História

Participação do brasileiro Carlos Gomes no centenário da independência americana.

Capa da Partitura do Hino composto por Carlos Gomes a pedido de Dom Pedro II para ser tocado na Exposição Universal de 1876 na Filadélfia.

No dia 4 de julho de 1876, comemoração do centenário da independência americana, o que se ouviu foram acordes brasileiros, um hino composto por Carlos Gomes especialmente para a data. O cenário foi a Exposição Universal, na Filadélfia. A homenagem encomendada por Dom Pedro II, causou o impacto esperado. A impressa americana que batizou dom Pedro II de “Imperador Yankee” descreveu o Hino do Maestro Brasileiro como “A saudação do Brasil a Pátria Norte Americana foi uma das mais deliciosas peças já tocadas. O Imperador compareceu ao concerto em Filadélfia , onde foi interpretado o hino de Carlos Gomes com agrado do público e da crítica.”

“Custou-me a romper o povo para chegar ao hotel, sobretudo porque a tropa vinha marchando; mas com algumas cotoveladas consegui entrar no hotel. Almocei e fui para a festa. Que calor! O hino de Carlos Gomes não se ouvia quase pela distância e bulha do povo.”, escreveu Pedro II em seu diário, que havia presenteado o presidente americano Ulysses Grant com uma partitura do hino, composto pelo autor de “O Guarani”.

Carlos Gomes já era considerado um Maestro de Prestígio no Mundo, e seu Hino encomendado pelo Imperador do Brasil, o único líder de Estado no Centenário da Independência dos Estados Unidos foi visto como um sinal sólido da Aliança estabelecida entre o Império Brasileiro e a República Americana.

Fonte: Historia de dom Pedro II [i.e. segundo], 1825-1891: Fastígio. De Heitor Lyra

Print Friendly, PDF & Email

Deusati Eliane

Colunista associada para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo