EsportesNews

GP da Bélgica: Análise

Inglês vence na Bélgica de ponta a ponta e está a apenas duas vitórias do recorde de Schumacher

Mercedes e Lewis Hamilton

Lewis Hamilton, piloto da Mercedes, venceu o Grande Prêmio da Bélgica 2020 de Fórmula 1 de forma tranqüila, de ponta a ponta, cruzando a linha de chegada 8,448s à frente do seu companheiro de equipe Valtteri Bottas, que mais uma vez se mostrou apático. Foi a vitória número 89 da carreira do britânico, que persegue o recorde de Michael Schumacher com 91 triunfos na F1. A vitória em Spa-Francorchamps foi a quinta de Hamilton na temporada em sete corridas disputadas. Além disso, marcou também a segunda dobradinha da Mercedes nas corridas em 2020.

Hamilton - Record

Max Verstappen

Segundo colocado. Max Verstappen, da Red Bull Racing, completou o pódio na terceira posição e mais uma vez foi o único piloto do grid que conseguiu acompanhar as Mercedes e ficar ao mesmo tempo distante do restante dos carros, porém nessa corrida não conseguiu fazer muita coisa a não ser administrar os pneus.

image (14)

Renault

Daniel Ricciardo teve um ótimo desempenho foi o quarto colocado e assegurou o ponto extra pela volta mais rápida na última das 44 voltas da corrida em Spa. Esteban Ocon, companheiro de equipe do australiano na Renault, terminou em quinto – no melhor resultado do ano da Renault. Será que esse bom desempenho irá se estender para as próximas provas?

Alexander Albon, McLaren, Racing Point e Alpha Tauri

Alexander Albon teve um desempenho muito aquém do esperado e apesar da classificação razoável no sábado, foi apenas o sexto colocado depois de ser superado por Ocon na volta final. É bom lembrarmos que a situação de Albon se complica a medida que o tempo passa, porem devemos levar em consideração que o carro é feito para Max e somente ele participa da produção do carro.

Lando Norris, da McLaren, ganhou três posições na corrida e terminou em sétimo. Carlos Sainz, companheiro de equipe do britânico, não largou devido à problemas com o sistema de exaustão na volta de formação.

A oitava posição coroou uma boa corrida de Pierre Gasly. O piloto da Alpha Tauri optou por uma estratégia alternativa quando o Safety Car entrou na pista em decorrência do acidente de Giovinazzi. Gasly vem de algumas boas classificações e desempenhos acima de média nas corridas. Seria o caso de uma nova promoção?

Enquanto a maioria dos pilotos foi para os boxes, Gasly e Sergio Pérez ficaram na pista. Para Perez, que calçava pneus macios, a estratégia não deu nada certo, mas funcionou para Gasly.

Fechando a zona de pontuação, temos os dois carros da Racing Point. Lance Stroll em mais uma prova medíocre ainda conseguiu terminar em nono, à frente de seu companheiro de equipe Pérez.

Fato importante da corrida

A corrida foi marcada por um forte acidente de Antonio Giovinazzi, que acabou envolvendo também George Russell. O italiano da Alfa Romeo perdeu a traseira do seu C39 na saída da curva 13 e acertou as proteções, voltando à pista e obrigando Russell desviar. O piloto da Williams quase acertou uma roda solta de Giovinazzi e acabou batendo nas proteções. O incidente trouxe o único Safety Car do dia.

 

Destaques positivos: Lewis Hamilton, Max Verstappen, Gasly e Renault

Destaques negativos: Alexander Albon, Racing Point e Ferrari

 

Fonte: Fórmula 1

Imagem em destaque: Noticias F1 e JCNET

 

 

Print Friendly, PDF & Email

Camila Honorato

Colunista associada para o Brasil em Duna Press Jornal e Magazine, reportando os assuntos e informações sobre atualidades sócio-políticas e econômicas da região.
Botão Voltar ao topo