“Tem que acabar bem para mim em algum momento”, diz Bottas frustrado

“Tem que acabar bem para mim em algum momento”, diz Bottas frustrado

Valtteri Bottas estava frustrado em Mugello depois do Grande Prêmio da Toscana de domingo, você não poderia culpá-lo. Mais uma vez, o finlandês foi rápido durante todo o fim de semana, mas mais uma vez foi o companheiro de equipe da Mercedes, Lewis Hamilton, que saiu por cima, aumentando a diferença para Bottas na classificação do campeonato para 55 pontos. Depois, o piloto do carro número 77 disse que havia pouco que ele poderia fazer, a não ser continuar pressionando e esperar que sua sorte mudasse.

Bottas foi o mais rápido em todas as três sessões de treinos antes da qualificação e no primeiro segmento da própria qualificação. Mas quando importava, foi Hamilton quem conquistou o primeiro lugar no grid, e Hamilton também obteve a sexta vitória do ano.

Para Bottas foi ainda mais irritante porque ele bateu seu companheiro de equipe fora da linha no início e manteve a liderança no polêmico Safety Car, apenas para perdê-lo na segunda partida permanente do dia após a primeira bandeira vermelha.

“Com certeza é decepcionante”, disse ele. “Acho que frustrante não é a palavra certa porque senti que realmente tentei de tudo. Pelo menos a primeira parte. A primeira largada da corrida foi absolutamente perfeita e no reinício consegui manter a minha posição e senti que o ritmo estava bom.

“Assim que perdi a posição para Lewis na segunda largada, tentei tudo que podia para recuperá-la, mas não consegui e ele obviamente estava perfeito hoje e foi uma corrida muito louca”.

Questionado sobre o que poderia fazer para tentar colocar a balança a seu favor, Bottas disse: “Vou continuar pressionando e tentando melhorar. Deve acabar bem para mim em algum momento”.

“Perdi muitas eliminatórias este ano por apenas alguns centésimos [de segundo], então acho que é a primeira coisa: tentar colocar esses poucos centésimos do meu lado”.

“Acho que é apenas uma questão de tempo que as coisas vão do meu jeito e isso vai acontecer e eu vou continuar pressionando”, acrescentou.

A boa notícia para Bottas foi que, depois de sublinhar a sua inocência na queda do reinício, os comissários concordaram com a sua opinião, dizendo que o finlandês cumpriu o regulamento e tinha o direito de ditar o ritmo de largada.

Fonte: Fórmula 1

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email