Conheça as Ordens Dinásticas da Casa Imperial do Brasil

Conheça as Ordens Dinásticas da Casa Imperial do Brasil

A recente notícia de que o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, teve por bem conferir a Grã-Cruz da Imperial Ordem da Rosa à sua muito querida cunhada, a Princesa Dona Christine de Ligne de Orleans e Bragança, despertou grande interesse nos monarquistas, de modo que a partir da próxima quarta-feira, 21 de outubro, faremos uma série de publicações sobre cada uma das Ordens Dinásticas de nossa Casa Imperial.

Princesa Dona Christine – Imagem Casa Imperial do Brasil

Com a Independência e o providencial estabelecimento da Monarquia, o Império do Brasil conservou as antigas Ordens de Cavalaria do Reino de Portugal, além de ter criado outras, a fim de remunerar os serviços relevantes prestados à Pátria por brasileiros e estrangeiros beneméritos, e assim estimular a nobre e justa emulação de tais gestos. São ao todo seis Imperiais Ordens: de Nosso Senhor Jesus Cristo, de São Bento de Avis, de Santiago da Espada, do Cruzeiro, de Pedro I e da Rosa.

Imagem – Pró Monarquia

O Imperador do Brasil – seja “de facto” ou de “de jure” – é sempre o Soberano e Grão-Mestre de todas as Ordens. Entretanto, depois da quartelada republicana de 15 de novembro de 1889, os sucessivos Chefes da Casa Imperial nunca quiseram institucionalizar regularmente a concessão de honrarias, por não verem sentido em fazê-lo enquanto não possuírem meios coercitivos eficazes para depor ou degradar os agraciados que se revelem mais tarde indignos da mercê recebida.

Sempre fiel à sábia diretriz estabelecida por seus maiores, o Príncipe Dom Luiz, contudo, excepcionalmente, em um ou noutro caso muitíssimo especial, utiliza-se de seus legítimos atributos nessa matéria, tão-só para marcar que não abre mão deles. É, de fato, uma exceção que mais bem confirma a regra geral. Sua Alteza, afinal, conserva suas prerrogativas de “Fons honorum” (“Fonte de Honra”, em latim), ou seja, o direito régio de conferir títulos e outras honrarias segundo a sua vontade.

Fonte: Pro Monarquia

Print Friendly, PDF & Email