Goiás é terceiro lugar nacional na geração de empregos

Goiás é terceiro lugar nacional na geração de empregos

Resultado do Caged, divulgado nesta quinta-feira (29/10), revela saldo positivo nas contratações com carteira assinada no Estado pela quarta vez consecutiva, com criação de 8.158 vagas no último mês. No acumulado do ano já são 14.868 novos postos.

Goiás registra saldo positivo de empregos com carteira assinada em setembro. É o que informa o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão ligado ao Ministério da Economia, em balanço divulgado nesta quinta-feira (29/10).

Os números colocam o Estado na terceira colocação geral entre as demais unidades da Federação e o Distrito Federal com saldo de 14.868 contratações no período entre janeiro e setembro, resultado de 377.146 admissões contra 362.278 desligamentos registrados no período.

Em setembro, de acordo com o Caged, Goiás registrou saldo positivo de 8.158 empregos gerados. Esse número é a diferença entre trabalhadores admitidos (45.187) e desligados (37.029) no mercado de trabalho.

Os dados evidenciam o esforço investido pelo Governo de Goiás para a retomada da economia, principalmente após as consequências econômicas provocadas pela pandemia do coronavírus. “Nossa atenção hoje é exatamente gerar empregos. Tenho dito isso a todos os meus secretários. A função do Estado é poder cuidar para que toda nossa população se sinta confortável em Goiás”, destacou o governador Ronaldo Caiado.

O governador relembrou, ainda, que a melhor política social é o emprego. “Sempre defendi a tese de que não existe melhor política social no mundo que não seja o emprego. É a única que resolve todos os problemas”, enfatizou.

Esse é o quarto mês consecutivo de resultados positivos em Goiás nesse período de pandemia, que se iniciou em março. Em junho o saldo foi de 3.749 vagas; julho, 6.172; julho, 7.328 e agora em setembro, 8.158. Já no mês de janeiro o saldo foi de 7.917 e em fevereiro, 11.502. Nos demais meses o resultado foi negativo: março (-2.190), abril (-22.038) e maio (-5.730).

O secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Adonídio Neto, avalia os números e reafirma a sua posição de que Goiás será o primeiro Estado a sair da crise econômica provocada pela Covid-19 e isso deve ocorrer ainda este ano. “Estamos no caminho certo. As ações adotadas pelo Governo goiano, através da SIC, estão surtindo os efeitos. Esses dados são relativos a setembro. Ainda temos mais três meses para crescer”, disse o secretário.

Setembro também marca o segundo mês consecutivo em que Goiás aparece em primeiro lugar no saldo de empregos gerados em toda a Região Centro-Oeste. “Temos quarto meses consecutivos de índices positivos em plena pandemia, com destaque para a nossa indústria, que é o setor que mais gerou empregos em Goiás em todo ano de 2020. O resultado é sinal do esforço do Governo do Estado para incentivar a abertura de novas vagas, resultado de uma política ativa de estímulos adotada pela SIC”, disse o secretário Adonídio Neto.

Nacional

Os números nacionais também mostram reação na geração de empregos no Brasil. De acordo com o Caged, no mês de setembro o País apresentou saldo de 313.564 novas vagas.

Agosto também fechou com saldo positivo de 244.020 postos, assim como julho, com 139.712 vagas. Já o resultado de junho foi negativo (-24.541).

Fonte: Governo de Goiás

Assine Prêmio: 
Contar hoje com uma mídia isenta, ética e informativa é a busca de todo leitor. Nosso Jornal e Revista oferecem informações gerais que podem ser lidas por toda a família, em uma abordagem que prima pela ética e respeito. Torne-se um assinante Prêmio e obtenha 25% de desconto aplicando o código (WELIMA).

Print Friendly, PDF & Email