Cozinha do Hospital Regional/MS tem papel importante no tratamento e recuperação dos pacientes

Cozinha do Hospital Regional/MS tem papel importante no tratamento e recuperação dos pacientes

A cozinha hospitalar é um dos braços fortes no tratamento e recuperação dos pacientes. O corpo humano necessita de uma nutrição balanceada com proteínas, gordura e carboidratos. A subnutrição ou a má nutrição expõe as defesas e baixa a imunidade, tornando o corpo vulnerável a doenças.

A desnutrição ou a má alimentação durante o período de internação aumenta o risco de infecções, agravos na saúde do paciente e aumenta o tempo de internação. Nesse sentido, a avaliação de cada caso, uma dieta balanceada e correta para cada paciente, torna-se a maior aliada da recuperação.

Tendo essa visão do serviço de nutrição, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul trabalha dentro de um padrão de excelência. Normatizados por instituições reguladoras e de fiscalização na área da saúde, o setor conta com uma cozinha onde são feitas as refeições dos pacientes, acompanhantes e dos servidores. Ao todo, são 80 colaboradores que diuturnamente se empenham na preparação dos alimentos.

O contador Nivaldo Lopes da Silva, de 57 anos, está internado devido a um AVC. Está no CTI há 4 dias e se alimenta da refeição do hospital. “Hoje comi frango, arroz e legumes. É uma comida diferente do que é feita em casa, deve ser por causa dos temperos, mas é muito saborosa”. Nivaldo tomou café da manhã, fez um lanche (colação) e ainda vai receber o lanche da tarde, jantar e ceia.

A nutricionista Carol Eickhoff, responsável pelo balanceamento nutricional das refeições servidas no Hospital Regional, preparou um cardápio repleto iguarias contendo saladas, molhos, pratos protéicos com carnes, aves e verduras, além de sucos e frutas. É possível saborear no refeitório da instituição pratos como arroz carreteiro, carne assada e farofa.A mesma refeição que o paciente de dieta livre recebe é servida no refeitório do hospital para os servidores. Em média, 2800 refeições diárias são preparadas para pacientes e funcionários. Esse número pode variar com a refeição dos acompanhantes, que durante a pandemia está restrita no hospital.

“Ontem comemos uma costela que estava deliciosa. Até banana real já foi servida aqui”, relata a médica intensivista e diretora técnica do HRMS, Patrícia Rubini, que se orgulha de almoçar todos os dias no hospital”.

Para a diretora-presidente do Hospital Regional, Rosana Leite de Melo, a Coordenadoria de Nutrição busca manter uma qualidade constante no preparo e dos alimentos, tanto dos funcionários, quanto dos pacientes. “Todos nós vivemos uma rotina de esforço diário e acabamos nos alimentando mal, comendo produtos industrializados, ricos em gorduras saturadas e carboidratos. A nutrição hospitalar modifica esse cotidiano, pois é feito um estudo no balanceamento dos proteínas e carboidratos servidos em cada refeição. É completamente diferente de você almoçar em casa ou na lanchonete da esquina. A comida é muito saudável, saborosa e nutritiva”, avalia.

Fonte: Governo do Mato Grosso do Sul

Quando começamos o Press Periódico para tentar trazer a verdade para o resto do mundo, sabíamos que seria um grande desafio. Mas fomos recompensados pela incrível quantidade de suporte e feedback dos leitores que nos fizeram crescer e melhorar.
Faça parte da missão de espalhar a verdade! Ajude-nos a combater as tentativas de silenciar nossas vozes e torne-se um assinante.

Print Friendly, PDF & Email