Paradoxo de Bootstrap e os Emaranhados Temporais!

Paradoxo de Bootstrap e os Emaranhados Temporais!

“Ontem, hoje e amanhã não são consecutivos, eles estão conectados em um círculo sem fim. Tudo está conectado!”

Noah – Dark

                É evidente que os acontecimentos do passado influenciam nos acontecimentos do futuro. Mas os acontecimentos do futuro, poderiam influenciar nos acontecimentos do passado? Para os teóricos de viagens no tempo e os entusiastas da física não convencional, pode ser uma hipotética realidade, estudada no nominado Paradoxo de Bootstrap, ou Paradoxo Ontológico. Quem está acompanhando a terceira e última temporada da série germânica Dark certamente deve ter ouvido falar em tal paradoxo, não lhes sendo estranha a sua definição.

                Imagine hipoteticamente, que você de alguma forma consiga ter acesso a uma máquina do tempo, e viajando para o passado, você entrega para um jovem vendedor de jornais chamado Thomas Alva Edison, os esboços do projeto da primeira lâmpada elétrica. O jovem Edson, apaixonado por ciência, resolve desenvolver um protótipo seguindo rigorosamente o projeto que lhe fora entregue, e assim desenvolve a lâmpada elétrica como a conhecemos hoje. Até este ponto, não existem incongruências, todavia, o cerne do Paradoxo de Bootstrap está no fato de que: a pessoa do presente não inventou a lâmpada, ela simplesmente apanhou os dados técnicos de uma invenção já existente, e viajou para o passado, entregando o projeto para o jovem Thomas Edson. Todavia, Thomas Edson também não inventou a lâmpada (na hipótese), pois simplesmente seguiu as instruções que recebeu do viajante no tempo. Assim sendo, no caso hipotético, a lâmpada elétrica não foi criada por ninguém, nem pelo viajante, nem pelo seu conhecido inventor. Sendo desta forma um objeto criado pelo referido paradoxo.

                A etimologia do Paradoxo de Boodstrap está relacionada a expressão “ser puxado pelos cadarços do seu próprio calçado”, e foi utilizada pela primeira vez com a semântica atual na história By His Bootstraps de Robert Anson Heinlein, publicada em 1941.

                Para muitos teóricos da viagem no tempo, tal evento tornar-se-ia impossível, pois violaria a Segunda Lei da Termodinâmica, que versam sobre a impossibilidade de alterar-se a entropia dos objetos, que presumivelmente sofreriam durante o processo de viagem no tempo, não sendo desta forma o mesmo objeto a viajar no tempo, sendo assim gerado um novo.

                Outro dilema levantado no estudo deste paradoxo está relacionado ao princípio da predestinação, que pode ser exemplificado através do Paradoxo do Avô, onde hipoteticamente uma pessoa viaja para o passado e assassina seu avô, quando este era muito jovem. Isso impediria que um de seus genitores tivesse nascido, e logicamente que o próprio viajante do tempo houvesse nascido. Mas se ela conseguisse realizar tal feito, como ela havia sido gerada?

                Neste sentido, existe uma teoria levantada, que busca preencher as lacunas abertas ao analisar-se as inconsistências que seriam geradas com as viagens no tempo, na década de 80 o físico russo Igor Novikov desenvolveu uma tese conhecida como Princípio da Autoconsciência de Novikov, onde foram abertas várias janelas de possibilidades para além curva de tempo tipo fechada, onde em teoria, ao modificar-se um acontecimento no passado, como por exemplo o assassinato do avô, sem deixar o viajante do tempo de existir, ou sendo uma inconsistência impossível em decorrência de uma linha temporal linear. Pois ao assassinar o avô, o viajante no tempo abriria a possibilidade para uma nova linha temporal em um universo alternativo com todas as consequências de seu ato, incluindo o seu não nascimento, ao passo que a sua linha temporal permaneceria inalterada. Algo que é comumente representado nas histórias em quadrinho da Marvel Comics e da DC Comics, tendo sido representado com grande maestria pela Marvel em 1995 na saga Era de Apocalipse dos X-Men, no enredo que mostra um universo alternativo onde o professor Xavier morreu muito antes de formar a equipe X, e por isso quem lidera os mutantes é o antagonista Magneto.

                Entretanto, mesmo com a o Princípio da Autoconsciência de Novikov, expandindo o horizonte de possibilidades ao não limitar-se a linearidade, infinitas questões permanecerão sem resposta, como por exemplo: E se a linha temporal no qual vivemos for advinda de uma ramificação gerada por uma interferência de um viajante do tempo? Onde por exemplo, poderia a persona questionadora viajar ao passado para tentar corrigir essa incongruência, e no fim das contas sua intervenção ter sido o fato gerador de tudo aquilo no qual tentou impedir! Como a cena no filme Matrix de 1999, ondo o personagem do Oráculo adverte Neo para ter cuidado com um vaso, e segundos depois Neo derruba um vaso no chão, e posteriormente Neo fica assolado com a dúvida se ele iria ou não derrubar o vaso se o Oráculo não houvesse lhe falado nada.

                Em síntese, o Paradoxo de Bootstrap fecha círculos temporais cíclicos, onde as mudanças que são realizadas através da intervenção do viajante do tempo, na verdade já estão entrelaçadas de forma auto consistente naquela linha do tempo, onde apropria ação do viajante já estaria escrita, e ele somente estaria cumprindo o seu papel na construção do futuro no qual ele tenta evitar. Existindo portanto um flerte com o Paradoxo da Predestinação, onde em um viés quase que teológico, todos os fatos estão previamente arquitetados por uma Força Maior, e é impossível esquivar-se de cumprir o papel no qual cada um foi incumbido, e por mais que se tente fugir de cumprir com o destino, o próprio ato da fuga fará com que o destino seja cumprido. Algo semelhante a história de Édipo narrada por Sófocles, onde a tentativa de Édipo de evitar o seu destino, fez com que ele se cumprisse. Demonstrando que todas as pessoas são fantoches de seu destino, e que todos os acontecimentos do passado, presente e futuro já se encontram gravados no rolo de filme da vida, e que passado e futuro colidem-se a cada giro que o carretel do filme dá ao projetar o presente.

Referência Bibliográfica:

AL-KHALILI, Jim. Paradoxo – Os Nove Maiores Enigmas da Ciência. Editora Fundamento. 2014.

CROUCH, Blake. Matéria Escura. Intrínseca. 2017.

FLAXMAN, Larry. JONES, Marie D. Este Livro Veio do Futuro: uma jornada através de portas multidimensionais, relatividade, buraco de minhoca e outras aventuras de viagem no tempo. Cultrix. 2014.

GREENE, Brian. A realidade oculta. Companhia das Letras. 2012.

HAWKING, Stephen. Uma Breve História do Tempo. Intrínseca. 2015.

KAKU, Michio. Hiperespaço: Uma odisseia cientifica através de universos paralelos, empenamentos do tempo e a décima dimensão. Rocco. 2000.

KAKU, Michio. Mundos paralelos. Uma jornada através da criação, das dimensões superiores e do futuro do cosmo. Rocco. 2008.

MONTEIRO, Alexandrina. VILELA, Denise Silva. Paradoxos do Infinito e os Limites da Linguagem. Livraria da Física. 2016.

NEWTON, Isaac. Principia. Princípios Matemáticos de Filosofia Natural. Edusp. 2012.

NOVIKOV, Igor. O Futuro do Espaço-tempo. Companhia das Letras. 2005.

ROVELLI, Carlo. A ordem do tempo. Editora Objetiva. 2018.

SÓFOCLES. Édipo rei. Trad. Trajano Vieira. São Paulo: Perspectiva, 2005.

WOLF, Fred Alan. O Tecido de EPAÇO – Loops Temporais, Distorções Espaciais e Como Deus Criou o Universo. Cultrix. 1997.

Imagem:

dark-netflix.fandom

Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Somos o DUNA PRESS JORNAL. Uma Agência de Notícia On-Line, trabalhando com informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e pelo respeito ao leitor. Clique aqui e torne-se um assinante de nosso jornal.

Print Friendly, PDF & Email