USF2000: Brasileiros vão bem e terminam em segundo e terceiro

USF2000: Brasileiros vão bem e terminam em segundo e terceiro

Christian Brooks fez um tremendo progresso ao longo de sua campanha estreante no Campeonato Cooper Tires USF2000 com a equipe Exclusive Autosport. Hoje, no Grande Prêmio do USF2000 de São Petersburgo, apresentado pela Cooper Tyres, Brooks liderou com confiança ao longo do final da temporada de 20 voltas para garantir a primeira vitória suada.

O vencedor de ontem, o também estreante Kiko Porto (DEForce Racing), de Recife, Brasil, encerrou um excelente fim de semana terminando em segundo, à frente do compatriota e amigo íntimo Eduardo Barrichello (Pabst Racing), para quem um nono pódio da temporada foi suficiente para garantir segundo lugar no campeonato.

Brooks, 20, de Santa Clarita, Califórnia, deu o pontapé inicial na manhã de ontem nas eliminatórias ao receber seu primeiro prêmio Cooper Tires Pole. A volta de 1: 11,9662, uma velocidade média de 90,042 mph, eclipsou o recorde de qualificação de Alexandre Baron estabelecido em 2018.

Brooks aproveitou ao máximo essa vantagem conquistada com dificuldade ao liderar o campo para a Curva Um no início, com o também titular da primeira linha, Porto em perseguição.

Barrichello recuperou uma posição para seguir em terceiro, na frente do já coroado campeão Christian Rasmussen (Jay Howard Driver Development), de Copenhagen, Dinamarca, e Michael d’Orlando (Cape Motorsports), de Hartsdale, NY, que fez uma jogada ousada de oitavo na grade. Em seguida vieram o australiano Cameron Shields (DEForce Racing) e Reece Gold (Cape Motorsports), de Miami, Flórida, que precisava terminar à frente de Barrichello para manter vivas suas esperanças de terminar em segundo lugar na tabela de pontos do campeonato.

Além de d’Orlando ultrapassar Rasmussen pelo quarto lugar na segunda volta, as posições de liderança permaneceram inalteradas até que a corrida foi neutralizada pelo Pace Car depois que o infeliz Shields parou – pela segunda vez em dois dias – após oito voltas.

Brooks manteve a vantagem no reinício e, embora Porto nunca lhe tenha dado qualquer trégua, Brooks aguentou firme e conseguiu uma vitória por pouco. Porto teve de se contentar com o segundo lugar, embora também tenha levado para casa o prêmio The Ticket Clinic Fastest Lap depois de registrar um novo recorde de volta de corrida USF2000 com uma melhor de 1: 12,2279, uma velocidade média de 89,716 mph.

O quarto lugar foi ocupado por d’Orlando, que ganhou o Prêmio Tilton Hard Charger por se manter um pouco à frente de Rasmussen. O inglês Matt Round-Garrido fechou a lista dos seis primeiros para a Pabst Racing.

Jack William Miller (Miller Vinatieri Motorsports), de Carmel, Ind., Também se envolveu em uma batalha acirrada, acabando de superar Prescott Campbell (Exclusive Autosport), de Newport Beach, Califórnia, um ouro decepcionado, que caiu para o nono na finalização e Wyatt Brichacek (Jay Howard Driver Development), de Noblesville, Indiana, que conquistou seu primeiro lugar entre os 10 primeiros da temporada.

O excelente esforço de Brooks garantiu o prêmio USF2000 PFC ao proprietário da equipe vencedora, Michael Duncalfe.

Brooks também garantiu o prêmio Hyperco Rookie of the Year da temporada, que será reconhecido em uma cerimônia de premiação abreviada que será realizada no Mahaffey Theatre no final desta noite.

Pontos no campeonato após 17 das 17 corridas:
1. Christian Rasmussen, 394
2. Eduardo Barrichello, 353
3. Reece Gold, 341
4. Michael d’Orlando, 295
5. Christian Brooks, 284
6. Josh Green, 245
7. Matt Round-Garrido, 228
8. Jack William Miller, 215
9. Cameron Shields, 214
10. Kiko Porto, 197

Christian Brooks (# 44 Hot Wheels / Chaco Flato / Bell Helmets-Exclusive Autosport Tatuus USF-17):“Não consegui ouvir nada no rádio por causa das minhas lágrimas depois da bandeira quadriculada! Nunca me senti tão feliz em minha vida; Estou tão feliz que pudemos terminar no final, onde tudo importava. Para finalmente fazer isso tira toda a pressão dos meus ombros. Mas em uma pista como St. Pete, você está no limite o tempo todo, e com Kiko tão perto, eu tive que manter a calma. Eu sabia que tinha ritmo suficiente para ficar na frente sem ser desafiado. Não posso agradecer o suficiente aos caras do Autosport Exclusive, especialmente considerando como começamos o ano – isso mostra todo o trabalho que colocamos. Eu não estaria aqui sem Michael Duncalfe. Foi um ano irreal. ”

Kiko Porto (# 12 Banco Daycoval / Petromega-DEForce Racing Tatuus USF-17):“É difícil aqui, com o aerolavagem, chegar perto porque você está no limite. Às vezes eu conseguia pegá-lo, mas não estava perto o suficiente. Mas é uma boa maneira de terminar a temporada com uma vitória e um segundo lugar depois de um ano muito difícil. Obrigado a minha família, meus patrocinadores e a toda a equipe DEForce. Trabalhamos muito este ano e estou muito feliz com a final e com o campeonato. Estou pronto para começar em 2021”.

Eduardo Barrichello (# 22 Ale-Pabst Racing Tatuus USF-17):“O aerolavagem aqui não é grande, mas basta que afete o carro e nas ruas, não dá para errar. Quando você se aproxima, você subvira e a parede começa a se aproximar cada vez mais. Para o campeonato, eu só tinha que terminar na frente do Reece, então quando fiquei em terceiro, simplesmente me acomodei. Achei que eles lutariam mais, achei que Kiko tinha mais ritmo, mas uma vez que você está atrás é difícil fazer qualquer coisa. Estamos felizes por sermos vice-campeões, embora não seja para isso que estamos aqui, mas depois do ano de altos e baixos que tivemos, vamos aceitar”.

Fonte: USF2000

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email