Reeleição de Donald Trump pode colocar em apuros os planos de dominação chinesa

Reeleição de Donald Trump pode colocar em apuros os planos de dominação chinesa

As chances de reeleição do líder americano são cada dia mais fortes, para China essa seria uma notícia catastrófica.

A vitória eleitoral de Donald Trump como presidente dos EUA há quatro anos deve-se em por diversos fatores e grande parte pela política internacional catastrófica de presidentes anteriores que levaram o poderoso gigante norte americano a posições delicadas.

Um dos elementos foi a atração dos eleitores a Trump como um “homem contra o globalismo comunista”, comparado ao “sistema” personificado por Hillary Clinton, esposa de um ex-presidente e ligada a muitos interesses obscuros, A eleição de Trump também foi um tapa na cara da NON.

Hoje, Trump é a esperança para milhões de americanos após demonstrar nos últimos 4 anos que América pode voltar a recuperar grande parte de sua força econômica e liderança mundial.

Outra fonte importante de apoio a Trump veio da América tradicionalista, patriótica e nacionalista, inquietos e alarmados por uma ordem mundial que eles não entendem na qual os EUA parecem empobrecer em vez de enriquecer.

Durante os protestos, a bolsa de valores dos EUA sacudiu, mas se manteve. Isso pode significar mais confiança para Trump, e também pode sinalizar dias piores para seu rival Joe Biden.

O presidente dos EUA, Donald Trump, volta à Casa Branca escoltado pelo Serviço Secreto depois de aparecer do lado de fora da igreja episcopal de São João do outro lado do parque Lafayette, em Washington, DC, em 1 de junho de 2020. Foto: AFP / Brendan Smialowski

Ataques a lojas, distúrbios e violência contra indefesos levados a cabo grupos terroristas fortaleceram o líder Americano, que apresenta propostas de segurança para a nação.

As tropas se reúnem durante ataque em 1º de junho de 2020 em Washington, DC Joshua Roberts – Getty Images – AFP

Protestos sobre a China

Isso não é apenas sobre a América, no entanto. Nos últimos dois anos, houve um deslize cada vez mais rápido em direção a um confronto direto EUA-China que está mudando o equilíbrio político global.

O achatamento gradual do confronto EUA-China está levando a UE e o Reino Unido para o lado dos EUA e, por muitas razões, o Reino Unido poderá ser mais útil aos interesses da segurança global.

Além disso, especialmente no contexto de um confronto com a China, os EUA não podem ser “iliberais” porque perderiam uma de suas armas mais importantes com Pequim: Seus valores liberais fundadores. Eles são, por exemplo, a defesa da liberdade e o favor da justiça justa, totalmente o oposto do país comunista.

Então, como o presidente unirá os Estados Unidos e seus aliados sobre a China agora?  Trump pode conseguir ganhar o apoio da outra metade do país, para assim acabar com a idéia de um novo presidente patético que pode levar o país a um novo declinio.

Para China um democrata no poder seria o ideal para seguir com suas regras falsas do jogo comunista. Uma derrota de Trump levaria ao desmantelamento todos os esforços conquistados até o comento.

Além das divisões, existe um consenso geral de que toda a série de infortúnios globais recentes começou com a chegada do vírus chinês.

Imagem de destaque: O presidente dos EUA, Donald Trump, chega no Air Force One em Pequim, China, 8 de novembro de 2017. Foto: AFP / Pool


Ver Também

Print Friendly, PDF & Email