Aos Favorecidos…

Aos Favorecidos…

A Guemará, no Massechet Berachot, diz que os anjos nos Céus impuseram uma contradição para Hashem: Por um lado, consta na Torah “אשר לא ישא פנים”- Hashem não mostra favoritismo nem aceita suborno. Porém, Ele mostra favoritismo ao Povo Judeu, como foi dito no Birkat Cohanim “ישא ה’ פניו אליך.”

Hashem respondeu, “Como não posso mostrar favoritismo? Eu disse que eles só precisam fazer Birkat Hamazon ao comer uma refeição completa e, no entanto, recitam a bênção mesmo tendo comido uma pequena quantidade de um Kezayit !(aproximadamente 30 gramas de pão).”

O Chidushe HaRim perguntou, por que é justamente essa a razão usada para demonstrar o Seu favoritismo? Ele explica que geralmente a pessoa aprecia um presente de acordo com o seu valor. Se alguém recebe um presente caro, demonstrará mais gratidão do que se fosse um presente barato. No entanto, há momentos em que a pessoa demonstrará muita apreciação mesmo para um presente pequeno. Se quem presenteia é alguém muito importante, o valor do presente não importa tanto quanto quem o está dando.

As pessoas valorizam objetos que recebem de pessoas famosas ou importantes. Se uma pessoa olha para o pão que come como um presente dado diretamente por Hashem, o מלך מלכי המלכים-Rei dos Reis, בחן בחסד ברווח וברחמים-com misericórdia e amor, ela apreciará esse pão e se sentirá obrigada a agradecer, mesmo que seja apenas um Kezayit.

Hashem responde da mesma forma, מדה כנגד מדה, caso nós valorizemos o que Ele nos dá, ainda que não seja tudo que gostaríamos de ter, Ele valorizará nossa Avodat Hashem, mesmo que não seja tanto quanto Ele queria receber de nós. É assim que Ele nos mostra seu favoritismo.

Com base nisto, o Rav Menashe Reisman explicou o Passuk no Shema: ואהבת את ה’ אלוקיך- “Você deve amar Hashem, seu D’us “. Tudo o que temos e amamos deve ser usado como um meio de amar Hashem. Se alguém gosta de café, quando tomá-lo deve pensar que foi Hashem quem deu. E mesmo se ele não receber o gosto que desejava ou não ter açúcar suficiente, ele ainda pode reconhecer o Doador, e isso é mais doce do que todo o açúcar do mundo. Ele estará feliz com o café apenas porque vem de Hashem.

Somos ordenados a amar tudo que Hashem nos deu: nossos filhos, nossos cônjuges, nossos lares e nosso trabalho, porque foi Ele ele quem nos deu. Quando focamos no Doador, amaremos verdadeiramente e apreciaremos tudo que temos.

Com isso, nós podemos entender um difícil trecho da Torah: “ואהבת לרעך כמוך אני ה'”-Ame o próximo como a si mesmo, porque Eu sou Hashem.” A pergunta óbvia é, o que tem a ver “Eu sou Hashem” com amar o próximo? O Rav Reisman diz que devemos nos perguntar: ´Quem me enviou esse vizinho?’ ‘Quem colocou essa pessoa na minha frente agora?’ Assim, mesmo que existem momentos que não queremos ser gentis com alguém, seja qual for a razão, devemos dizer à nossa má inclinação: “Pare de analisar tudo que essa pessoa está fazendo e comece a analisar que ‘אני ה’- Hashem que o colocou na sua vida.”

Mesmo se alguém for irritante ou desagradável, isto vem  de Hashem, então ame-o de qualquer maneira. Se alguém visse o cálice do rei no depósito de lixo, diria que pegá-lo estaria abaixo de sua dignidade? Não! Ele diria: “Deixe-me pegar, polir e levar de volta ao Rei, porque eu o amo muito.” É assim que devemos ver as pessoas. Elas são filhas de Hashem. Mesmo que nos pareçam indivíduos baixos, às vezes temos que sujar nossas mãos para levantá-los e torná-los pessoas que Hashem quer que eles sejam. Se amamos Hashem, ficaremos motivados a fazê-lo.

Tudo o que é colocado no nosso caminho vem de Hashem.

Se conseguirmos apreciar todas as coisas que Ele faz, quer entendamos ou não, estaremos mostrando favoritismo a Ele e, consequentemente, Hashem mostrará o Seu favoritismo a nós.

Rav David Ashear – Emunah Todo Dia

Rabino Eliahu Hasky

Fonte Blog Torah Com Você

 

Print Friendly, PDF & Email