Pela Graça de D’us

Pela Graça de D’us

Aos meus irmãos, filhos e filhas de nosso povo. Onde quer que estejam que D’us seja generoso com vocês.

Sinceras saudações e bênção: Estes dias ao final do ano e nas véspera do ano novo, que tragam bênçãos a todos nós, pede uma auto-avaliação sobre o ano que termina, e à luz deste exame de consciência de tomar as resoluções necessárias para o ano vindouro.

Este tipo de “balanço” somente pode ser válido se a avaliação da plena extensão dos poderes e oportunidades da pessoa foi correta. Somente então a pessoa pode realmente se arrepender, num grau mensurável, e resolver utilizar plenamente as próprias capacidades dali em diante.

O período de tempo antes e durante Rosh Hashaná é não somente a ocasião que exige um balanço espiritual, mas também exige uma profunda avaliação interior das enormes capacidades que a pessoa tem, como ser humano, a coroa da Criação, e como judeu a quem o Criador deu Sua Divina Lei da Vida (Torat Chayim). Pois Rosh Hashaná é o dia no qual o homem foi criado.

Quando Adam foi criado, o Criador imediatamente informou-o de seus poderes e disse-lhe qual seria seu propósito na vida: “Preencha a terra, e a conquiste; tenha domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, e sobre toda criatura viva que se mova sobre a terra” (Bereshit 1:28).

O homem recebeu o poder de conquistar o mundo inteiro e de dominá-lo, na terra, no mar e no ar, e foi estimulado a fazê-lo; esta era sua tarefa.

Como esta “conquista do mundo” seria atingida, e qual o propósito e verdadeiro significado disso? Aqui está o que nossos Sábios nos dizem a este respeito:

Quando D’us criou Adam, sua alma, sua imagem Divina permeava e irradiava todo seu ser, em virtude de ele ter se tornado o amo de toda a Criação. Todas as criaturas se reuniram para servi-lo e para coroá-lo como seu criador. Porém Adam, mostrando-lhes seu erro, disse a elas: “Vamos todos adorar D’us, nosso Criador!”A “conquista do mundo”, dada ao homem como tarefa e missão na vida, é elevar toda a Natureza, incluindo os animais, ao serviço da verdadeira humanidade, permeada e iluminada pela Imagem Divina, pela alma que é realmente uma parte do D’us acima, de forma que toda a Criação perceberá que D’us é nosso Criador.

Desnecessário dizer, antes de o homem sair para conquistar o mundo, ele deve primeiro conquistar a si mesmo, por meio da subjugação da parte “terrena” e “animalesca” em sua própria natureza. Isso se consegue através de ações que estejam rigorosamente de acordo com as diretivas da Torá, a Lei da Vida o guia prático na vida cotidiana, para que o material seja permeado e iluminado com a luz do nosso D’us.

D’us criou um homem e sobre esta única pessoa na terra Ele impôs a mencionada tarefa. Aqui está a diretiva profunda e clara, ou seja, que um homem todo e cada homem é potencialmente capaz de “conquistar o mundo”.

Se uma pessoa não cumpre sua obrigação, e não utiliza seus inestimáveis poderes Divinos não é meramente uma perda e falha pessoal, mas algo que afeta o destino do mundo inteiro.

Nestes dias de introspecção, devemos refletir que cada um de nós ao cumprirmos as instruções do Criador do Mundo que estão contidas em Sua Torá tem a capacidade de conquistar mundos. Portanto, todos devem perguntar a si mesmos: Quanto conseguiu nesse sentido, e a que ponto falhou, para que possa tomar as decisões corretas para o ano vindouro.

D’us, que enxerga dentro dos corações, ao ver a determinação por trás dessas boas resoluções, enviará Sua bênção para que sejam concretizadas por completo – em júbilo e alegria de coração e boas realizações, material e espiritualmente.

Com a bênção de Kesivo Vachasimo Toivo para um ano bom e doce, (Assinatura do Rebe) 25 de Elul, 5719 [1959] Brooklyn, NY.

Rabino Eliahu Hasky

Fonte Blog Torah Com Você

Print Friendly, PDF & Email