Goiás é o primeiro em tempo de abertura de empresa

Goiás é o primeiro em tempo de abertura de empresa

Prazo registrado no segundo quadrimestre é de 1 dia e 1 hora, queda de 11 horas (30,6%) em relação aos primeiros quatro meses deste ano. Governador lembra que, ao assumir, Goiás estava em 27º e, agora, atinge liderança.

Goiás ocupa o primeiro lugar do Brasil no que diz respeito ao tempo para abertura de uma empresa. O avanço foi confirmado na manhã desta quinta-feira (17/09), durante coletiva de imprensa online para divulgação dos dados do segundo quadrimestre de 2020 do Mapa de Empresas.

Segundo o documento, o Estado aparece com o menor tempo de abertura de empresas: 1 dia e 1 hora, queda de 11 horas (30,6%) em relação ao primeiro quadrimestre deste ano. A performance fez com que Goiás saltasse da terceira posição e ocupasse a liderança no ranking.

O governador Ronaldo Caiado destaca que a semana está repleta de fatos positivos. “Na terça-feira (15/09), recebemos a informação de que somos primeiro lugar no Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica no país]. Temos as melhores escolas públicas do Brasil. Um orgulho danado. E hoje recebemos mais uma excelente notícia”, comemorou.

O governador lembrou que, ao assumir a gestão, Goiás estava em 27º colocado no prazo de abertura de empresas e que agora, com menos de dois anos de gestão, atinge a liderança. “Isso representa mais desenvolvimento econômico para nosso Estado e uma movimentação maior da economia e de novos negócios aqui na nossa região. Vamos seguir trabalhando duro para impulsionar a economia goiana e levar mais dignidade e qualidade de vida para todos os que aqui vivem,” pontuou.

O município de São Miguel do Araguaia (GO) se destaca como o mais rápido do País, onde uma empresa leva apenas 1 hora e 50 minutos em média para ser aberta. Outras duas cidades goianas aparecem entre as mais rápidas. Minaçu, com prazo médio de 6 horas e 2 minutos, está na sexta posição e, em nono lugar, está Piracanjuba, com tempo médio de 7 horas e 18 minutos.

O mapeamento também mensura o desempenho das capitais. Neste recorte, Goiás também é bem representado. Goiânia é a segunda mais ágil, fica atrás apenas de Florianópolis (SC).

Na capital goiana, o prazo foi de 20 horas para que novas empresas nascessem durante o segundo quadrimestre de 2020. A queda em relação ao período anterior foi de 15 horas, o que corresponde a uma redução de 42,9%.

Por regiões, o Centro-Oeste também figura como o mais rápido. O tempo para abertura de empresa é de 1 dia e 5 horas, com redução de 9 horas (23,7%) em relação ao primeiro quadrimestre de 2020. As quatro unidades federativas da região figuram entre as cinco mais céleres do país para realizar esse serviço.

No que se refere à segmentação por tipo de empresa, Goiás é o mais rápido na abertura das classificadas como Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), com prazo de 21 horas, uma variação de menos 11 horas em relação ao primeiro quadrimestre de 2020.

Já na abertura de Sociedade Empresária Limitada, o Estado está na segunda posição entre os mais ágeis, com prazo de 1 dia e 3 horas, variação de 12 horas a menos em relação ao primeiro quadrimestre de 2020.

A boa atuação de Goiás era prevista com o novo recorde de abertura de empresas alcançado em agosto. Foram 2.558 novos registros na Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), o maior quantitativo mensal de empreendimentos abertos neste ano. O resultado para esse mês é o mais alto também dos últimos quatro anos.

“A atual gestão da Juceg empreende uma série de mudanças, principalmente com o apoio do governador Ronaldo Caiado, como a adoção da Junta 100% Digital no fim do ano passado”, destacou o Euclides Barbo Siqueira, presidente da instituição. “Recebemos um desafio no início da gestão. De 27º lugar, saltamos para o terceiro no último quadrimestre, e hoje recebemos essa excelente notícia: Goiás é o mais ágil em formalização de novas empresas no país”, celebrou. “Missão dada é missão cumprida” concluiu.

Ferramenta

O Mapa de Empresas do Brasil é disponibilizado pelo governo federal com indicadores relativos ao quantitativo de empresas registradas no País e ao tempo médio necessário para abertura de empresas.

Ao todo, o tempo médio registrado no segundo quadrimestre de 2020 para abertura de empresas no Brasil foi de 2 dias e 21 horas, o que representa diminuição de 1 dia (25,8%) em relação ao quadrimestre anterior.

O avanço foi atribuído a uma série de medidas quase mensais implementadas pelo governo federal, tendo em vista a simplificação e desburocratização do processo, como o registro automático do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), aprovado pela Lei da Liberdade Econômica.

O mapa revelou, ainda, que no segundo quadrimestre de 2020, foram abertas 1.114.233 empresas, um aumento de 6,0% em relação ao primeiro quadrimestre de 2020 e alta de 2,0% quando comparado com o segundo quadrimestre de 2019.

Já o número de empresas fechadas no segundo quadrimestre, 331.569, caiu 6,6% na comparação com os primeiros quatro meses de 2020. Em relação ao mesmo período no ano anterior, o recuo foi 17,1%.

Os resultados revelam um saldo positivo de 782.664 empresas abertas no país, com um número total de 19.289.824 empresas ativas.

Fonte: Governo de Goiás

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email