Brasil: Jornalista Oswaldo Eustáquio investigava crimes de pedofilia e morte de advogado que moveu ação crime contra Sérgio Moro

Brasil: Jornalista Oswaldo Eustáquio investigava crimes de pedofilia e morte de advogado que moveu ação crime contra Sérgio Moro

Supremo Tribunal no Brasil promove censura e retrocesso.

Prisões políticas, censura, perseguição a jornalistas, deputados e ativistas apoiadores do governo Bolsonaro são o alvo de corte ilegítima com membros indicados por ex-presidentes.

A frágil democracia brasileira parece não ter resistido ao teste do contraditório. Depois de mais de 30 anos de domínio da esquerda nos cargos executivos e legislativos, a lei sucumbiu aos grupos de interesse e o ministro Alexandre de Moraes, um dos juízes do STF (Supremo Tribunal Federal) tem perseguido parlamentares e ativistas favoráveis ao governo e jornalistas que possam expor a verdade acerca dessas perseguições. Hoje, jornalistas sérios estão amordaçados e focas que mal sabem reproduzir releases falam em veículos como Globo, CNN, Band News, Folha de São Paulo e revista Veja, dentre outros, comprados ou pressionados por direções igualmente comprometidas por grupos  internacionais.

Caso Oswaldo Eustáquio – No tocante à imprensa, a prisão arbitrária do jornalista Oswaldo Eustáquio foi mais um dos muitos atos ditatoriais do STF na pessoa de Alexandre de Moraes, Eustáquio foi depor de boa fé na semana passada e saiu preso, mesmo sem mandado. Nesta terça-feira o ministro prorrogou sua detenção por mais cinco dias e segundo informação de seus advogados, ele passa bem e está em isolamento em sala própria para presos com curso superior. O acesso aos autos, que foi negado a princípio por Moraes, foi prometido nesta quarta-feira, mas até agora não se sabe se será permitido, pois atualmente muitos opositores da esquerda têm sido presos sem acusação formal, têm seus Habeas Corpus negados, o que seria prerrogativa constitucional, enquanto presos já condenados por estupro e tráfico são soltos sob pretexto de aglomeração em prisões por causa da gripe chinesa, conhecida como Covid 19. 

Em nota à imprensa, os advogados do jornalista contradizem a grande imprensa que tratam o próprio colega como blogueiro sem endereço fixo, o que, passa da mentira à falta de ética em uma só palavra. O mais triste papel de todos os agentes desta tragédia política que vivemos é, sem dúvida, protagonizado pela mídia, que por muitos anos foi financiada por dinheiro público por meio de anúncios de estatais, época em que adulavam os governos corruptos da esquerda no Brasil. Quando assumiu o presidente Jair Bolsonaro, eleito com maioria esmagadora de votos ( e possivelmente reeleito em 2022), a velha esquerda e a velha política dos coronéis se aliaram para retomar o poder, custe o que custar, compre a quem comprar.. 

O jornalista paranaense Oswaldo Eustáquio tem vasta experiência de reportagem investigativa e recebeu diversos prêmios da categoria, inclusive internacionais dentre eles do consulado do Paraguai. Sua ação em Paranaguá, onde reside, é marcada pelo voluntariado, pela defesa dos direitos das crianças e adolescentes e sobretudo pela busca da verdade, e possivelmente tenha sido essa a causa de sua prisão, pois dias antes Eustáquio publicou reportagem no jornal Agora Paraná sobre tráfico de influência da mulher de Alexandre de Moraes, para beneficiar políticos do PSDB, partido político de oposição a Bolsonaro. A reportagem foi retirada do ar configurando clara censura à liberdade de imprensa. 

A mesma perseguição tem sido exercida sobre o jornalista Allan do Santos, do Terça Livre,  veículo que atinge maior público e popularidade – mais de um milhão de inscritos no YouTube e audiência de 400 mil pessoas em média, por transmissão – que teve sua casa e contas devassadas, seus celulares e aparelhos apreendidos e também foi tratado como blogueiro, provavelmente pela mesma inveja cega de colegas que não percebem que serão eles os próximos a serem perseguidos e presos ilegalmente.

Censura também nos estados – Nesta terça-feira (30 de junho), dois deputados estaduais de São Paulo, Gil Diniz e Douglas Garcia, que assinaram o processo para o impeachment de João Dória, governador do estado, foram afastados das comissões na Assembleia Legislativa em clara retaliação de seus pares contra a postura conservadora e pró-bolsonaro que adotaram ao defender maior lisura nas contas do executivo, o que é papel do deputado estadual, sobretudo quando há fortes indícios de manipulação dos números do Covid 19 com o intuito de receber verba federal e superfaturamento na aquisição de respiradores, além de desvios de verba e ações de improbidade administrativa. 

Todas essas questões estão sendo levadas a cortes internacionais, entretanto, o maior poder é da informação precisa e verdadeira que hoje chega por veículos como o Duna Press, cujos jornalistas são independentes e com larga experiência em investigação e reportagem.






Jornalista Oswaldo Eustáquio: Credenciais – Prêmios, Títulos e Certificados



Ver também

Entenda a trama contra o Jornalista Oswaldo Eustáquio

Print Friendly, PDF & Email

One thought on “Brasil: Jornalista Oswaldo Eustáquio investigava crimes de pedofilia e morte de advogado que moveu ação crime contra Sérgio Moro

Comments are closed.