As grandes Cervejeiras – parte I

As grandes Cervejeiras – parte I

Brahma.

Um imigrante suíço, Joseph Villiger, acostumado ao sabor das cervejas européias, resolveu abrir seu próprio negócio começando a fazer cerveja em casa.Saboreada primeiramente entre amigos, sua cerveja acabou agradando a vários paladares.
Em 1888, a cerveja de Joseph Villiger era tão famosa que este inaugurou a Manufactura de Cerveja Brahma Villiger & Companhia, na Rua Visconde de Sapucahi, 12, São Paulo.
– No início, a manufatura foi inaugurada com uma composição diária de 12.000 litros de cerveja e 32 funcionários.
– A palavra “Brahma” significa um deus da Índia cultuado, principalmente, junto ao lago de Pushkar, em cujas águas, quem se banha tem todos os pecados perdoados, por piores que sejam.
Em 06 de setembro de 1888, a Junta Comercial da Capital do Império concede à Villiger & Cia. o registro da marca Brahma.
Nota:Neste documento, uma mulher envolta por ramos floridos de lúpulo e cevada simbolizava a principal imagem do primeiro rótulo da Brahma.
Em 1894, uma nova sociedade deu prosseguimento à precursora iniciativa de Joseph Villiger. No mesmo local onde havia nascido a Brahma, estabeleceu-se a empresa cervejeira Georg Maschke & Cia.
Em 1899, a cervejeira Georg Maschke & Cia. adquiriu a Cervejaria Bavária e registrou a marca Franziskaner-Bräu, apelidada de “franciscana”.
– A nova empresa aperfeiçoou o fabrico da cerveja, importou equipamentos, patrocinou bares, restaurantes, clubes e artistas ingressando, efetivamente, no mercado carioca. Em 1902, depois da Franzikaner-Bräu, a Georg Maschke & Cia. já produzia as marcas:- Ypiranga, Pilsener, München, Bock-Ale, Guarany e Brahma-Porter.
– Em pouco mais de uma década esta empresa viria a registrar quase uma dúzia de marcas, como são exemplos a cerveja:- A Bier, a Crystal, a Pilsener, a Franziskaner-Brau, a Munchen, a Guarany, a Ypiranga, a Bock-Ale ou a Brahma Porter, para apenas nomear algumas.A expansão da firma fazia-se também à custa da aquisição e fusão com outras empresas.
Em 12 de agosto de 1904, ano em que surgiu a Companhia Cervejaria Brahma, resultante da união entre a Georg Maschkle & Cia. – Cervejaria Brahma e a Preiss Haussler & Cia. – Cervejaria Teutônia (produtora, entre outras, das cervejas Excelsior, Teutonia e Munchen-Bock).
– A cerveja começou a fazer história no Brasil, com a produção de seu chopp em tonéis chegando a 6 milhões de litros e com 09 depósitos, todos no centro do Rio de Janeiro.
– A notoriedade da Brahma era também obtida através de fortes campanhas publicitárias e do patrocínio que dava a bares, restaurantes e artistas.Para além do mais, a importação de novos equipamentos e a melhoria geral da qualidade da sua maquinaria proporcionou-lhe a obtenção de uma boa imagem junto dos consumidores.
– Nos jornais, a nova Companhia punha 25.000 ações à participação pública.
Em 1907, a Companhia Brahma, junto as novas marcas de cerveja, renova o registro da marca Excelsior para refrigerantes, que havia adquirido da Cervejaria Teutonia, e em 1909 registra a Agua Savoia.
Em 1914, foi registrada a Malzbier da Brahma, “saborosa e nutriente, recomendada especialmente às senhoras que amamentam”.
Em 1918, outra novidade com o lançamento de 06 “deliciosos refrigerantes para o calor, com óptimas qualidades tonicas e digestivas”, entre eles:- Agua de Meza Crystal/Ginger-Ale/Berquis/Soda Limonada Especial/Soda Limonada/Sport-Soda.
Em 1919, junto ao sucesso das refrescantes bebidas sem álcool, reuniu-se a famosa:- Água Tônica de Quinino.
Em 1921, é firmado contrato de promessa de venda da Cervejaria Guanabara à Companhia Cervejaria Brahma.
– A Cervejaria Guanabara, antes Cervejaria Germania, foi uma das mais antigas do país e, depois de adquirida pela Cia. chamou-se Filial São Paulo, também foi conhecida por Filial Paraíso, iniciando assim a fabricação de cervejas das cervejas Brahma em São Paulo.
Em 1922, a revista “Ilustração Brasileira”, confirma a identidade dos produtos Brahma:
“Os productos da Companhia impuseram-se nos mercados brasileiros pela excellência de seu sabor e aspecto, e pelo escrupulo de sua fabricação com matéria prima de superior qualidade, para cujo fim a Companhia possue laboratórios montados com todos os aperfeiçoamentos da ciência moderna.”
Em 1924, poucos anos da história dos refrigerantes Brahma, a Cia. registra seu primeiro guaraná:- o Guaraná Genuino.
Em 1926, registra:- o Guaraná Athleta.
Em 1927, registra:- o Guaraná Brahma.
Em 1929, entre inúmeras marcas lançadas, a Brahma registra:- a Cerveja Gambrinus.
No início da década de 1930, após algumas fusões e aquisições, a Brahma era uma empresa bem estruturada e virada para o futuro.A aposta em novas tecnologias e publicidade criou uma grande afinidade entre a empresa e os consumidores.
Em 1930, lança sua primeira “Soda Laranjada”. Em 1934, a Cia. Brahma foi o maior sucesso do carnaval, pois ela conseguiu vencer um grande desafio: – engarrafar seu chopp.
– De garrafa em garrafa a Brahma Chopp passou a ser a cerveja mais consumida no país.Nesse ano, a produção alcançou os 30 milhões de litros de cerveja.Ary Barroso e Bastos Tigre compuseram a marchinha “Chopp em Garrafa” que, cantada por Orlando Silva, propagou a grande novidade.
Em 1934, a Brahma Chopp era a cerveja mais consumida no país. Nesse ano, a produção alcançou os 30 milhões de litros de cerveja. Ary Barroso e Bastos Tigre compuseram a marchinha “Chopp em Garrafa” que, cantada por Orlando Silva, publicitou fortemente este produto.
Em 1937, a Brahma Chopp era a principal marca da Cia., ao lado de 29 tipos de cerveja e 16 tipos de refrigerante.
Em 1943, com extrato forte e encorpado, foi lançada a Brahma Extra e os anúncios da época definiam bem suas características:
“Extra no sabor…Extra na qualidade…Extra nos ingredientes…Cerveja Brahma Extra,em garrafas ou ½ garrafas.”
– Para além do lançamento de novos produtos, a política de aquisições mantinha-se bastante ativa.
Em 1946, a Cervejaria Brahma compra do maior grupo cervejeiro do Rio Grande do Sul, a BoppSassen, Ritter e Cia. Ltda, também conhecida por Cervejaria Continental, que mais tarde se viria a tornar na filial Rio Grande do Sul.Esta fábrica foi, entretanto, descontinuada (1998).
Em 1954, a empresa celebrou o seus 50 Anos, tomando como base o ano de 1904, data em que a firma se tornou na Companhia Cervejaria Brahma.
– Nesse curto espaço de tempo, a empresa tinha se tornado numa das maiores do Brasil, com 6 fábricas e 1 maltaria em laboração.Para continuar a expandir-se, tornava-se urgente a elaboração de um plano de distribuição que abrangesse as áreas mais afastadas dos grandes centros urbanos.Para isso, a Brahma comprou pequenas empresas e criou filiais.
Em 1960, no município de Agudos, São Paulo, a antiga Companhia Paulista de Cervejas Vienenses transforma-se na Filial Agudos, que mais tarde passou a fabricar a “cerveja em lata”.
Em 1962, é inaugurada a Filial do Nordeste, na cidade do Cabo – Pernambuco.
– Sendo a Brahma uma empresa de capital 100% nacional e sempre preocupada em manter o padrão de qualidade dos seus produtos e a participação no desenvolvimento do país, tornava-se óbvio que a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico não podiam ficar de fora dos seus planos.
Em 1965, devido ao crescimento, era preciso pensar na distribuição de seus produtos. Assim, inicia-se o trabalho das primeiras revendas da Companhia Cervejaria Brahma constituída, na maioria, por antigos funcionários da Cia.
Em 1967, caráter experimental, é lançada a Brahma Chopp em “embalagem mirim de 300 ml”, apelidada de “Brahminha”.
Em 1968, é inaugurada, no estado do Rio Grande do Sul, a Estação Experimental de Cevada para testes de novas variedades de “cevada cervejeira”, adaptadas ao clima e solo da região.
Os anos 1970, são marcados pela contínua expansão da companhia e por algumas alterações na forma de apresentar os produtos, marcaram a expansão da Cia. ao associar-se à indústria Fratelli Vita, a Cia. integra 03 marcas de bebida sem álcool à sua linha de produtos:- a famosa Sukita, o Guaraná Fratelli e a Gasosa Limão.
Em 1971, através da Cervejaria Astra S.A., a companhia concretiza uma forte aliança para a fabricação e distribuição dos seus produtos no Norte e Nordeste do Brasil.A Astra tinha sido criada um ano antes pela firma J. Macêdo & Cia, em Fortaleza – CE, produzindo então uma cerveja de marca própria.Ainda nesse ano, a J. Macêdo adquire o controle acionário da Cervejaria Miranda Corrêa, de Manaus – AM.
– É também nesse ano que chega ao mercado a garrafa “personalizada”, de vidro incolor com o nome do produto gravado no vidro.
Em 1972, a Filial Agudos lança a “embalagem em lata” para as cervejas Brahma Chopp e Brahma Extra.
Em 1974, além de ter se associado a 06 grandes grupos de cerveja e refrigerantes, a Cia. tinha 09 fábricas, 01 maltaria e 01 plantação experimental de cevada.
Em 1976, a Cia. continuava se expandindo e a “embalagem de vidro” de 1 litro para refrigerantes.
Em 1977, lança seus refrigerantes nos mercados de São Paulo e Rio de Janeiro.
Em 1978, outra novidade, veio com o lançamento da “garrafa personalizada em vidro” de 1 litro na cor âmbar.
Em 1978, foi criado o primeiro Curso de Cervejeiro Prático da América Latina, devido ao período de grande avanço tecnológico em que havia ingressado.
Nos anos 1980, período em que a Brahma apostou forte no mercado de refrigerantes.
Em 1980, com a exportação da Brahma Beer (Brahma Chopp), a revista “The Washingtonian” a elege como a melhor cerveja importada nos EUA.
– Ainda nesse mesmo, entre outras realizações, foi iniciada a construção da fábrica associada Arosuco – Aromas, Sucos e Concentrados S.A. no Rio de Janeiro e lançado o refrigerante “Limão Brahma” em todo o Brasil, em garrafa verde personalizada.
– Para aumentar a sua participação no mercado cervejeiro, a empresa adquire o controle acionário das Cervejarias Reunidas Skol CaracuS.A.
– Além da cerveja Skol, Chopp Claro Skol, da cerveja em lata Ouro Fino (destinada à exportação) e da histórica cerveja Caracu, a companhia deu continuidade à sua linha de produtos, elaborados em 7 fábricas espalhadas por todo o Brasil.
– No início daquele ano, a Brahma adquiriu as cotas da Brascan Labatt, detentora da marca Skol, passando a se chamar Brahma Administração, Investimentos e Participações Ltda.
Em 1982, pioneira como de costume, a Cia. Lança a “Brahma Light”, a primeira cerveja de baixa fermentação e baixo teor alcoólico.
Em 1983, concorrendo com mais de 972 trabalhos internacionais e 14 brasileiros em Nova Iorque, a “Brahma Light” recebeu o prêmio “Clio Award”, o mais importante no mundo publicitário.
Em 1983, com relação ao mercado de exportações, é lançada a “Brahma Beer” em Washington e Filadélfia, nos EUA.
Em fevereiro de 1984, para atender às necessidades de seus consumidores, a Cia. lança a cerveja “Malt 90” nas embalagens de garrafas retornáveis de 300 e 600ml e também em lata. Malt 90 é uma cerveja clara tipo “Pilsen”, de médio teor alcoólico, sabor suave e de excelente sabor.
Em 1984, era preciso também fortalecer-se no mercado de refrigerantes. Assim, também é firmado acordo com a Pepsi Co International para fabricação, comercialização e distribuição do refrigerante Pepsi Cola no Rio de Janeiro, além de operar 03 fábricas no Rio Grande do Sul. Atualmente este acordo não vigora.
Em 1985, a internacionalização da marca, e, sua grande aceitação no mercado interno, fez com que o jornal alemão: –“Frankfurter Allgemeine Zeitung” destaca a Companhia Cervejaria Brahma como a “7ª empresa de cerveja do mundo”, concorrendo com mais 90 países.
– Este reconhecimento econômico surgiu a par do reconhecimento científico, obtido após a inauguração de uma moderna cervejaria piloto para o desenvolvimento de novos produtos, no laboratório da Filial Rio.
Em 1986, a Brahma Beer Brasilian Pilsener é lançada a em lata na cidade de Tóquio.- Também nesse ano são ampliadas as capacidades de produção de cervejas e refrigerantes em diversas unidades fabris em todo o país.
Em 1987, com o crescimento e progresso da Cia., é inaugurada uma moderna cervejaria piloto para o desenvolvimento de produtos, no laboratório da Filial Rio de Janeiro.
– Ainda em 1987 é adquirida a Fábrica de Refrigerantes Refinco, que passa a se chamar Refrigerantes Brahma do Rio de Janeiro, e uma nova linha visual é criada para os refrigerantes Brahma.
Em 1988, a embalagem de garrafa retornável de 1 Litro e também a one way de 250ml são lançadas, em todo Brasil, para toda linha de refrigerante Brahma, introduzindo também a tampinha de rosca na Pepsi Cola, Sukita, Guaraná Brahma e Limão Brahma.
Em 1988, outra importante realização foi a inauguração de mais uma fábrica de cerveja, a Cebrasp, em Jacareí, São Paulo.
Em 1989, – Acompanhando a evolução do mercado e preocupada com o meio ambiente, a Brahma lançou igualmente o “Projecto Brahma para Reciclagem”, introduzindo então a embalagem em “lata de alumínio” para a Brahma Chopp, e também a “embalagem descartável de 300ml” para a Malt 90.
– Para a linha de refrigerantes, foi lançada a “embalagem retornável de 1,25L” e garrafa “plástica descartável PET”.
Em 27 de outubro de 1989, o Grupo Garantia adquire o controle acionário da Companhia Cervejaria Brahma e a partir daí, são iniciadas as construções de novas fábricas, como por exemplo a da Cervejaria Equatorial, em São Luís, Maranhão, inaugurada 2 anos depois.
– A entrada na última década do século XX, fez-se, pois, com excelentes perspectivas no futuro e com um espírito cada vez mais empreendedor.
Em 1991, institui-se o Serviço ao Consumidor Brahma, junto com o Código de Defesa do Consumidor, ambos visando garantir apoio e satisfação aos clientes.
Em 1992, inicia-se o esforço de exportação da Brahma Chopp para a Argentina onde, ao final do primeiro ano, se torna a cerveja nº 1 entre as importadas.- Como conseqüência, torna-se necessário ampliar algumas fábricas, o que acontece com a Cebrasp.
Em 1994, é um ano de mudanças e conquistas. A Administração Central da companhia sai do Rio de Janeiro e instala-se em São Paulo, cidade onde ainda hoje se encontra.
– Relativamente às conquistas, temos a incorporação da Companhia Anonima Cervecera Nacional, da Venezuela, no portifólio da empresa, passando aí a produzir-se a Brahma Chopp.São inauguradas igualmente mais duas filiais: – a Filial Santa Catarina, em Lages e a Fábrica de Luján, na Argentina.Este desenvolvimento chama a atenção da empresa norte-americana Miller Brewing Company, que constatou que o mercado cervejeiro estava em crescimento, especialmente na América do Sul.
Em 1995, uma joint venture (acordo) com a Brahma para distribuir a Miller Genuine Draft. Neste acordo, havia a possibilidade da Brahma fabricar a cerveja no Brasil para competir no mercado interno.
Em julho de 1996, é exatamente o que acontece, a Miller Genuine Draft passa a ser fabricada pela Cebrasp e distribuída pela Rede Exclusiva Brahma.
– A partir desse ano, o fone: – 0800 foi divulgado em todas as embalagens dos produtos e o consumidor também pôde optar pelo atendimento via carta e, desde Junho, via Internet.- A Companhia Brahma, foi a primeira empresa de bebidas a oferecer esse serviço via Internet ao consumidor mantendo, inclusive, contacto com consumidores de outros países.- As perguntas e sugestões dos consumidores geraram algumas mudanças de processos e contribuíram para o desenvolvimento de novas embalagens como a “Malzbier long neck”.
– Reforçando o seu caráter moderno, a empresa lança no mercado as novas embalagens long neck e lata com 355ml, já que esse é o padrão internacional de embalagens descartáveis.
– Para dar continuidade a essa modernidade e atender às necessidades do consumidor, a Malzbier Brahma, lançada em 1945, sofre uma modificação visual no seu rótulo e também entra no mercado com a embalagem long neck na versão 355ml.
Em 1996, é inaugurada a Filial Rio de Janeiro, no bairro de Campo Grande – RJ. Trata-se da maior fábrica de cerveja da América Latina, com capacidade de produção de 12 milhões de hectolitros por ano.
– É igualmente iniciada a construção de mais 2 unidades fabris: – uma em Viamão – Rio Grande do Sul e outra correspondente à Cervejaria Águas Claras, no município de Estância, Aracaju.O aumento da produção permite também um incremento nas exportações.
Em 1998, a Brahma Chopp passou a ser exportada para a Europa, utilizando como porta de entrada a França.
– Influência deste último país, ou não, o fato é que a chegada do novo milênio é comemorada com a introdução de uma Brahma Chopp em embalagem especial, muito similar a uma garrafa de champanhe.
Em 1999, a Companhia Antarctica Paulista e a Companhia Cervejaria Brahma anunciavam a criação da Companhia de Bebidas das Américas (AMBEV), resultante da fusão entre ambas.Estava assim criado um gigante econômico mundial.
Em 2006, surge o Chopp Brahma Black. Trata-se de um chopp estilo “Lager”, escuro, com adição de nitrogênio, o que torna a bebida mais leve e com uma espuma muito mais estável e cremosa.

Aos grandes pesquisadores.
Textos adaptados:– Algumas informações aqui contidas, utilizou como base o site Cervisiafilia:   http://cervisiafilia.criarumblog.com/

Print Friendly, PDF & Email