento que passam por uma discussão com uma comissão de credores. Assim, ela consegue cancelar contratos que não são importantes para a operação. É um movimento que estamos monitorando e que, no Brasil, ainda não aconteceu porque as companhias estão confiantes na linha de financiamento disponível pelo BNDES. A situação está sob controle”, enfatizou durante coletiva no Palácio do Planalto.

Freitas também mencionou a operação para trazer 40 voos fretados, com 960 toneladas de máscaras de proteção para serem distribuídas a todos os estados em auxílio ao tratamento da pandemia do coronavírus. Até o momento, dez voos aterrissaram no Brasil. “Essa operação está se encaminhando de forma bastante adequada. Temos voos chegando todos os dias. Conseguimos prestar apoio ao município do Rio de Janeiro, que trouxe EPIs e ventiladores da China, e, também, ao governo do estado de Roraima”, disse.

O ministro também citou a continuidade das obras públicas, mesmo durante a pandemia, com destaque para os R$ 2 bilhões executados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), de janeiro a abril. Neste ano, já foram entregues 15 km de duplicação na BR-381/MG, 27 km de duplicação na BR-116/RS, 15 km de duplicação na BR-101/BA, 5 km de duplicação na BR-432/RR, um terminal portuário em Parintins/AM e terminais portuários em Navegantes/SC.

Na próxima semana, serão entregues 32 km de pavimentação na Transamazônica. Freitas também destacou a participação do Exército nas obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que seguem com cem funcionários trabalhando normalmente, sem registros de Covid-19.

MALHA PAULISTA – Freitas também reiterou a assinatura de contrato da renovação antecipada da Rumo Malha Paulista, que acontece nesta quarta-feira (27). “A confiança do investidor permanece. Serão investidos R$ 6 bilhões nos próximos cinco anos. Vamos dobrar a capacidade da ferrovia, saindo de 35 milhões para 75 milhões de toneladas no período. Isso vai nos ajudar a transportar a carga do Centro-Oeste e do Sudeste até o Porto de Santos”, comemorou.

Fonte MI Imagens

Print Friendly, PDF & Email

Facebook Comments

Comments are closed.