News

Apelos para eliminar Israel e os EUA durante uma manifestação pró-palestina e pró-Black Lives Matter nos EUA

Em uma manifestação pró-palestina e pró-Black Lives Matter no Brooklyn nesta semana, os participantes pediram a eliminação do estado judeu, bem como a eliminação dos Estados Unidos, cantando vários slogans, incluindo “Morte a Israel”, “Morte à América e” de Gaza a Minnesota, globalize a Intifada! “

Dizem que várias centenas de pessoas participaram deste comício, que ocorreu em 1º de julho, um evento organizado como parte de um “Dia da Raiva” para responder ao plano israelense de anexar certas partes da Cisjordânia. . O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse originalmente que iniciaria o projeto nessa data – mas a iniciativa foi adiada em meio a incertezas sobre sua real implementação.

“Não queremos um falso estado palestino que nos será dado enquanto Israel ainda existir”, disse a ativista Nerdeen Kiswani, membro do grupo Within Our Lifetime que ajudou a organizar a manifestação, durante um intervenção na frente dos manifestantes, filmada pelo MEMRI (Middle East Media Research Institute).

“A terra em que Israel existe é terra roubada. As terras de 1948 ainda são roubadas – Jaffa, Haifa, Tel Aviv … foram roubadas. Não queremos voltar para nossas casas em Gaza e na Cisjordânia. Queremos recuperar tudo ”, disse ele.

Dequi Kioni Sadiki, esposa do ex-pantera negra Sekou Odinga, disse que “os judeus europeus que ocupam, que massacram e continuam a forçar milhões de palestinos a permanecer nessas valas comuns chamados campos e campos de refugiados concentração são aqueles próximos aos europeus … que sequestraram, massacraram e forçaram africanos e nativos à escravidão “ou” os aprisionaram nas prisões ou eles morreriam “.

Entre os slogans que pediam a libertação da Palestina e os gritos de “Black Lives matter”, um ativista também cantou “Death to Israel” e “Death to America”, acompanhado pelos manifestantes.

Outro ativista vinculou a necessidade de “abolir a polícia” e “abolir o Estado sionista de Israel” e o “governo dos Estados Unidos”, levando a multidão aplaudindo.

Também falando no evento, um ativista pró-Coréia do Norte disse: “Acho que antes de morrermos, veremos a Palestina retornando a você e à Coréia como um: os Estados Unidos e todos os governos fantoches não existirão mais! “

Os manifestantes que participaram de um movimento de protesto pró-palestino em Washington, por sua vez, fizeram o elo entre Black Lives Matter e a causa palestina, quarta-feira, cantando: “Israel, nós sabemos que você também está matando crianças”. .

O desfile, que deixou o Lincoln Memorial do Capitólio, foi liderado pelo estudante de Harvard Christian Tabash, que leu um poema sobre crimes cometidos por Israel contra muçulmanos palestinos, segundo o Washington Examiner . O poema se referia a Israel como o “mestre dos continentes”, uma teoria ancestral da conspiração que sugere que os judeus governariam o mundo.

A Coalizão Judaica Republicana disse em uma declaração em resposta ao evento: “Estamos horrorizados com essa demagogia odiosa dos manifestantes da Black Lives Matter. O estatuto de Black Lives Matter é preenchido com mentiras anti-Israelenses e anti-semitas. É profundamente perturbador – mas não surpreende – ouvir expressões desse ódio nas ruas de Washington. “

A declaração também pedia ao ex-vice-presidente Joe Biden, “como porta-bandeira do Partido Democrata, a condenar esses slogans anti-semitas cantados pelos manifestantes do BLM”.

Fonte The Time Of Israel

Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor.

Somos o DUNA PRESS JORNAL.

Uma Agência de Notícia On-Line, trabalhando com informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e pelo respeito ao leitor. 

Clique aqui e torne-se um assinante de nosso jornal.

Divulgue sua Empresa, Serviços ou produtos clicando aqui.

Print Friendly, PDF & Email

Joice Maria Ferreira

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre as atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo