Goiás: Produtores rurais vão receber mudas de capim-elefante

Goiás: Produtores rurais vão receber mudas de capim-elefante

Uma cartilha com orientações sobre a área de plantio, principais cuidados e maneiras possíveis de utilização será entregue junto com as cultivares.

Um projeto desenvolvido em parceria entre o Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), e o Instituto Federal Goiano (IF Goiano) irá promover, a partir de outubro, a distribuição de mudas de capineiras para pequenos produtores rurais do município de Ceres.

O objetivo, além de disponibilizar as cultivares, é fornecer informações técnicas relacionadas à produção, manejo e utilização das gramíneas na alimentação animal.

Serão entregues seis variedades: BRS Kurumi, BRS Capiaçu, BRS Canará, Porto Rico, Napier e Cameroon. A Emater é responsável por agendar a distribuição, que será realizada na Unidade de Referência Tecnológica (URT) São Francisco, onde os produtores interessados poderão conferir o sistema de implantação das cultivares.

O propósito é também que os pecuaristas beneficiados possam articular em sua comunidade uma espécie de rede de compartilhamento, disponibilizando mudas das capineiras que foram implantadas em sua propriedade para outros produtores.

“O pequeno produtor precisa aprender a potencializar mão de obra. Mesmo que pequena, é possível produzir muito utilizando os recursos corretos”, salienta o zootecnista, professor de Forragicultura e Pastagem no IF Goiano (Campus Ceres) e um dos coordenadores da iniciativa, Adalto José de Souza Linhares.

As capineiras de capim-elefante, espécie escolhida para ser trabalhada no projeto, quando bem adubadas apresentam alta produtividade de forragem, com 200 a 300 toneladas por hectare de matéria verde em três a cinco cortes no período chuvoso, em intervalos de 40 a 60 dias entre cortes.

O professor ressalta ainda que cada variedade tem suas particularidades, por isso é importante que sejam fornecidas informações sobre as tecnologias disponíveis. Uma cartilha contendo orientações sobre a área de plantio, principais cuidados e maneiras possíveis de utilização será entregue junto com as cultivares.

“Todas elas têm vantagens e desvantagens que o produtor precisa conhecer. No caso do Capiaçu, por exemplo, fala-se muito sobre o lado positivo, mas é preciso comentar sobre as restrições e cuidados. Às vezes, cultivares comuns estão mais adaptadas”, explica.

A expectativa é que sejam produzidas na URT São Francisco de seis a dez mil mudas em copos e tubetes para cobrir uma área de 10.000 m² distribuídos entre os produtores interessados. Foi estruturado ainda um canteiro irrigado na rua de acesso à chácara, facilitando a coleta das mudas.

Serão atendidos prioritariamente cerca de 50 produtores rurais familiares da região, que já estão sendo organizados pelos técnicos da unidade local da Emater em Ceres. Para saber mais detalhes, basta entrar em contato com o escritório no município. Confira a lista de teleatendimento da Emater aqui.

Foto: Adalto Linhares/Divulgação
Fonte: Governo de Goiás

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email