Ocon admite que “Ricciardo teve ritmo melhor”

Ocon admite que “Ricciardo teve ritmo melhor”

O melhor resultado de Esteban Ocon desde o Grande Prêmio da Bélgica veio apesar do fato de ele ter sido trocado por Daniel Ricciardo pela Renault na pista durante a corrida na Rússia – mas não houve ressentimentos do francês, que ficou perplexo com o ritmo de seu carro com pneus duros em Sochi.

Ocon começou em sétimo com pneus macios atrás de Charles Leclerc da Ferrari e saiu da linha bem para chegar à quarta posição no final da volta 1, marcando a partir daí na volta 18. Mas sua próxima passagem não foi tão bem-sucedida e depois de passar várias voltas não conseguindo passar Sebastian Vettel à sua frente, a Renault trocou ele e seu companheiro de equipe Ricciardo, que ultrapassou Vettel com relativa facilidade na volta 26.

“Foi um início de corrida muito bom,” explicou Ocon. “Quer dizer, a largada que consegui foi muito boa, cheguei em quarto, logo atrás de Max [Verstappen]. A primeira passagem foi forte, estava quase a ter o ritmo do Max na frente, o que era muito promissor, mas quando fomos para os pneus duros, não sei”.

“Perdemos aderência, perdemos equilíbrio no carro e tudo parecia um pouco mais difícil. Não conseguimos ultrapassar Seb, [nós] deixamos Daniel – ele tinha um ritmo melhor – e então [a segunda restrição] não foi tão forte quanto a primeira. Possivelmente um pouco mais de pontos na mesa para nós, algo que precisamos revisar, mas no geral [a corrida] foi muito boa para a equipe e estamos recuperando o atraso no campeonato de construtores”.

No entanto, a decisão da Renault de trocar seus pilotos pode ter saído pela culatra, já que Ricciardo travou depois de passar seu companheiro de equipe, saiu da pista e voltou a se juntar indevidamente na curva 2 – recebendo uma penalidade de cinco segundos por seus problemas. Ele assumiu a responsabilidade por seu erro e ralou para terminar em quinto, atrás de Sergio Perez, da Racing Point.

“Fomos tão rápidos quanto o Checo no hard, mas no soft no começo ele foi mais rápido e acho que ele demorou um pouco mais também [no soft], então foi aí que ele fez a diferença e foi aí que conquistou o quarto lugar”, ele disse.

“Tive cinco segundos [penalidade] e sim, para ser sincero, sabia que era meu erro, então falei: ‘tudo bem, eu vou levar a culpa e só vou dirigir mais rápido’. Eu acho que é uma boa atitude a se ter. Fiz uma corrida muito boa no final”.

O chefe da Renault, Cyril Abiteboul, ficou animado com o desempenho da equipe e os pontos que a colocaram em quinto lugar – apenas cinco pontos atrás da Racing Point e sete atrás da McLaren – na classificação antes do Grande Prêmio Eifel em Nurburgring.

Ele disse: “Daniel foi realmente impressionante em construir a lacuna necessária para Leclerc para absorver a penalidade de cinco segundos de ir fundo na Curva 2 quando trocamos os carros para mitigar o tempo perdido atrás de Vettel”.

“Esteban, por sua vez, lutou um pouco mais com a aderência algumas vezes durante a corrida, mas foi notável ao se defender de Kvyat por mais de 20 voltas e contribuiu para o desempenho geral da equipe”.

1276940491
Ocon conseguiu chegar ao P4 no final da volta 1, mas não conseguiu se segurar com os pneus mais duros
Fonte: Fórmula 1

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email