Explica Nelson! Aí, eu explico depois

Explica Nelson! Aí, eu explico depois

“Uma hora depois, entro na redação e apanho a correspondência. Ao abrir o primeiro envelope, tomo um susto. Era um leitor irritadíssimo. Lera algumas “Confissões” e vira em mim um brutal reacionário. Não queria, porém, ser injusto. Por isso, pedia ou exigia que eu me definisse sobre a Educação Sexual. Sou contra ou a favor? Bem. Vou ser o mais taxativo possível:

– Sou contra. E, para evitar qualquer dúvida, ou sofisma, direi com a maior ênfase: – “Absolutamente contra”. Não sei se me entendem. A Educação Sexual devia ser dada por um veterinário a bezerros, cabritos, bodes, preás, vira-latas e gatos vadios. No ser humano, sexo é amor. Portanto, os meninos, as meninas deviam ser preparados, educados no amor. Se meu leitor progressista ainda não está satisfeito, direi algo mais.

O homem é triste porque, um dia, separou o Sexo do Amor. Nada mais vil do que o desejo sem amor. A partir do momento da separação, começou o processo de aviltamento que ainda não chegou ao fim. E, assim, o homem tornou-se um impotente do sentimento e, portanto, o anti-homem, a antipessoa.”

(Nelson Rodrigues, O Reacionário)

Nunca, esse brilhante dramaturgo e jornalista foi tão feliz em uma de suas dilacerantes conclusões. Discução sobre Educação Sexual, Ideologia de Gênero, Liberdade Sexual, Trans, e outras coisas, não é do ser humano, e sim, de alguém que transcende a vulgaridade e passa para o lado da mediocridade humana.

Vemos tais fatos serem discutidos em televisões, em programas, que a emissora acha educativo, mas, como ela própria, acho destrutivo. Foi-se o tempo em que as crianças eram crianças, que brincavam livremente e com arrobos de felicidade. Hoje, trancadas dentro de suas casas, vendo “Netos” destruidores de ideias e imaginações infantis, vejo como fui injusto com alguns certos brinquedos mais evoluidos – Playstations, XBox e outras coisas, pelo menos lá, você até pode aprender a matar um zumbi, mas, continua sendo um menino e uma menina, e não uma criançx, um adolescentx.

Foi-se o tempo em que brincadeiras de criança era Coletivas – Piques, Amarelinhas, Garafão, Pular Corda, Passar Anel, até a safadinha… Pera, Uva, Maçã ou Salada de Frutas onde sempre se arrumava um jeito de dar um beijo na garota bonita que você gostava com a ajuda de um amigo ou amiga e… com certa conivência permissiva da mesma.

Eu com certeza tive infância e adolescência, e com um agravante pra lá de fundamental – Em pleno REGIME MILITAR DE 1964. A tal DITADURA que a esquerdopatia adora tanto bradar. O pior que de quem mais eu ouço essa babozeira, são de pessoas que nasceram nos anos 80, ou seja, nunca viveram os HORRORES DAQUELA DITADURA. Principalmente nas praias. Era uma ditadura – principalmente ao ver as belas meninas.

Bom e velho Mate Leão e Biscoito Globo – e as beldades da DitaDura na praia.

Hoje, esse amaldiçoado Politicamente Correto distorce tudo, eu confesso sou a favor do Politicamente INCorreto sem sombras de dúvida. Para mim Mulher é Mulher, Homem é Homem, Viado e Viado, Sapatão é Sapatão e cada um ama como quer, como deseja, como bem gosta. Quer brincar de Papai e Mamãe? Oba… Quer queimar a rosca? Seja feliz… Quer Colar Velcro? Vai em frente. Só não destrua a infância e a ingenuidade de nossas crianças, com pervertismos e posições politicamente corretas, apenas na cabeça torta desse bando de esquerdopatas que querem destruir o que existe de mais sagrado no mundo – As Crianças.

Jesus já dizia, – Vinde a mim as criançinhas, pois delas são o Reino do Céu. Quero ser Criança eternamente na minha imaginação. Quero me lembrar das coisas que me davam medo. Merthiolate vermelho e Chinelos Havaiana, Injeção, Vacina… Por que? Da uma olhadinha nas fotos.

Nunca fui Traumatizado por isso, pelo contrário, aprendi o que era certo e errado, meio na marra as vezes, mas, aprendi. Vivi, não era uma gripinha que me derrubava… Gotinha? (reconheço totalmente a grandiozidade da vacina do Doutor Sabin) era pra fracos, o negócio era raspar e furar o braço. E quando tinha uma treta qualquer? Corria pra casa pra chamar a mamãe? Chorava que era Bullying? Coisa nenhuma resolvia ali na hora.

Sem contar que comer as coisas era uma maravilha, pois, além do ja falado e maravilhoso Biscoito Globo que até hoje eu como e com deleite, tinham as guloseimas que a gente comia sem medo, sem receio de engordar, pois, a gente comia e corria pra brincar, desgastava tudo.

Volto então para o dileto Nelson Rodrigues e acrescento – Educação Sexual? Politicamente Correto? Ideologia de Gênero – SOU VICERAL E ABSOLUTAMENTE CONTRA.

Tenho dito


Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Somos o DUNA PRESS JORNAL. Uma Agência de Notícia On-Line, trabalhando com informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e pelo respeito ao leitor. DUNA Press Jornal – Jornalismo Ético, Sério e Informativo.

Clique aqui e torne-se um assinante de nosso jornal.


Clique aqui e adquira na Amazon.com, em E-Book ou Impresso

Print Friendly, PDF & Email