A alegria de uma Mitsvá

A alegria de uma Mitsvá

Olhando pela janela, Reb Zussia de Anipoli viu certa vez um cortejo de casamento passando em frente de sua casa. Imediatamente, ele saiu e dançou na rua com grande júbilo perante os noivos. Quando voltou para casa, sua família disse-lhe que não achavam distinto que ele dançasse na rua somente por causa de um casamento.

“Deixem-me contar uma história a vocês” – disse Reb Zussia. “Quando eu era jovem, fui aluno de Reb Yechiel Michel, o Maguid de Zlotchov. Uma vez ele me repreendeu muito duramente. Mais tarde, ele me procurou para desanuviar a situação, e disse: “reb Zussia, perdoe-me por minhas palavras duras.”

“‘Rebe’ – respondi – ‘eu o perdôo.’

“Antes que eu fosse dormir, ele voltou, dizendo: ‘Reb Zussia, perdoe-me!’

“‘Rebe, eu o perdôo’ – assegurei novamente a ele.

“Naquela noite, quando me deitei para dormir, mas ainda estava acordado, o pai de meu Rebe, Reb Yitschac de Drohovitch, veio do Mundo Acima para ver-me, e disse: ‘Deixei somente um filho no Mundo Abaixo, um precioso filho. Você quer destruí-lo por que ele o insultou?’

“Mas Reb Yitschac!’ protestei – ‘já perdoei seu filho com todo meu coração e minha alma! O que mais devo fazer?’

“‘Este não é um perdão perfeito’ – disse ele. ‘Se me acompanhar, eu lhe mostrarei como perdoar.’
“Eu o segui, até que chegamos ao micvê local. Ali ele me disse para mergulhar três vezes, e para dizer a cada vez que eu perdoava seu filho. Saindo do micvê, vi uma luz tão brilhante irradiando do rosto de Reb Yitschac que eu não conseguia olhar para ele. Quando perguntei de onde ele viera, ele me disse que durante toda a vida tinha sido cuidadoso em observar as três coisas às quais o sábio talmúdico Rabi Nechunya ben HaKanah atribuía sua longa vida:

‘Nunca tentei receber honras às custas da degradação de outra pessoa; jamais fui dormir sem perdoar a todos por qualquer ofensa naquele dia; e tenho sido generoso com meu dinheiro.’
Reb Yitschac acrescentou que, por meio da alegria, estas três coisas que ele tinha conquistado também poderiam ser atingidas. “Portanto” – concluiu Reb Zussia para sua família – “quando vi o cortejo de casamento passando em frente de nossa casa, corri para tomar parte na alegria da mitsvá.”

Fonte: pt.chabad

Rabino Eliahu Hasky

Fonte Blog Torah Com Você

Print Friendly, PDF & Email