IFRS tem o primeiro projeto patenteado – Cadeira de rodas mais de mais fácil transporte

IFRS tem o primeiro projeto patenteado – Cadeira de rodas mais de mais fácil transporte

Produto recebeu a carta-patente em abril; inventor quer que seja ofertado no SUS.

Pela primeira vez, um Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) teve um projeto patenteado. Trata-se da cadeira de rodas com sistema rotular bilateral de dobramento da estrutura frontal. A invenção é resultado de pesquisa aplicada de Juliano Toniolo, professor da instituição.

A carta-patente, recebida pelo Núcleo de Inovação e Tecnologia da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação do IFRS em abril, dá ao Instituto a propriedade do modelo e o direito do projeto.

A cadeira de rodas patenteada foi idealizada com o objetivo principal de atender pessoas com deficiência, bem como ser um produto de manuseio mais fácil, como por exemplo, ser inserível em um carro. O projeto, desenvolvido no campus Caxias do Sul, no qual Toniolo leciona, foi executado com a cooperação do setor produtivo meta.

Segundo o docente, a cooperação com tal setor tornou possível o recebimento da carta-patente e demonstrou que vale a pena investir na união entre Instituto, empresa e governo. “Percebo, como servidor, que desenvolver trabalho na linha voltada à pesquisa aplicada, em cooperação com o setor produtivo, é o caminho mais certo a ser seguido pelos Institutos Federais. Minha visão é que o depósito de novas patentes deverá ser, cada vez mais, estimulado e garantido como política pública”, disse .

O maior desafio para o professor, agora, é que a patente resulte em um produto inovador e se destine a atender o Sistema Único de Saúde (SUS).
Projeto – A cadeira de rodas desenvolvida por Toniolo é resistente mecanicamente e possui uma estrutura que permite a dobra em “S”, inovadora. No país, existem dois outros tipos de cadeira de rodas: a monobloco e a que dobra em “X”.

A cadeira de rodas patenteada tem o objetivo de facilitar o transporte e proporcionar segurança. Foram realizados testes pelo Instituto Senai de Tecnologia em Madeira e Mobiliário em Bento Gonçalves (RS). Foram avaliadas as condições de durabilidade, apoio para os pés, manípulos e freios. “Constatou-se que estão adequadas. Agora, estão em processo de certificação junto ao Inmetro”, disse Toniolo.

Para o desenvolvimento do protótipo dessa invenção, o IFRS contou com a parceria da empresa metalúrgica Leandro de Lima. O empreendimento contou com o apoio da Fundação de Articulação e Desenvolviento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência no Rio Grande do Sul.

Juliano Cantarelli Toniolo é formado em Engenharia de Metais pela UFRGS. Leciona e pesquisa no campus Caxias do Sul, do IFRS, há dez anos. E, em 2020, com uma década de trabalho à frente da instituição, desenvolveu o primeiro projeto patenteado do Instituto.

Fonte: gov.br/mec / Imagem em destaque: Ifrs.edu.br

Quando começamos o Press Periódico para tentar trazer a verdade para o resto do mundo, sabíamos que seria um grande desafio. Mas fomos recompensados pela incrível quantidade de suporte e feedback dos leitores que nos fizeram crescer e melhorar.

Faça parte da missão de espalhar a verdade! Ajude-nos a combater tentativas de silenciar nossas vozes, torne-se um assinante, clicando no banner acima. Muito conhecimento para sua VIDA!

– 7 DIAS GRATUITO.

– US 1,00 mensal apenas.

– US 10,00 anual (com todos os benefícios nesta opção, press, magazine, artigos científicos diversos, entre outros acessos).

Aproveite e experimente por 7 dias gratuitos.

Print Friendly, PDF & Email