Lewis Hamilton e a falta de liberdade de expressão dentro da Fórmula 1

Lewis Hamilton e a falta de liberdade de expressão dentro da Fórmula 1

FIA confirmou que está analisando se camiseta utilizada pelo hexacampeão no GP da Toscana, cobrando justiça pela paramédica Breonna Taylor, configura como manifestação política

Vencedor do GP da Toscana neste domingo, Lewis Hamilton pode ser alvo de investigação da Federação do Automobilismo (FIA) pelo protesto pela morte da socorrista americana Breonna Taylor. A entidade confirmou ao canal BBC que vai discutir se a camiseta utilizada pelo hexacampeão com os dizeres “Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor” se configura como uma mensagem política, o que é proibido.

A questão é que o regulamento da FIA só faz menção a questões políticas ao proibir o uso de manifestações de cunho político ou religioso “que sejam prejudiciais aos interesses da FIA” nos carros. Em 2018, o então piloto da Fórmula 2 Santino Ferrucci, foi proibido de carregar em seu carro o slogan da campanha do presidente americano Donald Trump pela mesma regra.

O artigo 10.6.2 diz, “Os competidores que participam de competições internacionais não podem fixar em seus carros propaganda que seja política ou religiosa de modo que seja prejudicial aos interesses da FIA”, determina o artigo 10.6.2 do Código Desportivo Internacional.”

Levando em consideração o regulamento, fica evidente que Hamilton não cometeu nenhuma infração, primeiro porque estava com a mensagem na blusa e não no carro e segundo, porque a mensagem descrita não é politica e muito menos religiosa, ele apenas pediu uma punição. Ou pedir investigação e justiça é algo criminoso?

O próprio Toto Wolff disse:

“Não há dúvidas, é uma decisão apenas dele. O que ele fizer, vamos
apoiar. A equipe está lutando contra qualquer forma de racismo e
discriminação e é uma luta pessoal de Lewis com o Vidas Negras Importam.
Vamos dar a ele todo o apoio possível”

Ou seja, neste momento a Fórmula 1 está engajada contra o racismo, então o que ele fez está dentro do espírito da campanha.


Na corrida ele faz tudo certo e venceu, agora tem a possibilidade de ser punido por usar uma camisa pedindo justiça? como pode acontecer isso se as blusas com os dizeres “End Racism” e “Black Lives Matter” são permitidas? então tudo que a FIA está permitindo contra o racismo, todas as campanhas são conversa para “Inglês ver”? isso não tem coerência, o protesto começou por causa da morte de um negro, e pedir justiça por outro negro assassinado e a prisão dos culpados pelo crime já não pode mais? Só mostra mais uma vez como essas instituição são hipócritas. Já que isso aconteceu, seria melhor parar com o “teatro” da FIA no pré-corrida em querer mostrar uma solidariedade que supostamente não existe.

Em um mundo cada vez mais problemático, em que os Direitos Civis estão em xeque, Lewis Hamilton faz uma defesa pelos direitos civis aproveitando a capacidade de exposição na mídia que ele tem acesso. O mesmo deveria ser feito por todos os atores, esportistas e pilotos de fórmula 1 ou de qualquer categoria do automobilismo, mas não é isso que estamos vendo. Hamilton é o único piloto da F1 que está caminhando para ser o maior da história em praticamente todas as métricas e isso faz dele responsável por levar mensagens desta natureza. Punir o inglês seria colocar mais uma mordaça em embaixadores de situações políticas delicadas.

Lewis está certo na minha opinião. Embora signifique pouco, acho importante ele se manifestar para não deixar vozes preconceituosas, pouco informadas e levadas por espíritos desumanos ganharem espaço. Apenas lamento a falta de empatia das instituições que só pensam em dinheiro.

Fonte: Fórmula 1

Imagem em destaque: racingonline,LeiaJá, Autosport, Midiamax

Quando começamos o Press Periódico para tentar trazer a verdade para o resto do mundo, sabíamos que seria um grande desafio. Mas fomos recompensados pela incrível quantidade de suporte e feedback dos leitores que nos fizeram crescer e melhorar.
Faça parte da missão de espalhar a verdade! Ajude-nos a combater as tentativas de silenciar nossas vozes e torne-se um assinante.

Print Friendly, PDF & Email