Apenas 1% dos trabalhadores portuários são diagnosticados com a Covid-19

Apenas 1% dos trabalhadores portuários são diagnosticados com a Covid-19

O secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, participou, nesta quinta-feira (04), da live Papo em Movimento, organizada pela Intermodal South America. Em conversa com Hermano Pinto Junior, diretor da tradicional feira de infraestrutura e logística, Piloni ressaltou que as medidas de enfrentamento ao coronavírus no setor portuário estão sendo eficazes. De um universo de 50 mil trabalhadores, somente 1% (cerca de 500 profissionais) foram diagnosticados com a Covid-19. “Consideramos que o número está dentro do controle quando pensamos em um público que acaba se expondo mais ao risco”, disse.

Piloni falou, entre outros temas, sobre a edição da MP dos Portuários, que garante cobertura financeira aos trabalhadores afastastados por estarem em grupo de risco. No total, entre 15% e 20% dos trabalhadores foram afastados com a garantia salarial pelos Órgãos Gestores de Mão de Obra (OGMOs). Além disso, ressaltou o fato de que a MP garante que as aglomerações nos portos sejam evitadas. “Eu via grandes quantidades de trabalhadores reunidos e ficava preocupado. Trouxemos a escalação eletrônica, que tem sido um sucesso. Os próprios trabalhadores reconhecem a importância disso”, pontuou.

O secretário afirmou ainda que, mesmo durante a pandemia, as agendas de concessões do setor continuam em andamento, com a recente públicação dos editais para leilões de terminais de celulose no Porto de Santos (SP), por exemplo, além do cronograma de desestatizações e contratos assinados para a implementação de novos Terminais de Uso Privado (TUPs).

Sobre o maior porto do país, Piloni ressaltou o novo Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ), que foi discutido em mais de 50 reuniões com sindicatos e empresas do mercado, e segue uma linha de prever maior movimentação de contêineres do que a média geral do porto. “Enquanto prevemos aumento de 50% nas cargas de forma geral, nossa estimativa é aumento de 64% na movimentação de cargas conteinerizadas”, observou. O secretário disse, ainda, que um dos pilares do novo PDZ é dotar o Porto de Santos de maior capacidade ferroviária.

BR DO MAR – Segundo o secretário, o programa de incentivo à cabotagem deve ser enviado via projeto de lei, em breve, ao Congresso Nacional e vai alavancar ainda mais as operações na costa brasileira. Atualmente, elas ocupam 11% da matriz logística, sendo 70% referente ao setor petroleiro. “Há espaço para o crescimento de operações de carga geral e de contêineres pela cabotagem”, avaliou. Outras diretrizes do programa são a redução a zero do imposto de importação de embarcações estrangeiras, já em vigor, e a flexibilização do afretamento tanto a casco nu (navio afretado sem bandeira) quanto a tempo (navio afretado com bandeira estrangeira), o que vai permitir crescimento na frota para melhor prestação de serviço.

Por fim, Piloni disse que a pasta trabalha em um programa de incentivo à navegação interior. “Estamos organizando um plano de ação para termos, talvez, um BR do Rio, que vai garantir melhoria de marco regulatório e fomento às hidrovias. Da mesma forma que a gente se compromoteu na cabotagem, faremos com a navegação interior”, concluiu.

Fonte MI Imagens MI

Print Friendly, PDF & Email