Censura Togada

Censura Togada

O ministro do STF Alexandre de Moraes autorizou 29 mandatos de busca e apreensão como relator da CPI dos MEMES (como humoristicamente ficou conhecida a CPI das FakeNews). O cumprimento do mandato ocorreu na manhã de hoje, 27/05/2020, quase um mês após a prisão de dois senhores que protestavam pacificamente em frente à residência do ministro.

De Rey Biannchi a Dom Luiz de Orleans e Bragança, passando por empresários, políticos, militantes e jornalistas, a PF cumpriu mandato de busca e apreensão de celulares e notebooks na casa de apoiadores do governo Bolsonaro.

Enquanto isso, o sigilo bancário e telefônico dos advogados milionários de Adélio Bispo continua resguardado.

Ninguém, na alta cúpula do Judiciário brasileiro, se importa em saber como que um garçom freelancer foi capaz de pagar as custas de um dos maiores escritórios advocatícios de MG. Em contrapartida, a fabricação de MEMES políticos, a reportagem de notícias incômodas ao establishment brasileiro e as manifestações pacíficas contra os desmandos da cúpula togada seguem como alvo de policiamento do Ministro.

Até quando este senhor e seus camaradas gozarão de privilégios processuais nas altas esferas de poder do país, enquanto a nação aguarda ansiosa o cumprimento da Justiça sobre a tentativa de assassinato do então candidato e atual Presidente da República?

Precisamos restaurar o senso de proporções na hierarquia de prioridades do nosso Poder Judiciário. Não podemos aceitar que atos pacíficos de expressão popular sejam criminalizados pelo STF, enquanto a tentativa de assassinato de Jair Bolsonaro seja esquecida na gaveta de um juiz ou delegado qualquer.

Enquanto MEMES forem mais ameaçadores que uma facada no abdômen, seguiremos perguntando #QuemMandouMatarOPresidente?

#STFVergonhaNacional

Print Friendly, PDF & Email