Presidente Jair Bolsonaro participou da inauguração de Hospital de Campanha em Goiás para pacientes com Covid-19

Presidente Jair Bolsonaro participou da inauguração de Hospital de Campanha em Goiás para pacientes com Covid-19

O presidente da República, Jair Bolsonaro, participou, nesta sexta-feira (5), da inauguração do primeiro hospital de campanha construído pelo Governo Federal para atender pacientes com Covid-19. A unidade fica em Águas Lindas de Goiás (GO). 

O hospital será mantido pelo governo de Goiás, que custeará insumos e equipe, e vai atender a demanda de pelo menos sete municípios goianos localizados na região chamada de entorno do Distrito Federal, com população estimada de 1,2 milhão de habitantes. 

Com cinco mil metros quadrados, o hospital de campanha tem 200 leitos de internação. Inicialmente, serão utilizados 60 leitos, sendo 50 de enfermaria e dez de Unidade de Terapia Intensiva, de acordo com a secretaria de saúde de Águas Lindas de Goiás. Os demais serão disponibilizados de acordo com a necessidade.  

O hospital conta ainda com tomógrafo computadorizado e laboratório para realização de exames, refeitório e alojamento para os profissionais de saúde.  O investimento do Governo Federal na obra foi de R$ 10,5 milhões. 

Profissionais treinados 

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, a equipe que vai atender a população no hospital de campanha de Águas Linda de Goiás será formada por 263 colaboradores diretos, entre eles 45 médicos, 85 enfermeiros e técnicos em enfermagem, 23 fisioterapeutas, além de farmacêuticos, psicólogos nutricionistas. 

Antes de iniciar o atendimento, os profissionais receberam capacitação para atuar no tratamento e combate ao novo coronavírus.

O acordo de cooperação entre os governos federal e de Goiás prevê o funcionamento da unidade por quatro meses.

Impactos da Pandemia 

Ao discursar na cerimônia de inauguração, Bolsonaro falou sobre os impactos da pandemia do novo coronavírus no País e disse que o Governo Federal trabalha para reduzir as consequências. Ele citou o desemprego provocado pela doença. 

“O Governo Federal, apesar dessa pandemia que atingiu o mundo todo, vem trabalhando arduamente para buscar soluções, fazer com que a economia volte a girar o mais rápido possível. Sabemos que 38 milhões de informais tiveram sua renda reduzida a quase zero. Também o pessoal formal, com carteira de trabalho, uma parte considerável, não precisamos o número ainda, mas perderam seu emprego, outros tiveram que renegociar uma redução salário”, declarou.

Bolsonaro ainda afirmou que o desemprego só não foi maior porque o Governo Federal anunciou medidas emergenciais para manter o emprego e a renda e auxiliar as empresas.

O presidente falou ainda sobre as consequências sociais provocadas pela pandemia e disse esperar que a economia se recupere rapidamente. “A taxa de desemprego cresce, quando ela cresce, a violência também aumenta. Tem aumentado com a questão do isolamento a violência doméstica. Questões que tem a ver com a saúde e com o bem-estar do cidadão. Então, a gente espera que essa questão do vírus, se Deus quiser, se atenue rapidamente de forma que o comércio volte a funcionar e o efeito colateral do combate a pandemia não seja mais danoso que o vírus em si”.

Fonte gov.br

Ajude-nos a levar o jornalismo independente a todas as partes!

Graças ao apoio de leitores como você, é possível realizar um excelente trabalho jornalístico de pesquisa e investigação, oferecendo um serviço sério de alta qualidade com imprensa livre e jornalismo independente.

Em uma época em que notícias falsas e distorcidas estão em todas partes, seu apoio é vital para o bom desenvolvimento da informação.

Entre no link abaixo e nos ajude a continuar o nosso trabalho com informações gerais que podem ser lidos por toda a família em uma abordagem que prima pela ética e pelo respeito ao leitor.

Print Friendly, PDF & Email