Ministro da Infraestrutura conversa com empresários sobre projetos para a Baixada Santista

Ministro da Infraestrutura conversa com empresários sobre projetos para a Baixada Santista

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, participou na tarde desta sexta-feira (19) de uma live com empresários, promovida pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) da região da Baixada Santista. Tarcísio deu um panorama geral dos projetos de concessão e obras que estão em andamento no país e atualizou os participantes sobre o andamento dos empreendimentos que estão em execução na região.

Uma das questões levantadas pelos empresários foi sobre o andamento do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) do Porto de Santos, fundamental para o desenvolvimento racional das atividades e da ocupação das áreas portuárias no longo prazo. Tarcísio tranquilizou o grupo dizendo que ele será aprovado nos próximos dias e que será colocado em prática imediatamente. “Além das transformações que ocorrerão com a implementação do PDZ, o ministério prevê o investimento de R$ 2,9 bilhões em atividades correlatas ao porto, como melhorias em rodovias e linhas férreas”, declarou.

O ministro lembrou que a prorrogação da Malha Paulista irá beneficiar 40 municípios que estão ao longo da via. O contrato foi renovado por mais 30 anos, mediante uma série de contrapartidas que injetarão R$ 6 bilhões em recursos privados na ampliação da capacidade de transporte, em melhorias urbanas, além de gerar empregos e aumentar a arrecadação federal. Somente em outorgas a União arrecadará R$ 2,9 bilhões com a renovação. Ele lembrou que já foram duplicados 15 quilômetros da BR-163/PA e do bom andamento das obras de melhorias na BR-487/PR, no trecho entre Icaraíma (MS) e Umuarama (PR). E que as obras na BR-153/SP, em São José do Rio Preto, deverão ser concluídas até dezembro deste ano.

Os empresários também questionaram o ministro sobre o investimento em hidrovias. “Já estão sendo realizadas obras de dragagem, sinalização e balizamento nas hidrovias dos rios Madeira, Tapajós e Paraguai. Estamos conversando com terminais privados que tenham interesse em operar na região para que recebam a autorização de movimentação de cargas”, declarou.

Ele também falou sobre o projeto Pró-Brasil, que possui uma frente que busca melhorar o ambiente de negócios com menos intervenção do estado e flexibilização da regulação e legislação. “Nenhum investidor estuda nossa legislação para participar de apenas um leilão. Esse é nosso diferencial. Temos um portfólio de projetos robusto e sofisticado e é importante que todo o setor produtivo nos ajude a construir este ambiente atrativo para investimentos”, concluiu.

Fonte MI Imagens MI

Print Friendly, PDF & Email