Esportes

O que acontece agora com a Renault retirando o protesto contra a Racing Point?

Houve uma grande surpresa nos círculos da Fórmula 1 na noite de terça-feira, quando a Renault revelou sua decisão de retirar um recurso contra a penalidade concedida a Racing Point por operar o que foi considerado dutos de freio traseiro ilegais em seu carro de corrida RP20. E agora?

Por que a Renault pediu para retirar o protesto?

A Renault tem sido a voz mais forte quando se trata de questionar a legalidade dos dutos de freio da Racing Point, o fabricante francês quem protestou contra  as peças para os comissários e manteve a pressão com protestos subsequentes.

Junto com a Ferrari e a Racing Point, eles também apelaram da decisão – que aplicou à Racing Point uma multa de € 400.000 e uma dedução de 15 pontos do campeonato mundial por usar dutos de freio que foram considerados como sendo da Mercedes e não de projeto próprio, enquanto permitindo-lhes manter as peças problemáticas no carro.

Mas, na véspera do Grande Prêmio da Bélgica, a Renault chocou seus rivais ao solicitar uma reviravolta em seu apelo. Eles disseram que a assinatura do novo Acordo Concorde deu a eles paz de espírito que a “originalidade” na F1 – que estava no cerne de seu problema com as ações da Racing Point – seria protegida.

Foi esta assinatura que foi suficiente para a Renault, agora liderada pelo novo CEO Luca de Meo, que esteve na Espanha e que se acredita ter mantido conversações com vários dos seus respectivos homólogos, para recuar e permitir que se concentrem totalmente em um final forte no campeonato de construtores.

O pedido da Renault será aceito?

Esta é uma situação altamente incomum, mas acredita-se que o pedido da Renault será aceito pelo Tribunal Internacional de Apelação, que se reunirá para julgar a reunião.

O que a Ferrari fará?

A decisão da Renault deixa a Ferrari e a Racing Point sozinhas, já que as duas partes ainda devem apelar da decisão.

Parece que a Renault informou a Ferrari de seus planos de retirada antes do anúncio, no entanto, acredita-se que haja grande surpresa quanto ao momento da notícia.

A partir de agora, a Ferrari pretende prosseguir com o recurso, pois ainda discorda do nível da penalidade e também quer mais clareza na decisão.

E quanto a Racing Point?

Ainda não está claro se isso afetará a decisão da Racing Point de apelar.

O proprietário, Lawrence Stroll, ficou “furioso” com a penalidade e “horrorizado” com o “péssimo espírito esportivo” de seus rivais. No final das contas, ele ficou furioso porque a integridade da equipe (e, por padrão, a sua) foi posta em questão.

Independentemente da mudança da Renault, a Racing Point ainda pode achar que vale a pena recorrer a um recurso, pois eles não acreditam que fizeram nada de errado e, portanto, não merecem qualquer tipo de penalidade.

1257008483
Lawrence Stroll sente que sua integridade está sendo questionada. (Foto de Peter Fox / Getty Images)

O que acontecerá se Ferrari e Racing Point continuarem?

O caso irá para o Tribunal Internacional de Apelação, um órgão independente com administração própria, separada da estrutura principal da FIA.

A data ainda não foi definida, mas é improvável que aconteça até meados de setembro, no mínimo.

Fonte: Fórmula 1

Assine Prêmio:
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Assinatura Leitor Prêmio

Print Friendly, PDF & Email

Wesley Lima

Colunista associado para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades culturais, sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo