Goiás: Ipasgo quer normalizar bariátricas até o fim do ano

Goiás: Ipasgo quer normalizar bariátricas até o fim do ano

Presidente do Instituto, Hélio Lopes, falou no TBC que auditorias das bariátricas foram retomadas no dia 19 de agosto e já foi possível zerar os pedidos que estavam represados.

As auditorias do Ipasgo para a realização de cirurgias bariátricas foram retomadas no dia 19 de agosto último. No período de 40 dias foi possível zerar a fila de 433 pedidos, que estavam represados desde março.

A expectativa é voltar, em breve, a atender novas solicitações, e até o final do ano, atender a mais outras 300. Dessa forma, mesmo com a pandemia, se espera fechar 2020 com número praticamente igual ao verificado em 2019, quando foram realizadas 860 cirurgias desse tipo.

A afirmação é do presidente do Ipasgo, Hélio José Lopes, que esteve no estúdio do TBC 2 nesta quinta-feira, 1º de setembro. Na oportunidade, ele conversou sobre este e outros assuntos com os apresentadores Danuza Azevedo e Guilherme Rigonato.

Conforme Hélio, em janeiro e fevereiro últimos as cirurgias bariátricas foram realizadas dentro da normalidade. Mas a partir de 21 de março elas foram suspensas, em razão dos decretos estadual e municipal que tratam da pandemia da Covid-19.

Cirurgia eletiva

Somente a partir de 19 de agosto as perícias bariátricas no Ipasgo voltaram a ser realizadas. Ele explicou que a suspensão temporária foi adotada porque esta é uma cirurgia eletiva, sobre a qual a equipe médica pode determinar a data a ser realizada.

Assim, o Instituto foi postergando até a retomada. Informou que, em março último, devido à pandemia, o Instituto reservou, para os pacientes acometidos da Covid, 434 leitos na rede hospitalar privada do Estado e 50 no Hospital do Garavelo, entre enfermarias e UTIs.

Entretanto, havia uma demanda de 433 cirurgias bariátricas. Mas o risco desses pacientes bariátricos precisarem de internação e não ter essa cobertura levou à suspensão temporária, explicou.

Hélio Lopes completou que, após a retomada em agosto, o trabalho da equipe de auditores do Instituto foi “hercúlea, o pessoal se dedicou bastante.” Dessa forma, foi possível autorizar 151 cirurgias bariátricas em 20 dias; e, com 40 dias, os 433 pedidos foram atendidos.

Pendências

“É óbvio que a partir de agosto/setembro novas (solicitações) surgiram, tem novos pedidos. A gente, dentro em breve aí, vai começar de novo, para até o final do ano conseguir realizar todas as outras que ficaram pendentes”, afirmou. Com isso, e obedecendo aos mesmos parâmetros, disse acreditar que será possível ter mais “300 e poucas” (cirurgias bariátricas) até o final de 2020.

Respondendo à pergunta de um telespectador sobre como seriam os critérios do atendimento da fila de pedidos de auditoria bariátrica, o presidente do Ipasgo explicou que as perícias estão sendo realizadas de forma cronológica, mês a mês.

Quem está com esse pedido de bariátrica agora, o Instituto vai começar a analisar agosto/setembro/outubro e adiante, “para que até o final do ano eles consigam, não só realizar a perícia médica, bem como o procedimento médico.”

Fonte: Governo de Goiás

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email