Crônicas

Xenofobia: que seja fobia do chauvinismo – Nicholas Winton, o Schindler britânico

Sir Nicholas Winton é o Schindler britânico que o mundo precisa conhecer, reconhecer e reproduzir, incansavelmente.

Seu nome de nascimento é Nicholas Wertheim (Hampstead, Grande Londres, UK, 19/5/1909 – Slough, Berkshire, UK, 1/7/2015; aos 106 anos de idade).

Nicolas foi o inglês que coordenou a redenção de 669 crianças na antiga Checoslováquia (ou Tchecoslováquia), atual República Checa.

Em 1939, crianças judias, já separadas dos pais, eram resgatadas dos trens com destino à morte (campos de concentração nazistas), para trens com destino à vida.

O inglês largou seu trabalho em Londres para ir a Praga salvar as crianças da morte certa. À época, trabalhando como corretor do mercado financeiro, Winton providenciou (por conta própria) oito trens para remover as crianças judias da cidade de Praga, que já estava ocupada pelo exército nazi.

Os oito trens viajaram através de quatro países da Europa até o Reino Unido. Mr. Winton e seus colegas de empreitada conseguiram convencer funcionários, na fronteira britânica, a permitirem a entrada das crianças no Reino Unido, apesar da documentação incompleta da maioria.

Já em solo inglês, Sir Nicholas teve outro trabalho: coordenar a procura de famílias que pudessem cuidar dos pequenos, publicando anúncios em jornais.

Não há quem negue o pseudônimo de “Schindler britânico”, em referência a Oskar Schindler, por seus feitos que marcaram a História.

Por conta do aniversário da rainha, em 1983, Sir Nicholas foi nomeado membro da Ordem do Império Britânico (Most Excellent Order of the British Empire), por seu trabalho na instalação de asilos da sociedade Abbeyfield, na Grã-Bretanha.

Em 2002, foi elevado a cavalheiro (cavaleiro da ordem) pela rainha Elizabeth II, em reconhecimento ao seu trabalho no salvamento das crianças.

Dentre tantos outros reconhecimentos, Nicholas Winton foi agraciado com a Ordem de Tomáš Garrigue Masaryk, Quarta Classe, pelo Presidente Checo em 1998.

Nicholas Winton encontrou-se novamente com a Rainha durante a visita de Estado que ela fez à Eslováquia, em outubro de 2008.

No mesmo ano, foi homenageado pelo governo checo. Uma escola de ensino elementar em Kunžak recebeu seu nome, recebeu, também a Cruz do Mérito do Ministério da Defesa, Grau I.

Foi indicado pelo governo checo para o Prêmio Nobel da Paz de 2008.

O asteroide (19384) Winton foi nomeado em sua honra pelo casal de astrônomos checos Jana Tichá e Miloš Tichý.

Por ter antepassados judeus, Winton não foi agraciado no quadro de Justos entre as Nações (do hebraico: חסידי אומות העולם, Chassidey Umot HaOlam), termo utilizado no judaísmo para se referir a gentios (não-judeus). O prêmio é instituído pelo Memorial do Holocausto como reconhecimento a todos os “não judeus” que durante a II Guerra Mundial salvaram vidas de judeus perseguidos pelo regime nazista.

“Há uma diferença entre bondade passiva e bondade ativa, que é – em minha opinião – a doação de tempo e energia no alívio da dor e do sofrimento. Implica em agir – sair, encontrar e ajudar os que sofrem e os perigos, e não apenas levar uma vida exemplar, de uma maneira puramente passiva de não fazer nada errado” (Sir Nicholas Winton).

Sua morte, aos 106 anos, foi justamente na data dos setenta e seis anos, quando o maior dos trens, com 241 crianças, deixou Praga (ˈpraɦa), capital da República Tcheca.

Se existisse algum prêmio à altura do senhor Nicholas Winton, deveria ser Prêmio Nobel de Ser Humano.

If people would work for a real ethical future… then most of humanity’s problems would be solved. ~ ‪Sir Nicholas Winton (in his Golden Goody Awards acceptance video at 104 in 2013) – Livre tradução do autor: Se as pessoas trabalhassem por um futuro ético real… então, a maioria dos problemas da humanidade seria resolvida. (Sir Nicholas Winton, em seu vídeo quando recebeu o Golden Goody Awards, aos 104 anos de idade, em 2013).

Há quem acredite, há quem não acredite. Entre acreditar, ser abençoado, ser útil à humanidade e feliz, ou desacreditar, ser imprestável, melhor crer, obedecer e fazer a diferença, quando se trata das Escrituras. Sir Nicholas Winton nos deixou um exemplo de como se leva isso a sério:

Orem pela paz de Jerusalém: “Vivam em segurança aqueles que te amam! Haja paz dentro dos teus muros e segurança nas tuas cidadelas! ” Em favor de meus irmãos e amigos, direi: “Paz seja com você! ” Em favor da casa do Senhor, nosso Deus, buscarei o seu bem. (Sl.122:6-9 – NVI)

Ele salvou 669 crianças da morte, durante a 2ª Guerra, mas não sabia que elas haviam crescido e que muitas estavam sentadas exatamente ao seu lado. Separamos um minúsculo vídeo sobre Sir Nicholas Winton, que possivelmente irá impactar sua vida:

(Imagens: Reprodução/BBC)

Deguste e compartilhe, sem moderação.

Para preleção: danberg1000@gmail.com


Quando começamos o Press Periódico para tentar trazer a verdade para o resto do mundo, sabíamos que seria um grande desafio. Mas fomos recompensados pela incrível quantidade de suporte e feedback dos leitores que nos fizeram crescer e melhorar. Faça parte da missão de espalhar a verdade! Ajude-nos a combater as tentativas de silenciar nossas vozes  e torne-se um assinante!

Print Friendly, PDF & Email

Dan Berg

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo