EsportesNews

Globo decide não renovar contrato e deixará de transmitir Fórmula 1 em 2021

A Fórmula 1 vai deixar de ser exibida pela Globo em 2021. A emissora decidiu não renovar o contrato que acaba ao fim da temporada deste ano

Dona dos direitos de transmissão da Fórmula 1 no Brasil desde 1981, a
Globo deixará de mostrar as corridas da principal categoria do
automobilismo a partir do ano que vem. O contrato com a Liberty Media,
empresa responsável por negociar as exibições, vence no final deste ano
e não foi renovado.

Atualmente, as provas são patrocinadas por Santander, Cervejaria
Petrópolis, Nívea, Renault e TIM. Cada cota de patrocínio da F1 na
Globo foi negociada por R$ 98,950 milhões, segundo o valor de tabela,
que costuma sofrer descontos de até 30% nas negociações. Considerando o
valor cheio, em 2020, a emissora faturou R$ 494,7 milhões com a
categoria.

Confira a nota oficial na íntegra:

“Como parte da revisão de seu portfólio de direitos, um dos maiores
entre emissoras de TV do mundo, a Globo optou por não renovar os
direitos de transmissão da Fórmula 1 a partir de 2021. Mesmo sem a
transmissão das corridas, a Globo continuará a fazer a cobertura da
categoria em suas diversas plataformas.”

Formula 1 - Ipirá City

A partir de agora, a Fórmula 1 busca um novo parceiro nas transmissões da
categoria no Brasil, um dos raros países em que as corridas são
transmitidas em TV aberta. Quem está na frente para ter esses direitos
é a mesma empresa que tenta construir um autódromo em Deodoro, no Rio
de Janeiro, para receber a Fórmula 1 e a MotoGP, a Rio Motorsports.

Engana-se quem acha que a Rede Globo foi a primeira emissora a
transmitir toda uma temporada da F1. A TV Bandeirantes, em 1980, foi
pioneira quando se fala em campeonato completo. Os direitos no ano
seguinte foram para a emissora carioca, que os detém desde então.

A própria Band, além da Record, foram procuradas pela Liberty há alguns
meses, mas, apesar de reconhecerem o valor da atração, não demonstraram
grande afeto aos valores colocados à mesa.

A verdade é que dentro do Brasil, comparada a Band e Record, a Globo é
gigante. Todavia, comparada a emissoras como Turner, Fox, Netflix e
cia, a globo se torna inferior. Com a participação dos canais gigantes
cada vez mais forte via streaming a Globo começou a perder audiência e
patrocínio. Não tem como concorrer com as poderosas. Somando-se a isso
a pandemia e o corte de verbas públicas, a situação se torna cada vez
mais insustentável.

Para quem é fã da Formula 1 aqui no Brasil, é uma perda muito grande
com essa decisão, pois a categoria vai se tornar nichada, e somente
aqueles que tem condições financeiras, terão acesso a transmissão. Sei
que muitos criticam a Globo, também sou crítica de algumas políticas
progressistas da emissora, mas quem perde com uma quebra de tradição de
tantos anos é sem duvida o telespectador.

Fonte: Formula 1

Imagem em destaque: Autoracing e Ipirá City

Print Friendly, PDF & Email

Camila Honorato

Colunista associada para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo