Portos do Paraná reforça compromisso com os ODS

Portos do Paraná reforça compromisso com os ODS
04/2019 - Porto de Paranaguá. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

Com mais de 20 programas ambientais permanentes, a partir de condicionantes do Ibama, o Porto de Paranaguá é reconhecido internacionalmente pelo cuidado com a natureza e as comunidades locais.

A empresa Portos do Paraná reforça o compromisso com o pacto Global das Nações Unidas e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para o milênio. Além de manter mais de 20 programas ambientais permanentes, dentro das condicionantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Porto de Paranaguá segue reconhecido internacionalmente pelo cuidado com a natureza e as comunidades locais.

Em 2019, esse reconhecimento fez com que a empresa pública fosse a única do setor portuário convidada para palestrar em um dos eventos paralelos oficiais da Conferência das Partes sobre Mudança Climática da ONU (COP-25), em Madri, na Espanha.

Para os próximos anos, a gestão portuária busca alternativas inovadoras. Uma das linhas de atuação é a permacultura, que desenvolve um sistema para a criação de ambientes humanos sustentáveis e produtivos em equilíbrio e harmonia com a natureza.

“Nas aulas dos programas de educação ambiental, por exemplo, está em fase de planejamento a inserção de noções de técnicas de bioconstrução e de permacultura, uma metodologia australiana de gestão ambiental para sistemas de escala humana”, explica do diretor de Meio Ambiente, João Paulo Ribeiro Santanna.

Segundo ele, a aplicação está alinhada com a visão mais voltada para as comunidades que residem na área de influência dos portos paranaenses. “É uma maneira mais humana de enxergar o meio ambiente, promover o empoderamento desses povos, através do uso de energias renováveis, da ciclagem de nutrientes, da redução de descarte de resíduos sólidos, entre outros.”

No campo de energia renovável, Santana conta que está em estudo um modelo de biodigestor em grande escala para ser utilizado pelos equipamentos da infraestrutura dos portos do Paraná. “Modelo que, futuramente pode ser aplicado em escalas menores nas comunidades”.

A Diretoria de Meio Ambiente dos portos paranaenses já testa, em parceria com a empresa prestadora do serviço, um sistema integrado de monitoramento da coleta e destinação de resíduos sólidos.

“Dentro das caçambas de lixo serão instalados sensores, rastreados via satélite, que permitem aos gestores do contrato saber se as caçambas estão vazias ou cheias, a temperatura interna, para agir imediatamente em caso de incêndio, e mau cheiro”, afirma Santana.

“No serviço de varrição das ruas do porto, os termos de referência de contrato já preveem monitoramento rastreado via satélite das varredeiras, o que no futuro permitirá aos contribuintes saberem a posição exata dos equipamentos e o número do contrato da prestadora do serviço, buscando eficiência, efetividade, controle e transparência na gestão”, completa.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Quando começamos o Press Periódico para tentar trazer a verdade para o resto do mundo, sabíamos que seria um grande desafio. Mas fomos recompensados pela incrível quantidade de suporte e feedback dos leitores que nos fizeram crescer e melhorar.
Faça parte da missão de espalhar a verdade! Ajude-nos a combater as tentativas de silenciar nossas vozes e torne-se um assinante.

Print Friendly, PDF & Email